Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, BELO HORIZONTE, SANTA EFIGENIA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Italian, Esportes, Música



Histórico


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     MOVIMENTO #FORAKALIL
     CLUBE ATLÉTICO MINEIRO
     LOJA DO GALO
     FOTOS DO GALO
     UOL
     UOL - FUTEBOL
     GALO É AMOR
     INFOBOLA - Site de Estatísticas do Futebol Brasileiro
     BLOG DO TÚLIO CÉSAR
     BLOG DO TORERO
     BLOG DO TRISTÃO
     ESPN BRASIL
     LANCE!
     GALO SAMPA
     GALO 105 MINUTOS
     CHANCE DE GOL
     MUSEU DO FUTEBOL
     Revista PLACAR
     BOLÃO VIP
     SUPERESPORTES
     TV GALO
     ÁLBUM DO GALO - Times de todos os tempos
     O CANTO DO GALO
     CORAÇÃO EM PRETO E BRANCO
     BLOG PRETO E BRANCO
     BLOG DO MARGUITTE
     BLOG DA DÉBORA
     FUTPÉDIA
     ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL
     BLOG CADERNO ESPORTE
     O MUNDO DO FUTEBOL
     DOIS TOQUES: POLÍTICA E FUTEBOL
     TORCIDA SEMPRE GALO
     BLOG DO BELEZA
     PREGUIÇA ALHEIA
     GAZETA ESPORTIVA
     GALO OFICIAL
     DONAS DA BOLA - GALO DE OURO
     RENATO PRATES MPB


     
     
    INCONDICIONALMENTE GALO


    ATLÉTICO/PR 0x1 ATLÉTICO

    GALO VENCE O ATLÉTICO-PR E INICIA REAÇÃO NO BRASILEIRO

    Com o resultado positivo sobre a equipe paranaense, o técnico Cuca garantiu seu primeiro triunfo à frente do Atlético


    LANCEPRESS


    Nesta quarta-feira, o Atlético-PR recebeu o xará mineiro, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena da Baixada, a fim de deixar a zona de rebaixamento. No entanto, quem comemorou um resultado positivo foi o Galo. Com um gol de Mancini, o Alvinegro deixou a vice-lanterna e assumiu a 18ª posição do torneio. O Rubro-Negro desceu duas posições e termina a rodada em 19º.


    O início da partida foi carente de chances de gol. Tanto o Atlético-PR quanto o seu xará de Minas Gerais não conseguiram criar boas oportunidades. O primeiro lance perigoso saiu dos pés de Fabrício, aos sete minutos. O zagueiro deu um belo drible em Leonardo Silva e cruzou para o meio da área, mas Richarlyson acabou cortando.


    O Atlético respondeu logo depois, aos 13 minutos, com a a melhor oportunidade da primeira etapa. O centroavante da equipe mineira, André, recebeu um belo passe de Daniel Carvalho e tentou colocar no canto esquerdo de Renan Rocha. O goleiro desviou, mas a bola quase entrou e o zagueiro Gustavo salvou em cima da linha.


    O Furacão respondeu com o meia-atacante Marcinho, aos 14 minutos. O lateral-esquerdo Paulinho chegou à linha de fundo e fez bom cruzamento na cabeça do apoiador, que tentou jogar por cima de Renan Ribeiro, mas a bola morreu na linha de fundo.


    Depois de um início ruim de ambas as equipes, as chances não pararam de sair. Aos 22 minutos, Pablo recebeu bola de Marcinho e finalizou, obrigando o camisa 30 do Galo a realizar ótima intervenção. No rebote, o zagueiro Réver tirou a bola para escanteio. Quatro minutos mais tarde, o centroavante do Atlético-PR, Pablo, recebeu bom cruzamento do camisa 6 Paulinho. O jogador cabeceou por cima da meta alvinegra.


    Em um jogo morno e repleto de erros de passe, o Atlético conseguiu armar um contra-ataque aos 38 minutos, que não refletiu o nível da partida. Daniel Carvalho puxou um contragolpe e iniciou uma boa troca de passes. O centroavante André ficou com a bola fora da área e finalizou rasteiro, exigindo uma intervenção de Renan Rocha.


    Diferentemente da etapa inicial, o segundo tempo começou a todo vapor. Nos dois primeiros minutos, Furacão e Galo criaram boas oportunidades. Bernard recebeu passe de Fillipe Soutto e finalizou forte, a bola desviou em Fabrício e saiu para escanteio. Um minuto depois, o Rubro-Negro da Arena da Baixada respondeu. Marcinho chutou uma bola venenosa e obrigou Renan Ribeiro a defender em dois tempos.


    O Atlético chegou novamente com perigo aos nove minutos. Depois de boa arrancada do meia-atacante Daniel Carvalho, ele lançou a bola para o jovem Bernard na ponta esquerda. O garoto arriscou um cruzamento, mas a bola desviou em Wagner Diniz e quase enganou Renan Rocha. Dois minutos depois, o apoiador teve nova oportunidade. Pelo mesmo lado do campo, Bernard finalizou. Contudo, a bola saiu pela linha de fundo.


    O ataque do Atlético-PR continuou levando perigo ao gol de Renan Ribeiro. O meia-atacante Marcinho fez boa tabela com o centroavante Pablo e recebeu na cara do gol, aos 15 minutos. O camisa 10 finalizou com o bico do pé, tentando deslocar o camisa 30, mas chutou para fora.


    As melhores chances do Galo saíram dos pés do apoiador Bernard. Aos 17 minutos, o garoto recebeu cruzamento do volante Pierre e finalizou. O goleiro Renan Rocha, no entanto, impediu o gol com os pés. No rebote, Daniel Carvalho tentou marcar, mas jogou por cima da meta do time paranaense.


    Magno Alves, que entrou no lugar de Neto Berola no princípio da segunda etapa, arrancou do meio-campo, driblou dois e sofreu pênalti. O lateral-direito Mancini cobrou, Renan Rocha espalmou, a bola bateu na trave e entrou para o fundo do gol.


    O Magnata entrou com gás total. Aos 31 minutos, pouco tempo depois de Mancini balançar a rede, o veterano atacante finalizou da intermediária e obrigou Renan Rocha a realizar boa defesa. A resposta do Atlético-PR foi imediata. Edigar Junio arriscou de fora da área, a bola foi no cantinho, mas Renan Ribeiro se esticou todo e mandou para escanteio.


    Em segundo tempo muito mais corrido que o primeiro, os dois Atléticos tiveram muitas oportunidades de estufar as redes. O Alvinegro teve melhores chances que o Rubro-Negro, tanto é que saiu vitorioso. O Galo reencontra o triunfo após sete partidas. Esse é o primeiro resultado positivo de Cuca no comando do time mineiro.



    FICHA TÉCNICA
    ATLÉTICO-PR 0 X 1 ATLÉTICO

    Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
    Data/hora: 31/8/2011 - 20h30 (de Brasília)
    Árbitro: Rodrigo Braghetto
    Auxiliares: Vicente Romano Neto e Fábio Rogério Baesteiro
    Renda/Público: -

    Gols: Mancini (24' do 2ºT)
    Cartão amarelo: Neto Berola, Pierre, Magno Alves (CAM)

    ATLÉTICO-PR: Renan Rocha; Wagner Diniz, Gustavo, Fabrício e Paulinho; Deivid, Kleberson (Rodriguinho - 25' do 2ºT), Marcinho (Edigar Junio - 19' do 2ºT), Madson (Victor Sandes - 10' do 2ºT) e Cleber Santana; Pablo. Técnico: Renato Gaúcho.

    ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Mancini, Réver Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Fillipe Soutto, Bernard e Daniel Carvalho (Triguinho - 32' do 2ºT); Neto Berola (Magno Alves - 8' do 2ºT) e André (Guilherme - 19' do 2ºT). Técnico: Cuca.

     

     

    Comentando a matéria do jogo de hoje, o Júnior Gam, de Itanhomi, perguntou: "Gente, alguém, de coração, realmente acredita que o Atlético MG vença o Atlético PR lá em Curitiba?"

    E eu respondi: Por que o GALO não pode ser uma zebra? Mas eu apostei no empate.

    Pois é, deu "zebra"! Depois de mais de mês em jejum, o GALO enfim voltou a vencer! E de que jeito! Sofrido, como sempre, até na hora de a bola entrar! 

    Primeiro, o Magno Alves tem a sorte de dar um passe errado, e a bola voltar pra ele. Em seguida, o pênalti (sabe-se lá se o Magnata iria aproveitar bem a jogada!). Na cobrança, o goleiro defende; a bola bate na trave, volta nas costas do goleiro e entra no gol. 

    Não poderia ser menos difícil um gol de um time que vem sofrendo com a falta de sorte.

    Quem teria neutralizado o poder maligno de Alexandre PÉ FRIO Kalil?

    Meu filho de 6 anos, alheio à situação do time, tem vestido a camisa do GALO todo dia. Três camisas diferentes desde segunda-feira! Teria sido dele o poder benigno que beneficiou o GALO na Arena da Baixada?

    Confesso que sou supersticioso e, por isso, creio que falar muito de um tabu ajuda a derrubá-lo. Por isso, listei tudo que o GALO e o Cuca tinham pra derrubar hoje. Teria sido isso que empurrou um pouco a nuvem negra que pairava sobre o GALO?

    Quem mais fez qualquer coisa para melhorar nossa sorte?

    Certo é que o GALO não jogou muito melhor que contra o C*uzeiro. Os erros de passe continuaram, os zagueiros (ou seria apenas o Leonardo Silva) continuaram a levar dribles infantis, houve pouca finalização certa, mas não há dúvida que nossa sorte mudou. O Atlético Paranaense jogou até melhor que o C*uzeiro do domingo passado, mas também tem muitas limitações.

    O GALO tem que, no mínimo, saber aproveitar esses momentos, quando o adversário se mostra igual ou até pior. Superando quatro deles na pontuação estará salvo. Mas isso vai depender de muita sorte!



    Escrito por PLINS às 22h52
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    FURACÃO (ou CARTOLINHA) x GALO

     

    SETE JOGOS INVICTO, ATLÉTICO-PR PEGA O ATLÉTICO, SETE RODADAS SEM VENCER

     

    Clubes se enfrentam na Arena da Baixada com objetivos iguais: tentar o mais rápido possível deixar as últimas colocações do Campeonato Brasileiro

     

    Por GLOBOESPORTE.COM – Curitiba



    O objetivo é um só: deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro o quanto antes. Para isso, a vitória é fundamental para Atlético-PR e Atlético, que se enfrentam a partir de 20h30m (horário de Brasília) desta quarta-feira, na Arena da Baixada, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Furacão está mais próximo do objetivo. É o 17° colocado, com 18 pontos em 19 jogos. Uma vitória nesta quarta-feira, somada a um tropeço de Bahia (que recebe o América) ou Grêmio (que visita o Corinthians), tira o Rubro-Negro do Z-4. O técnico Renato Gaúcho, porém, tem os desfalques do lateral-direito Edílson e do zagueiro Manoel. Wagner Diniz e Gustavo Aráujo são os substitutos. Mais abaixo na tabela, o Atlético é o 19°, com 15 pontos. Uma vitória pode levar o Galo, no máximo, ao 17° lugar - dependeria que o Avaí não vencesse o Flamengo na Ressacada. Para enfrentar o xará paranaense, o técnico Cuca tem o desfalque do volante Serginho, que cumpre suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Mancini deve ser o substituto. A partida terá arbitragem de Heber Roberto Lopes (Fifa/PR), auxiliado pelos também paranaenses Gilson Bento Coutinho e José Carlos Dias Passos.

    O QUE ESTÁ EM JOGO

    Atlético-PR: sair da zona de rebaixamento. O Furacão, que deixou o Z-4 após vencer o C*uzeiro na 17ª rodada, voltou com o empate em 2 a 2 com o América, na rodada seguinte. Uma vitória rubro-negra e tropeço de Bahia ou Grêmio tira o Atlético-PR da zona de rebaixamento. O Furacão acumula sete jogos seguidos sem derrota pelo Brasileirão.

    Atlético: conquistar a primeira vitória sob comando do técnico Cuca. É o primeiro objetivo do Galo já que, mesmo que vença o Furacão, o time permanece na zona de rebaixamento. Deixar o grupo da degola é um segundo objetivo, que vai além das possibilidades da equipe para esta noite. Há sete rodadas o Galo não vence um jogo do Brasileirão.

    AS ESCALAÇÕES

    Atlético-PR: sem Edílson e Manoel, suspensos, o técnico Renato Gaúcho promove as entradas de Wagner Diniz e Gustavo Araújo. O restante do time deve ser o mesmo do empate por 1 a 1 no clássico Atletiba do último sábado. A escalação: Renan Rocha; Wagner Diniz, Gustavo Araújo, Fabrício e Paulinho; Deivid, Kleberson, Cléber Santana, Marcinho e Madson; Edigar Junio.

    Atlético: Cuca não divulgou a equipe que começa jogando. Não comandou coletivo na véspera do jogo, mas conversou separadamente com um grupo de 12 jogadores antes da última atividade antes da partida, dando a entender que o time que entra em campo terá: Renan Ribeiro; Mancini, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Fillipe Soutto, Bernard e Daniel Carvalho; Guilherme e André.

    QUEM ESTÁ FORA

    Atlético-PR: o lateral-direito Edílson e o zagueiro Manoel cumprem suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O meia Paulo Baier e o atacante Morro García seguem em recuperação de lesões no departamento médico. Os atacantes Guerrón e Nieto aprimoram a forma física. Por fim, o meia Branquinho passa por cirurgia na quinta-feira e não joga mais no Brasileirão.

    Atlético: o volante Serginho está suspenso. Sob os cuidados médicos estão os meias Dudu Cearense, com dores na coxa direita, e Renan Oliveira, que trara de um edema ósseo no tornozelo direito.

    PENDURADOS

    Atlético-PR: Madson, Robston, Rodriguinho e Wagner Diniz.

    Atlético: Renan Ribeiro, Richarlyson, Dudu Cearense, Guilherme e André.

    FIQUE DE OLHO

    Atlético-PR: substituto de Edílson, Wagner Diniz deve ser titular nos próximos dois jogos do Furacão: neste, contra o Atlético, e na rodada seguinte, contra o Grêmio. Chance para ele 'roubar' a vaga de Edílson e se firmar no time titular.

    Atlético: o meia Daniel Carvalho pode começar jogando, atuando em uma função diferente, como quarto homem do meio campo, atuando mais pela esquerda. Ele teve uma conversa em separado com o técnico Cuca na véspera do jogo e pode significar novidade esta noite.

    O QUE ELES DISSERAM

    Renato Gaúcho, técnico do Atlético-PR: “A gente tem que dar continuidade à nossa fase. A gente vem somando pontos. O Atlético-PR é o time hoje que está mais invicta no campeonato: nos últimos sete jogos, o Atlético-PR não perdeu. Então, a fase do Atlético-PR é muito boa. Lógico que a gente precisa melhorar ainda mais para que a gente possa sair dessa situação".

    Mancini, meia atacante do Atlético: "Temos que ter calma, porque não adianta desesperar. Nós temos que nos juntarmos para buscar forças. Temos que ser homens neste momento. Fomos nós que colocamos o Atlético nesta situação e somos nós que temos que tirá-los. Temos que dar a cara para bater".

    NÚMEROS E CURIOSIDADES

    * Quem venceu mais? Confira o histórico do confronto na Futpédia.

    * Na Arena da Baixada, Atlético-PR e Atlético se enfrentaram 11 vezes pelo Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro venceu seis vezes, contra duas do Galo; foram ainda três empates. O Furacão marcou 19 e sofreu 13 gols. No último jogo entre eles no estádio, o Atlético-PR venceu por 2 a 1, com gols de Ivan González e Bruno Mineiro; Obina descontou.

    * O Atlético foi o time que mais cometeu pênaltis no primeiro turno do Brasileirão de 2011: nove. Por outro lado, teve dois a favor. Já o Atlético-PR é um dos que menos teve penalidades para cobrar: apenas uma - mesmo número de pênaltis sofridos.


    Somente sob o comando de Celso Roth, o GALO conseguiu derrotar o Atlético "Paraguaiense" na Arena da Baixada. Em 2003, o GALO venceu por 2 a 1, gols de Alexandre e Alessandro.  E olha que o GALO não tinha um timaço: Velloso, Cicinho, Scheidt, André Luís e Marquinhos; Genalvo, Ferrugem, Alexandre e Lúcio Flávio (Paulinho); Alessandro (Nem) e Guilherme. Já em 2009, foi de goleada! 4 a 0 para o GALO, gols de Diego Tardelli, Júnior e Éder Luís (2). O time também não tinha tantos medalhões, pelo contrário, entraram em campo seis atletas formados na base: Aranha, Carlos Alberto (Marcos Rocha), Werley, Welton Felipe e Thiago Feltri; Renan (Tchô), Márcio Araújo, Jonílson e Júnior (Evandro); Diego Tardelli e Éder Luís.

    Portanto, Cuca tem hoje a dura missão de quebrar uma série de tabus, pessoais e do clube: depois de 9 oportunidades, vencer a primeira partida pelo Brasileirão (Cuca comandou a Smurfete por 5 jogos, tendo empatado 3 vezes e perdido 2); 7 jogos sem vitória do GALO no Brasileirão, 5 deles sem sequer pontuar; 7 derrotas consecutivas do GALO (somados os jogos pela Sul-Americana); nenhuma vitória na Arena da Baixada contra o Atlético/PR sem Celso Roth sentado no banco do GALO.

    Com relação ao provável time de hoje, se Mancini será o lateral-direito, é melhor jogar com uns 4 zagueiros!



    Escrito por PLINS às 09h43
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    DEPOIS DOS CORTES, NÃO SOBROU LATERAL DIREITO

    Atlético leva 19 jogadores a Curitiba, mas não tem lateral-direito

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda
    Em Vespasiano (MG)

    O técnico Cuca divulgou no início da tarde desta segunda-feira, após a realização de um treino na Cidade do Galo, a lista de 19 jogadores relacionados do Atlético, que enfrentará o Atlético-PR, na próxima quarta-feira, às 20h30, na Arena da Baixada, em Curitiba.

    A lista de relacionados do treinador não apresentou nenhuma grande novidade. Cuca optou em manter a base do time que concentrou para o clássico de domingo, contra o C*uzeiro, vencido pelo rival, por 2 a 1.

    A única ausência ficou por conta do volante Serginho, que nos últimos três jogos atuou como lateral-direito. O jogador levou o terceiro cartão amarelo no clássico e terá de cumprir suspensão automática diante do Atlético-PR.

    Como Patric foi afastado do grupo pelo treinador, Cuca não levará a Curitiba nenhum especialista na lateral direita. Os meias Bernard e Mancini, relacionados, são os principais cotados para ocupar a vaga de Serginho.

    O elenco atleticano se reapresentou ao técnico Cuca na manhã desta segunda-feira, na Cidade do Galo, em Vespasiano. Os atletas que atuaram como titular diante do C*uzeiro fizeram apenas atividade na academia, enquanto os demais atletas trabalharam em campo, orientados por Cuquinha, irmão e assistente do técnico.

    JOGADORES RELACIONADOS POR CUCA

    POSIÇÕES

    JOGADORES

    Goleiros

    Renan Ribeiro e Giovanni

    Laterais

    Triguinho e Eron

    Zagueiros

    Réver, Leonardo Silva, Werley e Lima

    Volantes

    Pierre, Richarlyson e Fillipe Soutto

    Meias

    Caio, Bernard, Daniel Carvalho e Mancini

    Atacantes

    Neto Berola, Guilherme, André e Magno Alves



    Escrito por PLINS às 23h41
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS

    O MOVIMENTO É FORTE!

    FORA, ALEXANDRE KALIL!

    http://www.orkut.com/CommMsgs?tid=5635443825408800997&cmm=145124&hl=pt-BR

    http://riograndedogalo.blogspot.com/2011/07/fora-kalil.html

    http://canelada.com.br/atletico-mg/um-pedido-adeus-kalil/

     



    Escrito por PLINS às 23h36
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DA SUL-AMERICANA

    BOLÃO DA COPA SUL-AMERICANA 2011

     

    Melhores apostadores da 3.ª semana

    1.º Renato Alexandre: 1.027 pontos (53% do total)

    2.º Jorge Luiz: 767 (39%)

    3.º Nelson Roberto: 754 (39%)

     

     

    Ranking

    1) Renato Alexandre: 2.487 pontos (54.º no TOP 100 do Bolão Vip)

    2) Jorge Luiz: 2.455 (62.º no TOP 100 do Bolão Vip)

    3) Paulo Santos: 2.006

    4) Nelson Roberto: 1.973

    5) Carlos Magno: 1.884

    6) Wallace Siqueira: 1.692

    7) Paulo Lins: 1.638

    8) Gilberto Couto: 1.264

    9) Fábio Luiz: 716

     

     

    Zebra da semana

    Juan Aurich/PER 1x2 La Equidad/COL – 481 pontos concedidos

     

    Barbada da semana

    Independiente Santa Fé/COL 2x0 Universidad Cesar Vallejo – 1.612 pontos concedidos



    Escrito por PLINS às 23h22
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALOUBURRA OU GALOUPUTA?

    Organizadas do Atlético entram em confronto próximo à Arena do Jacaré

    GUILHERME GUIMARÃES
    Siga em: twitter.com/OTEMPOonline


    SETE LAGOAS - Os recentes protestos de uma facção organizada do Atlético desagradaram a maior torcida do clube. E aqueles que tem o papel de torcer e apoiar a equipe, protagonizaram cenas lamentáveis, com dois minutos de pancadaria na tarde deste domingo, em frente aos portões de entrada para as arquibancadas da Arena do Jacaré.

    A Polícia Militar precisou conter os grupos que se envolveram na confusão e, segundo o tenente coronel Alex, da PM, os brigões foram levados para prestar esclarecimentos no posto policial do estádio de Sete Lagoas.

    "Levamos (para o posto policial do estádio) alguns membros, das duas torcidas, e conversamos com o líder de cada uma. Vamos fazer o registro da ocorrência. Falei com os líderes, que a convivência entre eles deve ser feita numa boa. Ainda veremos o que deve ser feito com eles (torcedores envolvidos na briga)", detalhou.

    Pelo Twitter, membros da torcida Esquadrão afirmaram que foram abordados na entrada do estádio e começaram a ser agredidos pelos torcedores da Galoucura.


    SÓ MESMO A GALOUCURA! EM JOGO SEM TORCIDA RIVAL, OS ANIMAIS CONSEGUEM ARRUMAR BRIGA COM TORCEDORES DO MESMO TIME!

    E QUAL O MOTIVO DA BRIGA?

    ALEXANDRE KALIL!

    A GALOUCURA, QUE VIROU GALOUBURRA, AGORA MAIS PARECE A GALOUPUTA! SÃO AS PUTINHAS DO ALEXANDRE KALIL! MESMO COM O TIME NA DRAGA QUE ESTÁ, VICE-LANTERNA DO BRASILEIRÃO, ELES NÃO PERDEM O HÁBITO, CONTINUAM BABANDO O OVO DO ALEXANDRE KALIL!

    QUE DECADÊNCIA!

    ESTÁ PASSANDO DA HORA DE O MINISTÉRIO PÚBLICO FECHAR ESSA GANG COM FACHADA DE TORCIDA DE TIME DE FUTEBOL!




    Escrito por PLINS às 23h41
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ALEXANDRE KALIL + EDUARDO MALUF + CUCA = REBAIXAMENTO

    POR QUANTOS DOMINGOS TEREMOS QUE FALAR A MESMA COISA?

    O MAIOR PESO DO GALO CHAMA-SE ALEXANDRE KALIL! 

    NUM JOGO EM QUE O C*UZEIRO, PRA VARIAR, ATUOU COMO TIME PEQUENO, NA RETRANCA, E VENCEU COM UM GOL EM IMPEDIMENTO E OUTRO EM FALHA DO NOSSO GOLEIRO, SÓ PODEMOS APELAR PARA O SOBRENATURAL: ALEXANDRE KALIL É ASA NEGRA DO GALO! COM ELE NO COMANDO DO CLUBE, SÓ ACUMULAREMOS FRACASSOS E VEXAMES!

    A SEGUNDA DIVISÃO ESTÁ CADA VEZ MAIS PRÓXIMA, O TREINADOR, COMO É TÍPICO, SÓ SABE CHORAR, E O PRESIDENTE ALEXANDRE KALIL AINDA PENSA EM REELEIÇÃO!

    QUAIS SERÃO SUAS PRÓXIMAS ATITUDES?

    VAI BANCAR NOVAMENTE O DEMAGOGO E AFASTAR MAIS JOGADORES DA BASE, COMO RENAN RIBEIRO E ERON, PERSEGUIDOS HOJE PELOS TORCEDORES MAIS IDIOTAS DO BRASIL?

    ALIÁS, A TORCIDA DO GALO ESTÁ CADA DIA PIOR, ESTÁ VIRANDO UM REFLEXO DO ATUAL PRESIDENTE. NÃO AJUDA E AINDA ATRAPALHA!

    FUI LÁ NA ARENA DO JACARÉ HOJE PASSAR RAIVA, RAIVA COM ESSES IDIOTAS QUE PENSAM QUE VAIA RESOLVE ALGUMA COISA, RAIVA AO LEMBRAR QUEM PAGOU O PATO PELA MONTAGEM DE UM TIME COM JOGADORES DECADENTES E SEM CONDIÇÕES DE JOGO - EM VEZ DO ALEXANDRE KALIL, DORIVAL JÚNIOR, GIOVANNI AUGUSTO, WENDEL, ROGER E LELEU.

    O GALO VIROU UM AMONTOADO DE ERROS, E AGORA É TARDE PARA REVERTER A MAIORIA DELES. NÃO DÁ PRA MANDAR UM TIME INTEIRO EMBORA. 

    SE TECNICAMENTE O GALO TEM POUCAS SOLUÇÕES, QUE SEJA TOMADA AO MENOS UMA MEDIDA DRÁSTICA PARA AFASTAR ESSA NUVEM NEGRA DO GALO:

    TIREM O ALEXANDRE KALIL DA PRESIDÊNCIA DO GALO DE QUALQUER JEITO!

    DITADOR NÃO LARGA O PODER POR INICIATIVA PRÓPRIA, TEM QUE SER BANIDO PELO POVO!

    TORCIDA DO GALO, INSPIRE-SE NO EXEMPLO DOS LÍBIOS, DOS EGÍPCIOS!

    FORA, ALEXANDRE KALIL!



    Escrito por PLINS às 22h28
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ATLÉTICO 1x2 C*UZEIRO

     

    MONTILLO FAZ DOIS GOLS E DECIDE CLÁSSICO MINEIRO


    Lancepress

     

    Com dois gols de Montillo, o C*uzeiro superou o Atlético, por 2 a 1, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, na noite deste domingo, em partida válida pela 19ª rodada do Brasileiro. Com o resultado, o Galo permanece com 15 pontos e está na 19ª colocação, na zona de rebaixamento. Já o C*uzeiro com 27 pontos, está na sétima colocação.

     

    Próximos confrontos

    Agora, na abertura do returno do Campeonato Brasileiro, o Atlético viaja até Curitiba, às 20h30, na quarta-feira, onde encara o Atlético-PR na Arena da Baixada. No mesmo dia e horário, C*uzeiro, em Ipatinga, no Lamegão, encara o Figueirense.

     

    O jogo

    Empurrado pela torcida, o Galo começou o jogo melhor, explorando as jogadas pelo lado esquerdo de ataque. Logo aos dois minutos, Eron avançou e cruzou rasteiro. Guilherme se adiantou aos c*uzeirenses e finalizou de canhota, a bola passou raspando a trave de Fábio. A Raposa não se intimidou com a pressão do adversário e dos torcedores e tentava explorar os contragolpes. Aos seis minutos, após corte falho da zaga atleticana, Wellington Paulista chutou de fora da área, mas a bola subiu demais. Seis minutos depois, o C*uzeiro aproveitou a defesa desarrumada do Alvinegro para abrir o marcador. Wellington Paulista deu belo passe para Montillo, em posição duvidosa, deslocar Renan Ribeiro com um toque. Esse foi o primeiro gol do argentino em confrontos contra o Galo. Irritado, um torcedor atirou um tênis no gramado.

    Os mandantes tentaram empatar na sequência. Serginho fez boa jogada pela direita e cruzou para a área, a bola passou na frente da meta, sem ninguém para empurrar para as redes. A Raposa seguia mais tranquila na partida. Em boa tabela com Wellington Paulista, Anselmo Ramon finalizou quase sem ângulo, Renan Ribeiro fez a defesa parcial e Réver afastou o perigo. No lance seguinte, Paulista sentiu uma lesão na coxa em disputa de bola com Leonardo Silva. O cruzeirense foi substituído por Charles.

     

    C*uzeiro mais defensivo com a substituição

    Com apenas um homem no ataque, o time celeste ficou mais retraído. Os alvinegros aproveitaram a postura defensiva do rival e partiram para cima. Aos 25 minutos, Serginho aproveitou rebote da zaga c*uzeirense e levantou a bola na área. O centroavante André, sozinho, cabeceou fraco e no centro do gol, Fábio defendeu com segurança. Richarlyson, aos 28, arriscou de longa distância, o chute saiu muito torto. A torcida atleticana perdeu a paciência com Ricky e esboçou algumas vaias quando o volante pegava na bola.

    A Raposa seguia com um meio de campo muito compacto, confiando nas roubadas de bola e nos contra-ataques. Montillo e Anselmo Ramon tentavam usar da velocidade para superar os zagueiros atleticanos. Em uma dessas chegadas, Anselmo abriu pela ponta esquerda e cruzou para área, o camisa 10 celeste subiu muito, mas cabeceou nas mãos de Renan Ribeiro.

    Aos 43 minutos, Guilherme e Serginho inverteram posições. O atacante foi para direita e centrou para o lateral, no comando da área, que cabeceou bem, mas Fábio fez grande defesa, evitando o empate. No final da primeira etapa, Diego Renan também sentiu lesão. O lateral-esquerdo teve que ceder posição para Gilberto.

     

    Segundo tempo

    O técnico Cuca resolveu arriscar e voltou do intervalo com duas substituições ofensivas: Neto Berola e Daniel Carvalho entraram no lugar de Eron e Caio, respectivamente. A etapa final, entretanto, começou morna, com muitos erros de passes de ambas equipes. A bola parecia queimar no pé dos jogadores.

    O C*uzeiro abusava dos chutões, o que facilitava o desarmes dos altos zagueiros atleticanos. A situação fez com que o Atlético pressionasse bastante a equipe da Toca da Raposa. Aos cinco minutos, o Galo já criou uma situação de perigo. Filipe Soutto cruzou para área, Neto Berola e Fábio não acharam a bola, que saiu pela linha de fundo.

     

    Empate alvinegro

    Aos 11, a pressão alvinegra surtiu efeito. O volante Filipe Soutto teve liberdade para avançar pela intermediária e soltou um foguete, Fábio sequer esboçou reação e a bola morreu nas redes c*uzeirenses. Um golaço! Dessa vez, eufórico, um torcedor jogou o chinelo próximo ao goleiro celeste.

    A torcida do Atlético incendiou e começou a cantar bastante. O time seguiu a animação vinda das arquibancadas e mandava na partida. A Raposa, muito tímida, não encontrava opções para criar jogadas ofensivas. O meio de campo azul e branco se posicionava muito distante dos homens de frente.

    Aos 25, Naldo salvou um gol claro. André ajeitou de cabeça para trás, Magno Alves soltou a bomba da marca do pênalti, o zagueiro celeste colocou a coxa e evitou o gol. Joel Santana tentou corrigir a postura defensiva c*uzeirense e colocou mais um atacante em campo. Ortigoza entrou no lugar de Roger. Montillo, que estava no ataque, voltou para a função de armador. Aos 37, Filipe Soutto, melhor jogador em campo pelo Atlético, cobrou falta com muita força, o goleiro do C*uzeiro só acompanhou a saída da bola.

     

    Craque decide

    Montillo, aos 42 minutos, fez falta e recebeu cartão amarelo. O jogador não irá atua contra o Figueirense. No lance seguinte, o argentino mostrou que craque decide jogo. O camisa 10 driblou o seu marcador e finalizou de longe, Renan Ribeiro demorou a pular na bola e permitiu a vitória celeste. O goleiro foi ofendido pelos torcedores alvinegros, que se dirigiram para atrás da meta atleticana

    FICHA TÉCNICA
    ATLÉTICO 1 X 2 C*UZEIRO

    Estádio: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
    Data-Hora: 28/8/2011 - 18h (horário de Brasília)
    Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa-SP)
    Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG) e Helbert Costa Andrade (MG)
    Renda e público: R$ 85.640,00 / 16.726 pagantes
    Cartões amarelos: Serginho (Atlético), Fabrício, Fábio, Montillo e Naldo (C*uzeiro)
    Cartões vermelhos: -
    Gols: Walter Montillo (12´, 1ºT e 43´ 2ºT) e Filipe Soutto (11', 2ºT)

    ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Léo Silva e Eron (Daniel Carvalho, intervalo); Pierre, Richarlyson, Filipe Soutto e Caio (Neto Berola, intervalo); André e Guilherme (Magno Alves, 17´ 2ºT). Técnico: Cuca.

    C*UZEIRO: Fábio; Vitor, Léo, Naldo e Diego Renan (Gilberto, 42´1ºT); Marquinhos Paraná, Fabrício, Roger (Ortigoza, 28' 2ºT) e Montillo; Anselmo Ramon e Wellington Paulista (Charles, 20´1ºT). Técnico: Joel Santana.

     

     



    Escrito por PLINS às 22h24
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A HISTÓRIA DO PRIMEIRO CAMPEÃO BRASILEIRO

     

    HÁ 40 ANOS - CAPÍTULO 5

    Em 28 de agosto de 1971, o GALO viajou até Recife, onde enfrentou o Sport no Estádio da Ilha do Retiro, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

    Sem grandes destaques, nem tradição em competições nacionais, o Sport Recife vinha fazendo uma campanha fraca no Brasileirão. Começou até bem, vencendo o Flamengo, em Recife, mas depois sofreu três derrotas e conquistou um empate.

    Já o GALO, depois de dois empates, venceu Flamengo e Bahia, aproximando-se do líder, Grêmio.

    E o GALO esteve perto de vencer a terceira: logo aos 20 minutos de jogo, Vanderlei Paiva abriu o placar para o time de Telê Santana. Mas quando faltavam apenas 20 minutos para o jogo terminar, com um gol contra de Humberto Monteiro, o Sport chegou ao empate.

    7.726 torcedores acompanharam a partida, proporcionando uma renda de Cr$45.806,00 (quarenta e cinco mil oitocentos e seis cruzeiros).

     

    PLACAR FINAL: SPORT RECIFE 1x1 ATLÉTICO

     

    Escalação do GALO: Renato, Humberto Monteiro, Normandes, Vantuir e Oldair; Vanderlei Paiva e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Lola e Romeu.

     

    Demais resultados da sétima rodada do Grupo "B": São Paulo 0x0 Flamengo, Bahia 0x0 América Mineiro

    Classificação do grupo: 1.º Grêmio 9 pg; 2.º Santos e Atlético - 7; 4.º Botafogo e Bahia – 6; 6.º América Carioca – 5; 7.º São Paulo, Sport Recife, América Mineiro e Flamengo – 4.

     


    fontes:

    BOLA NA ÁREA

    http://www.bolanaarea.com/brasileirao_1971.htm

    O CANTO DO GALO

    http://100anosgalo.blogspot.com/

    ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL

    http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Campeonato_Brasileiro_1971

    FUTPÉDIA

    http://futpedia.globo.com/

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 73, 06/08/1971.

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 1118B, Agosto de 1996.

     

     



    Escrito por PLINS às 12h24
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO x SMURFETE

     

    ATLÉTICO E C*UZEIRO FAZEM CLÁSSICO PARA IMPULSIONAR A CAMPANHA NO RETURNO

     

    Jogo poderá servir como trampolim para clubes pensarem em tempos melhores e treinadores se garantirem em seus cargos com, pelo menos, maior estabilidade


    Daniela Mineiro e Thiago de Castro - Superesportes

     

    No Campeonato Brasileiro, nem Atlético nem C*uzeiro conseguiram agradar os seus torcedores no turno, que se encerra neste domingo com o clássico entre as duas equipes. A partida começa às 18 horas e terá torcida única do Alvinegro na Arena do Jacaré. O duelo pode servir como trampolim para o vencedor fazer uma campanha mais digna na segunda parte da competição.


    O Galo chega para o duelo com apenas 15 pontos conquistados em 18 jogos. O desempenho de apenas 27,7% deixa o clube na zona do rebaixamento. A Raposa está melhor, mas não consegue agradar e patina no meio da tabela. São 24 pontos até o momento e um rendimento de 44,4%.

    Vencer o clássico poderá representar um impulso extra para um dos rivais mineiros almejar melhores posições a partir do returno. Além disso, voltar de Sete Lagoas com três pontos na bagagem será importante para garantir, pelo menos a curto prazo, a continuidade do trabalho dos treinadores.

    No Atlético, a demissão de Dorival Júnior e a chegada de Cuca, que assumiu no último dia 8, não mudou a rotina de derrotas da equipe. O novo comandante alvinegro ainda não sentiu o gostinho da vitória com o Galo. Em cinco jogos no comando do clube, foram cinco derrotas. Outro resultado negativo, ainda mais diante do maior rival, pode ameaçar o treinador.

    Do lado celeste, Joel Santana, substituto de Cuca, passou e ainda passa por momentos de transição no clube. Primeiro, ele precisou adequar o time ao seu estilo tático de jogar. Agora, o treinador convive com a saída de jogadores e a chegada de outros. Com as remontagens em andamento no meio do campeonato, o futebol ainda não emplacou. A partida deste domingo é uma chance boa para agradar.

    Atlético: chance para embalar com dupla nova

     

    O clássico deste domingo é encarado pelos jogadores do Atlético como uma ótima oportunidade para dar a volta por cima e começar a recuperação no Campeonato Brasileiro. A equipe, que não vence há oito jogos, precisa da vitória para entrar no returno com astral renovado.

    “A gente ganhando esse clássico vai dar uma motivação a mais para começar essa fuga da zona de rebaixamento. Por tudo que envolve e por a gente estar jogando com a nossa torcida, é respeitar o C*uzeiro sempre, mas temos obrigação de vencer”, destacou o volante Richarlyson.

    Para buscar os três pontos, o Galo contará com o apoio do torcedor, que promete lotar a Arena. Outra aposta da equipe alvinegra é o técnico Cuca, que, até meados de junho, comandava o C*uzeiro.

    A escalação do time é um mistério. Nos dois trabalhos táticos comandados por Cuca, o treinador fechou o treino e não divulgou nem a lista de relacionados. A principal novidade pode ser a escalação de André e Guilherme no ataque titular. A dupla, que foi um alto investimento do clube, ainda não atuou junta.

    C*uzeiro: força do elenco colocada à prova

    O mercado de transferências deixou o C*uzeiro sem jogadores importantes. Da zaga, Gil foi para a França. No ataque, a velocidade, antiga arma que já garantiu muitos pontos para o time celeste, foi embora, com as vendas de Thiago Ribeiro e Dudu.

    A força do grupo da Raposa será testada na Arena do Jacaré, enquanto reforços como Cribari e Charles ainda não tem seqüência e Bobô e Keirrison não estreiam.

    O time titular não foi confirmado por Joel Santana. Além das vendas, o C*uzeiro tem o desfalque de Victorino, que se recupera de lesão muscular na coxa esquerda e precisa aprimorar o condicionamento físico.

    “Quando é um jogo assim, especial, os treinadores sempre têm algo diferente para colocar. Tanto o Cuca como o Joel e não vai ser diferente”, analisa o volante Marquinhos Paraná.

    Atlético x C*uzeiro

    Atlético
    Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Leonardo Silva e Eron; Pierre, Richarlyson, Bernard e Caio; Guilherme e André.
    Técnico: Cuca

    C*uzeiro
    Fábio; Vitor, Naldo, Leo e Diego Renan; Fabrício, Marquinhos Paraná, Roger e Montillo; Anselmo Ramon e Wellington Paulista.
    Técnico: Joel Santana

    Motivo:
     19ª rodada do Campeonato Brasileiro
    Estádio:
     Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG)
    Data: 
    28/08/2011, às 18 horas
    Árbitro:
     Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa/SP)
    Assistentes:
     Guilherme Dias Camilo (MG) e Helbert Costa Andrade (MG)


     

    Ganhar o clássico hoje não garante nada de bom para o GALO: o time fecharia o turno com 18 pontos e necessitaria de 27 no returno para garantir a permanência na Série "A". Para se ter uma ideia da dificuldade, o Fluminense, que também não emplacou no campeonato mas teve campanha melhor, fechou o turno com menos que isso, 25 pontos.

    Se perder o clássico, o GALO dificilmente escapa da degola, porque além da obrigação de buscar 30 pontos no returno, o moral da equipe vai lá embaixo, o treinador deve cair, e o ditador vai encarar uma briga e tanto com a torcida.

     



    Escrito por PLINS às 10h16
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011

     

    Melhores apostadores da 8.ª rodada (números definitivos)

    1.º Wallace Siqueira: 2.368 pontos (54% do total)

    2.º Vavá “Bica eles, Galo”: 2.319 (52%)

    3.º Marcos Lins: 2.215 (50%)

     

    Zebra da rodada

    Botafogo 1x1 Atlético/GO – 255 pontos concedidos

     

    Barbada da rodada

    Santos 2x1 Fluminense – 5.976 pontos concedidos

     

    Placar mais fácil

    Santos 2x1 Fluminense – 6 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Ceará 3x0 Atlético, Botafogo 1x1 Atlético/GO e Coritiba 3x0 Figueirense – nenhum palpite exato

     

     

    Melhores apostadores da 18.ª rodada

    1.º Jorge Luiz: 2.691 pontos (47% do total)

    2.º Paulo Santos: 2.139 (37%)

    3.º Renato Alexandre: 1.794 (31%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 26.523 pontos

    2) Jorge Luiz: 25.855

    3) Albino Júnior: 24.044

    4) Renato Alexandre: 23.139

    5) Marcos Lins: 22.826

    6) Paulo Santos: 22.595

    7) Carlos Magno: 22.230

    8) Mário Barros: 21.900

    9) Paulo Lins: 21.890

    10) Vavá "Bica eles Galo": 21.816

    11) Nelson Roberto: 20.681

    12) Gilberto Couto: 17.634

    13) Fábio Luiz: 14.387

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

     

    Zebra da rodada

    Corinthians 0x2 Figueirense – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da rodada

    C*uzeiro 1x0 Ceará – 3.197 pontos concedidos

     

    Placares mais fáceis

    São Paulo 1x1 Palmeiras e Vasco 1x1 Fluminense – 3 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Botafogo 3x1 Atlético, Corinthians 0x2 Figueirense, Internacional 2x2 Flamengo e Atlético/PR 2x2 América – nenhum palpite exato

     



    Escrito por PLINS às 18h08
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    IMORALIDADE SOBRA NO FUTEBOL MINEIRO

    A notícia é da semana passada, e nem todos os órgãos de imprensa deram o devido destaque. Com tantos problemas no GALO, não pude comentar nada de imediato. Mas ouvindo as palavras do Alexandre Kalil ontem à tarde, entendi porque ele foi um dos omissos que permitiu a manobra do presidente da FMF.

     

    Schettino dá "cartada de mestre" para ficar até 2014

     

    Aliado de Ricardo Teixeira, Paulo Schettino alterou o estatuto da Federação Mineira de Futebol

     

    Rodrigo Rodrigues - Do Hoje em Dia - 19/08/2011 - 11:05

     

     

    Competência, merecimento ou falta de opção. Balizados por esses três argumentos, os representantes do futebol mineiro sacramentaram, na tarde de quinta-feira (18), a permanência de Paulo Schettino à frente da Federação Mineira de Futebol (FMF) até dezembro de 2014. Cumprindo o terceiro mandato, o dirigente deveria deixar o posto em dezembro do próximo ano. Contudo, a Assembleia Geral Extraordinária, realizada na sede da entidade, referendou a prorrogação da gestão até a Copa do Mundo no Brasil. 

    Este, inclusive, foi o principal argumento apresentado por Schettino para postular a alteração estatutária. O cartola, que assumiu o cargo em 2003, entende que, “por merecimento”, deve coroar seu ciclo à frente da FMF no ano em que o Brasil sediará o Mundial. 

    “Cheguei à Federação em março de 2003, com o desejo de organizar a casa, tendo em vista os problemas deixados pela gestão anterior (da qual Schettino era vice-presidente). Hoje, não temos dívidas com o município e o Estado, a quem pagamos R$ 14.518.310,86 em débitos fiscais, e estamos negociando com a União. Além disso, não possuímos dívidas com particulares, nem trabalhistas. Todos os funcionários e fornecedores recebem em dia”, disse.

    Somado a isso, Schettino ressaltou outros feitos no comando da entidade, como o bom relacionamento que cultiva com o aliado Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Tenho bom relacionamento com todas as autoridades, inclusive com a CBF, a quem representei na eleição da Fifa, este ano”, lembrou.

    Para alcançar seu desejo, Schettino contou com o apoio dos 17 clubes da Primeira Divisão (módulos I e II), sete da Segunda, 39 agremiações amadoras da capital e 60 ligas municipais. Apenas os representantes das ligas de Conselheiro Lafaiete e Nova Lima se mostraram contrários à prorrogação do mandato. “Ninguém é eterno em lugar nenhum, temos que abrir o espaço para que outras pessoas possam pleitear o cargo”, argumentou Abílio Couto, presidente da liga de Nova Lima.

    Os três principais clubes do Estado participaram da reunião e demonstraram estar plenamente satisfeitos com a gestão Schettino.

    “O Galo votou a favor porque ele vem fazendo um bom trabalho e nos representando bem. Que continue aí, trabalhando”, justificou Alexandre Kalil, presidente do Atlético.

    Gilvan de Pinho Tavares, vice-presidente do C*uzeiro, seguiu a mesma linha do dirigente rival. “Foi apenas uma prorrogação de mandato, porque vamos realizar a Copa do Mundo. A permanência do Paulo Schettino será muito auspiciosa, muito boa para o futebol mineiro”, avalia.
    Marcus Salum, integrante do conselho de administração do América, também aprovou a mudança, mas fez ressalvas quanto à estratégia de Schettino para se manter no poder.

    “O Paulo faz um grande trabalho, faz uma solicitação que é justa. Por isso, acho que ele merece essa cessão de mais dois anos. Contudo, o ideal seria que ele cumprisse o estatuto e terminasse o mandato no final do ano que vem. Nunca é ideal alterar o estatuto”, ponderou.

    Embora Kalil e Salum enalteçam o trabalho do atual presidente da FMF, eles reconhecem que, neste momento, ninguém demonstrou interesse em assumir o posto. 

    “Ninguém é candidato, ninguém quer. Não tem um movimento, não tem ninguém interessado”, apontou Kalil. “Não temos uma oposição real, uma outra opção que queira fazer um trabalho semelhante”, concorda Salum.

     

     

    Quando li essa notícia, não sabia se ria ou se chorava. Rir da cara-de-pau dos nossos dirigentes e de sua arrogância e sede de poder. Chorar por saber que estão, a cada dia, avacalhando cada vez mais nosso futebol.

    O maior absurdo é o sujeito alterar um estatuto para permanecer eternamente no comando de uma federação, e isso vale para tudo, qualquer tipo de instituição, principalmente fora do futebol.

    Mesmo um dirigente muito competente tem que se sujeitar às regras estabelecidas, muito mais inclusive àquelas que dizem respeito à alternância de poder. A monarquia já acabou no Brasil há muito tempo, mas todo dia surge alguém se achando imperador, com a ambição de governar, dirigir ou comandar até a morte qualquer coisa que lhe dê prestígio, status e, mais que qualquer outra vantagem, DINHEIRO!

    De olho na realização da Copa do Mundo no Brasil e com o dinheiro que irá rolar solto até lá, Paulo Schettino não iria deixar para outro essa mamata. Então, pra justificar suas intenções, apelou para sua “competência”, alegou que como já havia roído o osso, “nada mais justo do que ficar até a Copa do Mundo no Brasil” (frase proferida na matéria do dia anterior, no mesmo jornal Hoje em Dia, pág. 6 do caderno de esportes). Essa é autêntica confissão das más intenções do presidente da FMF. Se ele “roeu o osso”, ou seja, enfrentou tempos de penúria, porque largar a federação na hora do filé, quando fatalmente os órgãos federais e as empresas privadas lidarão com muito dinheiro nos preparativos e na realização da Copa do Mundo?

    A imoralidade do presidente da FMF não está ao alcance dos prefeitos, governadores e presidentes da república, porque a Constituição veda três mandatos consecutivos de mandatários do poder executivo. É permitida somente uma reeleição. Na FMF também ERA assim. Paulo Schettino era o vice-presidente de Elmer Guilherme, que foi afastado do cargo em 2003, justamente em virtude de improbidade administrativa, e assumiu o cargo na ocasião. Schettino, então, foi reeleito em 2004 e estaria inelegível para o pleito de 2008. Mas ele contrariou o estatuto e foi reeleito, apesar da tentativa do Ministério Público de anular a assembleia que permitiu uma nova candidatura dele. Ou seja, o atual presidente da FMF nem deveria estar atualmente no cargo, e agora conseguiu prorrogar o mandato até 2014, e muito provavelmente não irá largar o “trono” daqui a três anos.

    E houve a denúncia de um dirigente, segundo o HOJE EM DIA, de que os votos a favor da manobra de Schettino tenham sido “trocados” por “ingressos para a Copa das Confederações e para a Copa do Mundo”. O velho jogo do toma-lá-dá-cá!

    Quem poderia impedir essa manobra? Os presidentes dos clubes profissionais e amadores e das ligas de futebol amador. Houve rejeição à manobra apenas de um ou outro dos mais pobres, que devem sofrer na pele a ausência de alguém mais competente e honesto no comando da federação. Temendo perseguição, todos votaram a favor da imoralidade.

    Os presidentes de GALO e C*uzeiro, que também deveriam pensar no quanto é mal dirigido nosso futebol, acabaram por compactuar com Schettino.  As justificativas de Alexandre Kalil demonstram bem o que se passa em sua cabeça: “ninguém é candidato”, “não tem ninguém interessado”. Isso é justificativa típica de um aspirante a ditador, e ontem eu entendi isso quando o mesmo Alexandre Kalil, apesar de tudo de errado que aconteceu no GALO desde 2009, anunciou seu desejo de permanecer afundando o GALO, quer dizer, presidindo o GALO.

    O engraçado é lembrar que o mesmo Alexandre Kalil, que agora fala em “bom trabalho”, já chamou os dirigentes da FMF de “bandidos” em outras ocasiões. Aliás, bastava o GALO perder um jogo, para o Kalil perder a compostura e xingar todo mundo, principalmente da FMF. Agora, quando podia tirar os “bandidos” do poder, uniu-se a eles. Que nome se dá a esse tipo de atitude?

    Do C*uzeiro também não se podia esperar algo melhor. Afinal de contas, no lado mais fresco da Lagoa da Pampulha há uma dinastia no poder há bastante tempo.

    Com a anuência dos pequenos ditadores de GALO e C*uzeiro, Schettino continua mandando na FMF. Assim, os clubes do interior mineiro continuarão falidos, e seus estádios, em petição de miséria. Em nível nacional, GALO e C*uzeiro continuarão sendo garfados pela arbitragem, pois a CBF reconhece que Minas Gerais é uma federação fraca, ainda que seu presidente seja um dos baba-ovos de Ricardo Teixeira.

    O exemplo de imoralidade vem de cima (CBF), passa pela federação e termina na presidência dos dois maiores clubes do Estado.

    Ontem, Alexandre Kalil admitiu que “está muito bom ser presidente”, e eu concordo. Está muito bom ser presidente do GALO, do C*uzeiro, da FMF... Ninguém quer largar a mamata!

    Pobre Minas Gerais!



    Escrito por PLINS às 11h37
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A HISTÓRIA DO PRIMEIRO CAMPEÃO BRASILEIRO

    HÁ 40 ANOS - CAPÍTULO 4

    25 de agosto de 1971: pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o GALO goleou o Bahia por 4 a 0, no Mineirão. Oldair abriu o placar aos 20 minutos; Lola duas vezes, aos 43 e 49, e Dario, aos 59, completaram a primeira goleada do time treinado por Telê Santana, segunda vitória consecutiva na competição. O público pagante foi de 19.037 torcedores, e a renda, Cr$104.175,00 (cento e quatro mil cento e setenta e cinco cruzeiros).

     

    PLACAR FINAL: ATLÉTICO 4x0 BAHIA

     

    Escalação do GALO: Renato, Humberto Monteiro, Normandes, Vantuir e Cincunegui (Oldair); Vanderlei Paiva e Spencer; Ronaldo (Salvador), Dario, Lola e Romeu.

     

    O GALO não jogou pela quinta rodada de seu grupo, que teve os seguintes resultados: Sport Recife 0x0 São Paulo, Santos 0x0 América Carioca, Grêmio 1x1 Botafogo.

    Demais resultados da sexta rodada: Botafogo 2x1 América Mineiro, Grêmio 2x0 Sport Recife, Flamengo 1x1 América Carioca.

    Classificação: 1.º Grêmio 9 pg; 2.º Santos – 7; 3.º Atlético e Botafogo – 6; 5.º Bahia e América Carioca – 5; 7.º São Paulo, Sport Recife, América Mineiro e Flamengo – 3.

     

     

    fontes:

    BOLA NA ÁREA

    http://www.bolanaarea.com/brasileirao_1971.htm

    O CANTO DO GALO

    http://100anosgalo.blogspot.com/

    ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL

    http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Campeonato_Brasileiro_1971

    FUTPÉDIA

    http://futpedia.globo.com/

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 73, 06/08/1971.

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 1118B, Agosto de 1996.


     



    Escrito por PLINS às 22h41
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    SHOW PIROTÉCNICO

     

    Em meio à crise, Kalil anuncia que será candidato à reeleição no Atlético

     

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda
    Em Vespasiano (MG)


    O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, que convocou a imprensa e concedeu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, na Cidade do Galo, anunciou que será candidato à reeleição à presidência do clube mineiro, em pleito a ser realizado em dezembro deste ano.

    “Sou candidato à presidência do Atlético no final do ano, o Conselho Deliberativo pode consagrá-lo ou não. Se há algum movimento querendo me desestabilizar como presidente, esqueçam. É legitimo que qualquer atleticano dentro da legalidade tem direito, porque agora está bom ser presidente do Atlético”, observou Alexandre Kalil.

    O dirigente assumiu a presidência do Atlético em 2009, em momento político bastante conturbado, depois da renúncia do então presidente Ziza Valadares, que não suportou a pressão da torcida.

    De acordo com o presidente, a decisão da reeleição foi tomada em conjunto com a sua família. “Depois de uma longa conversa com a minha família, que se resume aos meus filhos, porque não tenho mulher, namorada, e eles acharam por bem que eu deveria fazer uma declaração para a torcida do Atlético e responder a todos pelo momento que passamos”, destacou Kalil.

    O presidente atleticano afirma que pretende seguir os passos de outros clubes e, no próximo triênio, como presidente do clube “colher os frutos plantados” por ele. “Eu quero colher o que foi plantado aqui dentro, eu vou colher. Isso foi feito no Internacional, no Santos”, afirmou Kalil.

    “No Internacional quem organizou foi Fernando Miranda, que ninguém lembra o nome dele. No Santos foi o Marcelo Teixeira quem organizou. O Atlético anda muito bem obrigado, o orçamento deste ano já está fechado, não tem nenhum problema, contratempo”, observou Alexandre Kalil.

    Ao longo dos três anos à frente do Atlético, Alexandre Kalil conviveu mais com a briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, como aconteceu em 2010 e se repete agora em 2011. O presidente soma apenas um título, do Campeonato Mineiro de 2010. Apesar dos momentos difíceis no futebol, o mandatário afirma não ter pensado em deixar o comando do clube mineiro.

    “Apesar de tudo, ser presidente do maior clube de Minas Gerais é uma honra, você é tratado de maneira especial. Eu me sinto o Lula do Atlético, o Atlético é igual a um país. Acho que ele não tem o mesmo amor pelo Brasil como tenho pelo Atlético, deve ter um amorzinho”, ressaltou Alexandre Kalil.


     

    Além de Patric, mais quatro jogadores são afastados por Cuca no Atlético

     

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda
    Em Vespasiano (MG)


     

    A pedido do técnico Cuca, mais quatro jogadores foram afastados do grupo principal do Atlético. Assim como o lateral-direito Patric, os meias Wendel e Giovanni Augusto, o volante Toró e o lateral-esquerdo Guilherme Santos estão fora dos planos do treinador.

    Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, na Cidade do Galo, o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, disse que a intenção de Cuca é trabalhar com 27 jogadores no elenco. “Ele quer trabalhar com elenco menor”, observou o dirigente.

    A tendência é que esses jogadores sejam emprestados ou até mesmo tenham o contrato rescindido. Wendel e Giovanni Augusto, que chegou a ser titular com Dorival Júnior, vieram das categorias de base. Toró, Guilherme Santos e Patric foram contratados nesta temporada.

    Patric foi o primeiro a ser afastado por Cuca. Durante a derrota para o Corinthians, por 3 a 2, em Ipatinga, o lateral irritou o treinador ao ser substituído e deixar o campo caminhando lentamente. No dia seguinte, ele foi cortado do grupo.

    Além dos cinco afastados, o lateral-direito Roger e o meia-atacante Leleu, que foram promovidos ao elenco profissional nesta temporada, voltaram para a base do Atlético.

    Quando assumiu o Atlético, Cuca chegou a dizer que o grupo estava inchado, mas que naquele momento era importante porque o clube disputava duas competição. Com a eliminação na Sul-Americana na terça-feira passada, restou agora apenas no Brasileirão.

    Durante a entrevista coletiva, Alexandre Kalil negou que o Atlético remontou o elenco durante a temporada. “A gente contratou, não remontamos time no meio do campeonato, não. Fizemos o que todos os outros times também fizeram”, ressaltou o presidente atleticano.

    O Atlético é o 18º colocado (antepenúltimo) no Campeonato Brasileiro com apenas 15 pontos em 54 disputados e aproveitamento de 28%. O time mineiro não vence há seis rodadas e vem de quatro derrotas seguidas na competição.

     

     

    Hoje eu tive que interromper meu boicote à rádio Itatiaia, só pra saber se a notícia mais esperada do ano seria noticiada, a renúncia de Alexandre Kalil.

    Ao ouvir nas manchetes que, pelo contrário, Alexandre Kalil queria reeleição, minha pressão já começou a subir. Ao mesmo tempo, foi anunciado o afastamento de seis jogadores.

    Antes do noticiário propriamente dito, eu mesmo relacionei oito jogadores que tiveram atuações deprimentes nos dois últimos jogos: Leonardo Silva, Mancini, Daniel Carvalho, Richarlyson, Dudu Cearense, Magno Alves, Caio e Guilherme. Só mesmo o afastamento de uns seis desses jogadores, todos medalhões, justificaria uma entrevista coletiva do presidente do clube.

    Imaginem então minha surpreendente decepção quando foram anunciados os tais seis nomes. Quatro jogadores da base! Wendel jogou minutos pelo GALO em 2011, Giovanni Augusto mostrou mais futebol no campeonato mineiro do que vários outros jogadores do meio-campo, Leleu também não mostrou futebol pior que outros atacantes que permanecem no grupo, e Roger já deveria ser o titular do GALO porque o clube não tem lateral-direito.

    Somente Toró e Guilherme Santos merecem ficar fora do grupo.

    Mas um detalhe importante me incomoda: QUAIS DESSES SEIS JOGADORES ATUOU NAS ÚLTIMAS TRÊS PARTIDAS, OU MELHOR, NAS ÚLTIMAS TRÊS DERROTAS DO GALO?

    NENHUM!

    Toró e Guilherme Santos jogaram pela última vez na 16.ª rodada, na derrota para o Coritiba, há 11 dias!

     

    Então, o que significa essa medida “bombástica” da dupla CUCA e KALIL?

    A velha cortina de fumaça!

    Ou os bodes expiatórios de sempre!

    O treinador incompetente, que já dirigiu GALO e C*uzeiro em OITO partidas deste Brasileirão e conquistou somente três pontos (TRÊS EMPATES E CINCO DERROTAS) não tem culpa alguma pelo péssimo futebol das últimas cinco partidas, ou melhor, das últimas CINCO DERROTAS.

    E o presidente falastrão, que já contratou 70 jogadores e não conseguiu montar um timezinho sequer, também se acha tão bom no negócio que quer ficar mais três anos na presidência do clube.

     

    RIDÍCULA essa lista de afastados! Não era o caso de fazer anúncio e montar um verdadeiro show pirotécnico. Bastava o treinador comunicar à diretoria que queria trabalhar com um grupo menor e que alguns jogadores não estavam nos seus planos.

    Mas não! Para o momento delicado para a cabeça do Alexandre Kalil um corte de jogadores sem muito alarde de pouco serviria. Ele tinha que aproveitar a circunstância pra tentar faturar em cima do fato, como se esse afastamento fosse resolver todos os problemas do time no Brasileirão. Por isso foi armado o circo!

     

    Só mesmo aqueles torcedores bobos, os inocentes úteis de sempre vão engolir todo esse papo furado do atual presidente do GALO. Em vez de assumir sua incompetência para administrar um clube de futebol e entregar o cargo, o sujeito chama a imprensa, dá seu showzinho de quinta categoria de sempre e continua no clube. E ainda vem falar de faturamento superior ao do C*uzeiro. Ele só olha para o C*uzeiro! Por que não vai ser presidente por lá, então? Eu prometo que vou ajudar na campanha! Depois de Zezé Perrella, ninguém mais fez tanto pelo C*uzeiro do que Alexandre Kalil!

    E sobrou até para o Lula! O enganador se acha comparável ao melhor presidente que o Brasil teve nos últimos 50 anos. Na verdade, o Alexandre Kalil está mais próximo de ser o FHC do GALO! Acha que organizou o país, mas na verdade foi um mero vendedor! Se bem que o FHC foi um comprador melhor que o Kalil, pois conseguiu comprar até uma reeleição. Será que o Kalil pensa em fazer o mesmo?

     

    Certo é que esse afastamento também traz prejuízos ao clube. QUATRO jogadores formados no “melhor CT do Brasil” estão desvalorizados, não servem nem para o DÉCIMO OITAVO TIME DO BRASIL! Servirão para quem, então?

     

    Algo será diferente no jogo de domingo por causa dos anúncios de hoje? Sabe-se lá! Na minha opinião, uma vitória sobre o C*uzeiro será muito mais fruto das tradições do clássico e da rivalidade (aquela história de, muitas vezes, o aparentemente mais fraco se superar e derrotar o mais forte) do que de qualquer medida do treinador ou da diretoria. No entanto, a derrota, aliás, mais uma derrota nas costas do Cuca será destrutiva para o emocional do time e para o moral do treinador. Para o presidente, nem tanto, porque moral ele já não tem mais nenhuma.


     



    Escrito por PLINS às 21h06
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    BOTAFOGO 1x0 ATLÉTICO

    GALO DÁ ADEUS À SUL-AMERICANA COM MAIS UMA DERROTA SOB O COMANDO DE CUCA

    Atlético perdeu por 1 a 0 para o Botafogo, no Engenhão

     

    Rodrigo Fonseca - Superesportes

    O Atlético até lutou, mas o resultado não saiu da rotina: o time foi derrotado por 1 a 0 pelo Botafogo, no Engenhão, e deu adeus à Copa Sul-Americana. Foi a quinta derrota do Galo em cinco jogos sob o comando de Cuca. Fora do torneio continental, o Atlético encara agora a realidade do Campeonato Brasileiro. A equipe está na zona de rebaixamento. No domingo, fechando o turno, o adversário é o arquirrival C*uzeiro.

    Domínio infrutífero e castigo

    Com o Botafogo em ritmo lento, administrando a vantagem construída na partida de ida (vitória por 2 a 1), o Atlético dominou as ações no primeiro tempo. Marcando bem, o Galo criou mais, chutou mais, porém, quem festejou foi o Botafogo, no final da etapa.

    Apesar de ter construído mais jogadas de ataque, o Atlético, novamente, não teve presença de área, com Jonatas Obina apagado em campo e Guilherme nada produtivo.

    As oportunidades atleticanas começaram a surgir logo aos dois minutos, quando Serginho bateu da entrada da área, rente à trave. Dois minutos depois, foi a vez de Guilherme chutar, novamente para fora. Serginho teve outra chance e mais uma vez errou o alvo, aos 10 minutos.

    Mancini, que entrou aos 13 minutos no lugar de Dudu Cearense - saiu lesionado -, e Caio também arriscaram de fora da área. O goleiro Jefferson defendeu.

    Somente aos 43 minutos, o Botafogo deu o primeiro chute, numa cobrança de falta que Renan Ribeiro espalmou.

    Dois minutos depois, os cariocas abriram o placar com pênalti cobrado por Herrera. O lance foi muito reclamado pelos jogadores do Galo. Herrera dominou a bola no peito e foi atingido no rosto por Leonardo Silva, mas fora da área. O árbitro Wilson Luiz Seneme marcou a falta dentro da área.

    No segundo tempo, o Atlético manteve maior posse de bola. O Botafogo teve a primeira chance, aos 10 minutos, quando Caio perdeu a bola para Elkeson, que partiu em velocidade e quase fez um belo gol.

    O Galo lamentou uma bola de Magno Alves no travessão, aos 12 minutos, uma finalização de Mancini, aos 15, outra de Magno Alves, aos 22, e uma última de Daniel Carvalho, aos 33, e saiu de campo mais uma vez eliminado da Sul-Americana.

    BOTAFOGO 1 X 0 ATLÉTICO

    BOTAFOGO
    Jefferson; Lucas (Alessandro, 27min 2ºT), Gustavo, Fábio Ferreira e Cortês (Márcio Azevedo, intervalo); Marcelo Mattos, Lucas Zen, Felipe Menezes (Alex, intervalo), Maicosuel e Elkeson; Herrera
    Técnico: Caio Junior

    ATLÉTICO

    Renan Ribeiro; Serginho, Leonardo Silva, Réver e Eron; Fillipe Soutto, Richarlyson (Daniel Carvalho, 10min 2ºT), Dudu Cearense (Mancini, 15min 1ºT) e Caio; Jonatas Obina (Magno Alves, 7min 2ºT) e Guilherme
    Técnico: Cuca

    Motivo:
     Jogo de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana
    Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
    Data: 23/8/2011

    Gol: Herrera, 45min 1ºT

    Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
    Assistentes: Altemir Haussman (Fifa/RS) e Emerson de Carvalho (Fifa/SP)

    Cartão amarelo: Richarlyson, Leonardo Silva (ATL); Fábio Ferreira (BOT)

     

    A cada jogo, a cada derrota sob o comando de Cuca, eu fico me lembrando daqueles dois idiotas que levavam um cartaz nos últimos jogos do GALO sob o comando de Dorival Júnior,  com os dizeres: "Fora, Dorival, você não tem moral".

    Coitados! Será que já estão fazendo um novo cartaz? Será que até o fim do ano eles acertam o texto e pedem a saída do sujeito certo?

    Do jogo de hoje, até o mais burro dos mortais alfabetizados percebeu que com Magno Alves, Mancini, Richarlyson e Daniel Carvalho o destino do GALO é segunda divisão mesmo! Mancini e Richarlyson são de longe os piores. Não acertam nada! E o coitado do Mancini, no único lance que acertou, estava em impedimento.

    Mais uma derrota, mais uma derrota para o Botafogo, mas dos males o menor: jogaremos menos até o fim do ano com o adeus à Sul-Americana!

     



    Escrito por PLINS às 22h47
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    SERIA MALDIÇÃO?

     

     

    Cinco times no Brasileirão cujo nome principal começa com a letra A, e quatro deles na Zona de Rebaixamento!

    E o outro não está muito longe e já foi integrante também.

    No ano passado, os três Atléticos também passaram apertado no Brasileirão. Será que este ano é impossível a permanência dos três?



    Escrito por PLINS às 11h31
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    FRUTA PODRE

    Aos que criticavam Dorival Júnior pela rescisão do contrato com Jobson:


    Atacante Jobson não joga mais pelo Bahia, diz nota oficial

    Em reunião na tarde desta segunda-feira, diretoria do clube tricolor decide desligar o jogador do elenco após atrasos em treinos e viagens




    Escrito por PLINS às 10h28
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     

    Com boa vantagem, Botafogo recebe Atlético no jogo de volta da Copa Sul-Americana

    Do UOL Esporte 
    No Rio de Janeiro

    Botafogo e Atlético voltarão a se enfrentar nesta terça-feira, às 20h15, no Engenhão, pela Copa Sul-Americana. No último sábado, os cariocas venceram os mineiros por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

    No primeiro jogo pela competição internacional, em Ipatinga, o Atlético perdeu por 2 a 1. Os gols da partida foram marcados por Herrera e Maicosuel para os visitantes, enquanto Richarlyson descontou para os mandantes. Com o resultado, o Botafogo pode perder por até um gol de diferença que estará classificado.

    O técnico Caio Júnior decidiu poupar o volante Renato. Após realizar alguns exames, ficou constatado que o jogador apresentava um cansaço muscular. O mesmo poderá acontecer com outros jogadores, como Maicosuel. Lucas Zen deverá ser o titular no meio campo.

    Já o Atlético vive um momento complicado na temporada, tentando salvar a única chance de título do ano. Além de toda a pressão pelos resultados negativos, o Galo não vence há sete jogos, sendo seis pelo Campeonato Brasileiro e um pela Sul-Americana. O retrospecto negativo de Cuca também preocupa. Desde que assumiu a equipe, o time perdeu os quatro jogos que disputou.

    Para o jogo desta terça-feira, o Atlético terá apenas seis atletas no banco de reservas, incluindo um goleiro, já que o atacante André foi cortado por lesão. Por opção do técnico Cuca, nenhum outro atleta inscrito na competição foi acionado para se juntar à delegação no Rio de Janeiro.

     

    BOTAFOGO X ATLÉTICO

     

    DATA: 23/08/2011 (terça-feira)

    HORÁRIO: 20H15 (Brasília)

    LOCAL: Engenhão (Rio de Janeiro)

    ÁRBITRO: Wilson Luiz Seneme (Fifa/SP)

    AUXILIARES: Altemir Haussman (Fifa/RS) e Emerson de Carvalho (Fifa/SP)

    Botafogo: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Lucas Zen, Felipe Menezes e Maicosuel; Herrera e Alex.

    Técnico: Caio Júnior

    Atlético: Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Leonardo Silva e Eron; Richarlyson, Dudu Cearense, Fillipe Soutto e Daniel Carvalho; Magno Alves e Guilherme

    Técnico: Cuca

     

     

    Na minha opinião, um dia essa história de tabu e de freguesia é que irá derrubar o Botafogo. O time irá se considerar tão superior no confronto que, mesmo diante de um GALO não tão forte (como o de hoje), irá perder, seja em Minas Gerais, seja no demoníaco Engenhão.

    Pra variar, hoje é aquela noite da dúvida: vale a pena continuar na Copa Sul-Americana? Sempre fui contra o GALO desistir da competição, mas não defendo essa ideia com unhas e dentes. O que tiver que acontecer que aconteça. O Fluminense já provou que é possível escapar do rebaixamento e chegar à decisão do título da Sul-Americana. O Goiás também provou que é possível ser rebaixado e quase ser campeão, no ano passado. Claro que todo mundo prefere que o GALO fuja do rebaixamento, por isso não podemos correr riscos de perda de jogador por contusão ou fadiga com o excesso de jogos nos três últimos meses de futebol no ano. Sob esse ponto de vista, uma vitória por 1 a 0 hoje resolve ao menos dois problemas do GALO.

    A escalação do GALO acima não é a que foi originalmente publicada pelo UOL ESPORTE. O site incluiu Bernard no time, mas ele não está relacionado para a Sul-Americana. Até o mineiro Superesportes "comeu mosca", pois publicou escalação com Bernard mesmo noticiando que ele, Pierre e Triguinho não irão para o jogo por não terem sido inscritos. Desse modo, para compor o meio-campo, Cuca pode escalar o time acima, mas também pode escalar um terceiro zagueiro e sacar Eron, passando Richarlyson para a ala.

    Além dos 11 jogadores "que eu escalei", também estarão no Engenhão: Giovanni, Lima, Werley, Mancini, Caio e Jônatas Obina.


     



    Escrito por PLINS às 09h28
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ENERGIA POSITIVA

    ZICO REVÊ AMIGOS E TORCE PARA QUE ATLÉTICO DEIXE DEIXE 'MOMENTO DIFÍCIL'

    Galinho de Quintino, que trabalhou com Dudu Cearense, Guilherme e Daniel Carvalho na Europa, espera trazer boas energias para o time mineiro

    Edgard Maciel de Sá e Marco Antônio Astoni - GloboEsporte.com

     

    Entre os dois jogos contra o Botafogo, um pelo Campeonato Brasileiro e outro pela Copa Sul-Americana, o Atlético, permaneceu no Rio de Janeiro. Os jogadores treinaram nesta segunda no CFZ, clube do ex-jogador Zico, localizado no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da capital fluminense. E o Galinho de Quintino fez questão de receber a delegação e rever alguns amigos, como os jogadores Dudu Cearense, Guilherme e Daniel Carvalho, com quem trabalharou na Europa.

    - É sempre bom rever esta turma. Ficamos felizes de rever as pessoas com quem trabalhamos. Até mesmo o Cuca. Nós fomos adversários e ele tirou muito bicho meu (risos). Eu acho que é legal isso. O CFZ sempre foi uma casa que recebeu bem as pessoas, trouxe bons fluídos. O Atlético está vivendo este momento difícil e tomara que esta passagem por aqui possa dar um pouco de tranquilidade para eles trabalharem. O Atlético tem um bom plantel, é um ótimo clube, que se renova a cada momento, e oferece todas as condições de trabalho aos jogadores. A hora que der liga, vai dar certo sim. Antes do Brasileiro começar, era considerado um dos favoritos ao título. O futebol brasileiro é difícil por isso. Às vezes, os mais favoritos acabam tendo dificuldades e ficando numa zona inesperada. Tomara que o CFZ traga sorte para o Galo.

    Zico esteve no Engenhão no último sábado e acompanhou a derrota do Atlético para o Botafogo por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. O Galinho fez uma análise do momento complicado vivido pelo time mineiro e tentou explicar a fase difícil atravessada pelo clube.

    - Sempre que você faz investimento em jogadores que estão fora do Brasil, é necessário um certo tempo pra eles se readaptarem. É um futebol totalmente diferente. Tem gente que veio da Rússia, da Ucrânia, da Grécia. E o número de jogos aqui é muito maior, você é exigido a cada três dias, praticamente. Isso precisa de adaptação. Eu acho que o Atlético mudou muito o plantel e, para isso, precisa de entrosamento. Tem times que conseguem isso de imediato, enquanto outros não. Essa talvez seja a principal dificuldade do Atlético. Tem jogadores bons, mas que às vezes estão receosos de tentar algumas jogadas diferentes e tentam o mais simples. Eu vi o jogo contra o Botafogo e achei isso. Os jogadores são bons e já provaram isso. Falta agora provar a força que eles têm.

    Zico garantiu acreditar na reabilitação do Atlético na temporada e espera que a visita que fez aos jogadores atleticanos traga novos ares ao time.

    - Meu objetivo é sempre passar boas energias. Eu sou um cara positivo. Tomara que isso possa ser passado do Galinho para o Galo maior.

     



    Escrito por PLINS às 23h07
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DA SUL-AMERICANA

    BOLÃO DA COPA SUL-AMERICANA 2011

     

    Melhores apostadores da 1.ª semana

    1.º Jorge Luiz: 968 pontos (59% do total)

    2.º Gilberto Couto: 770 (47%)

    3.º Nelson Roberto: 715 (43%)

     

    Zebra da semana

    Atlético 1x2 Botafogo – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da semana

    Vasco 2x0 Palmeiras – 1.507 pontos concedidos

     

     

    Melhores apostadores da 2.ª semana

    1.º Wallace Siqueira: 912 pontos (51% do total)

    2.º Carlos Magno: 780 (43%)

    3.º Paulo Santos: 768 (43%)

     

    Ranking

    1) Jorge Luiz: 1.688 pontos (52.º no Top 100 do Bolão Vip)

    2) Renato Alexandre: 1.460

    3) Carlos Magno: 1.429

    4) Paulo Santos: 1.395

    5) Nelson Roberto: 1.219

    6) Wallace Siqueira: 1.198

    7) Paulo Lins: 1.092

    8) Gilberto Couto: 770

    9) Fábio Luiz: 716

     

     

    Zebra da semana

    Deportivo Anzoátegui/VEN 2x0 Deportivo Quito/EQU – 336 pontos concedidos

     

    Barbada da semana

    Nacional/PAR 1x0 San José/BOL – 1.320 pontos concedidos



    Escrito por PLINS às 22h42
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A HISTÓRIA DO PRIMEIRO CAMPEÃO BRASILEIRO

    HÁ 40 ANOS - CAPÍTULO 3

    No dia 21 de agosto de 1971, o GALO de Telê Santana foi ao Maracanã enfrentar o Flamengo pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

    O Flamengo já tinha Zico entre seus titulares, além de Fio, que se tornaria posteriormente o “Fio Maravilha” homenageado em música por Jorge Benjor (na época, apenas Jorge Ben), mas não era considerado um dos favoritos ao título. Pelo contrário, segundo matéria da revista Placar, o Flamengo ainda estava “no seu caminho de ilusão, sem formar um time à altura de sua grandeza e responsabilidade” (repórter: Aristélio Andrade). O Flamengo também contava em seu elenco com Buião, ponta-direita que atuou pelo GALO entre 1964 e 1968. Aliás, uma curiosidade pessoal: Buião estreou pelo GALO no dia em que eu nasci, 7 de junho de 1964, na vitória do GALO por 2 a 0 sobre o Formiga. Natural de Vespasiano, Buião hoje é dono de uma empresa de ônibus no município do CT do GALO.

    Voltando ao jogo, diante de um público de 29.551 torcedores pagantes, que propiciaram uma renda de Cr$135.240,75 (centro e trinta e cinco mil duzentos e quarenta cruzeiros e setenta e cinco centavos), o GALO derrotou o Flamengo com um gol de Lola, aos 55 minutos de jogo.  Foi a primeira vitória do GALO, e o Urubu completava quatro jogos sem vitória.

     

    PLACAR FINAL: FLAMENGO 0x1 ATLÉTICO

     

    Escalação do GALO: Renato, Zé Maria (Humberto Monteiro), Normandes, Vantuir e Cincunegui; Vanderlei Paiva e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Lola e Romeu (Oldair).

     

    Uma coisa da qual não me esqueço em relação ao Lola é que se dizia que ele era flamenguista e, por isso, sempre atuava bem contra o rubro-negro carioca. Em 1969, pelo Robertão, o GALO vencera o Flamengo no Maracanã por 3 a 1, com três gols de Lola. Um ano antes, num amistoso no Mineirão, Lola fez um dos gols do GALO no empate em 2 a 2. Enfim, Lola regulava mesmo contra o Mengo, pois em 1971 já havia marcado outro gol no clube carioca, num empate em 3 a 3 pelo Torneio do Povo.

     

    Demais resultados da rodada pelo grupo B: Bahia 0x1 São Paulo, Santos 0x0 Botafogo e América Mineiro 0x0 Grêmio.

    Classificação: 1.º Grêmio e Santos – 6 pg; 3.º Bahia e Atlético – 4 pg; 5.º América Mineiro e Botafogo – 3; 7.º São Paulo, Sport Recife, Flamengo e América Carioca – 2 pg.

     

     

    fontes:

    BOLA NA ÁREA

    http://www.bolanaarea.com/brasileirao_1971.htm

    O CANTO DO GALO

    http://100anosgalo.blogspot.com/

    ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL

    http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Campeonato_Brasileiro_1971

    FUTPÉDIA

    http://futpedia.globo.com/

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 73, 06/08/1971.

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 1118B, Agosto de 1996.

     



    Escrito por PLINS às 21h59
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    BOTÃO ERRADO

    EM PLENA TRANSMISSÃO DE BOTAFOGO x GALO, PELO SPORTV, SURGIU E RAPIDAMENTE SUMIU UMA VINHETA ESTRANHA AO JOGO.....

    imagem copiada de: http://www.orkut.com/CommMsgs?cmm=22731&tid=5642980590527115547

    O JOGO ESTAVA TÃO BOM QUE ALGUÉM RESOLVEU TESTAR OS EQUIPAMENTOS DA EMISSORA?

    SERÁ QUE COM ESSA "FESTA ANTECIPADA" O SPORTV "ZICOU" O INTERNACIONAL NA RECOPA (O JOGO DECISIVO ACONTECE NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA)?



    Escrito por PLINS às 22h29
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    E O DUKE TINHA RAZÃO...

     

    No dia em que essa charge foi publicada, o GALO levou de 5 a 2 do Botafogo.

    Pode parecer apenas coincidência, mas neste século, nas duas únicas vezes em que eu estava no estádio vendo o jogo, o GALO venceu o Botafogo.

    Em 03/10/2001, no Independência, GALO 4 a 0, gols de Marques (3) e Ramon Menezes.

    Em 02/11/2008, no Mineirão, GALO 2 a 1, gols de Leandro Almeida (2).

    Portanto, quem quiser ver o GALO vencendo o Botafogo que trate de pagar minha passagem aérea, minha estadia no Rio de Janeiro, com direito a traslado, e meu ingresso para o jogo da próxima terça-feira, pela Copa Sul-Americana!Convencido



    Escrito por PLINS às 22h13
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    BOTAFOGO 3x1 ATLÉTICO

    Botafogo vence o Atlético por 3 a 1 e está a seis pontos do líder Corinthians

    Do UOL Esporte
    No Rio de Janeiro

    O Botafogo venceu o Atlético por 3 a 1, neste sábado, no Engenhão, pela 18ª do Campeonato Brasileiro, e continua vivo na briga por uma vaga na Libertadores. Os gols da partida foram marcados por Elkeson e Felipe Menezes (2) para os mandantes, enquanto André descontou para os visitantes.

    Com a vitória, o Botafogo se mantém na quinta colocação, chegando aos 31 pontos, a seis do líder Corinthians, que perdeu para o Figueirense, por 2 a 0, no Pacaembu. Já o Atlético continua na zona de rebaixamento com 15 pontos, podendo ser ultrapassado pelo Avaí, que jogará neste domingo, contra o Coritiba, na Ressacada.

    O início de jogo foi muito movimentado. Aos cinco minutos, Bernard para o Galo e Elkeson para os cariocas já haviam desperdiçado oportunidades claras de gol. O Botafogo tomou a iniciativa da partida, sempre com a posse de bola o gol parecia questão de tempo. E foi o que aconteceu. Cortês, aos 16min, conduziu a bola pelo meio e abriu na direita com Lucas. O lateral direito cruzou na cabeça de Elkeson, que com muita felicidade cabeceou no contrapé de Renan Ribeiro, 1 a 0.

    Com uma marcação fortíssima, o time do técnico Caio Júnior não deu espaço para o Atlético. Depois de muita pressão, o time do Botafogo chegou ao segundo gol, aos 34min. Felipe Menezes recebeu na entrada da área e colocou no canto direito, 2 a 0.

    Não segundo tempo, o técnico Cuca tentou tornar o Atlético mais ofensivo colocando o atacante André em campo. Mas foi o Botafogo quem ampliou. Maicosuel arrancou pela direita e cruzou para Alex. O atacante escorou para Felipe Menezes, aos 11min, fuzilar o goleiro atleticano, 3 a 0. Os mineiros, aos 21min, ainda tentaram descontar com Leonardo Silva, após cobrança de falta de Daniel Carvalho, que entrou na vaga de Magno Alves. O zagueiro, entretanto, estava impedido.

    O alvinegro carioca não tirou o pé do acelerado e tentou ampliar a goleada. Cortês, pela esquerda, e Maicosuel, pela direita, eram boas opções ofensivas. O Atlético ainda conseguiu descontar com André, aos 46min, mas já era tarde. Festa para os 11 mil torcedores botafoguenses, que puderam ver uma bela exibição de seu time.

    Botafogo e Atlético voltarão a se enfrentar, no Estádio Olímpico João Havelange, nesta terça-feira, só que no jogo de volta pela Copa Sul-Americana. Pelo Campeonato Brasileiro, o o time carioca terá o clássico contra o Fluminense, no próximo domingo, às 18h, no Engenhão, enquanto os mineiros rivalizarão com o C*uzeiro na 19ª rodada da competição.

     

    Eu fiz minha parte! Como nas últimas rodadas, meus palpites no bolão estão piores que as ações do Alexandre Kalil, apostei na vitória do Botafogo! Pela primeira vez desde que passei a organizar e participar de bolões na internet, apostei em derrota do GALO! Eu apostei um placar magro, 2 a 1, porque o Botafogo estava desfalcado do Loco Abreu. Só que se eu fico sabendo com antecedência da escalação do time..... acertaria o placar na mosca, porque aquele time tinha caixa para no mínimo três, como acabou acontecendo.

    Serginho e Richarlyson nas alas é algo que eu mesmo defendia. Ao menos nessas posições eles tinham que ser úteis! Só que, pra isso, a defesa teria que atuar com três zagueiros! E o volante teria que ser um verdadeiro cão de guarda. E o que o Cuca fez? Deixou a zaga com apenas dois jogadores e escalou Pierre e Dudu Cearense de volantes! Um que acabou de chegar ao clube, depois de meses parado, e outro que ainda não engrenou no time e não é o volante "mordedor" de que o time precisa.

    Pra completar, Cuca volta a investir em Mancini no meio-campo!

    E com um ataque formado pelo lento Guilherme e pelo idoso Magno Alves!

    Como o GALO ganharia do Botafogo com um time desses?

    Mas nem do Botafogo de Ribeirão Preto!

    Talvez nem do Botafogo da Paraíba!

    Foi uma crônica da morte anunciada!

    Com todo o retrospecto ruim do GALO diante do Botafogo nos últimos anos, principalmente no Engenhão, com todo o momento ruim que o clube vive atualmente, em vez de começar sendo cauteloso, com um bom sistema defensivo, Cuca está fazendo tudo ao contrário, expondo a defesa do GALO, montando um meio-campo frágil e um ataque lento. E, pra pior, o treinador ainda pede mais contratações duvidosas e escala quem sequer treinou fisicamente. O que pretende um treinador com tais atitudes?

    Eu concluo, então, que a parceria Alexandre Kalil & Eduardo Maluf ganhou mais um integrante para ajudar a afundar o CLUBE ATLÉTICO MINEIRO de vez!

    Mas eu também creio que a contagem regressiva já começou: faltam dois jogos (ou duas derrotas) para a torcida tomar vergonha na cara de vez e enxotar esse trio do GALO antes que o pior aconteça!

     

    FICHA TÉCNICA (Superesportes):

    BOTAFOGO 3 X 1 ATLÉTICO

    BOTAFOGO
    Jéfferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Felipe Menezes (Cidinho, 28min 2ºT) e Elkeson (Thiago Galhardo, 34min 2ºT); Maicosuel (Alexandre Oliveira, 36min 2ºT) e Alex.
    Técnico: Caio Junior

    ATLÉTICO
    Renan Ribeiro; Serginho, Leonardo Silva, Lima e Richarlyson (Triguinho, intervalo); Pierre, Dudu Cearense, Mancini (André, intervalo) e Bernard; Magno Alves (Daniel Carvalho, 14min 2ºT) e Guilherme.
    Técnico: Cuca

    Motivo: 18ª rodada do Campeonato Brasileiro
    Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro
    Data: 20 de agosto de 2011

    Gols: Elkeson, 17min 1ºT; Felipe Menezes 34min 1ºT e 9min 2ºT; André, 46min 2ºT

    Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
    Assistentes: Marrubson Freitas (DF) e Carlos Manzolillo (DF)

    Cartão amarelo:
     Richarlyson, Dudu Cearense, Leonardo Silva (ATL)

     



    Escrito por PLINS às 20h43
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO DERROTADO DE NOVO

    CUCA QUE KALIL!

    ESTÃO ACABANDO COM MEU GALO!



    Escrito por PLINS às 19h52
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011

     

    Melhores apostadores da 17.ª rodada

    1.º Albino Júnior: 1.817 pontos (32% do total)

    2.º Carlos Magno: 1.794 (31%)

    3.º Renato Alexandre: 1.656 (29%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 25.072

    2) Jorge Luiz: 22.732

    3) Albino Júnior: 21.995

    4) Renato Alexandre: 20.745

    5) Carlos Magno: 20.643

    6) Marcos Lins: 20.478

    7) Vavá "Bica eles Galo": 20.326

    8) Mário Barros: 19.930

    9) Paulo Santos: 19.856

    10) Nelson Roberto: 19.720

    11) Paulo Lins: 19.542

    12) Gilberto Couto: 15.937

    13) Fábio Luiz: 14.099

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

    Zebra da rodada

    Flamengo 1x4 Atlético/GO – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da rodada

    Atlético/PR 2x1 C*uzeiro – 2.921 pontos concedidos

     

    Placar mais fácil

    Atlético/PR 2x1 C*uzeiro – 4 palpites exatos

           

    Placares difíceis

    Os demais, com exceção de Internacional 1x0 Botafogo (1 palpite exato), que não tiveram um único palpite exato

     

     

    QUANDO A FASE NÃO É BOA...

    Pouco mais de 5 minutos para começarem os jogos de quinta-feira, eu entro no site do Bolão Vip e altero meu palpite do jogo América x São Paulo, de 1x1 para vitória paulista por 2x1. Deu no que deu!

    Estou no bolão igual ao GALO no campeonato: que faaaaaaaase!

     



    Escrito por PLINS às 17h52
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    MANEQUINHO x GALO

    Para reagir e se manter no topo, Botafogo recebe o ameaçado Atlético


    Gazeta Press


    Pouco mais de uma semana depois de terem se enfrentado na estreia na Copa Sul-americana, Botafogo e Atlético se reencontram neste sábado, às 18 horas (de Brasília), quando duelam no Engenhão, em confronto válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

    Pelo torneio continental, os cariocas ganharam em Minas Gerais por 2 a 1 e podem ser apontados como favoritos, mesmo após a derrota por 1 a 0 para o Internacional. O Glorioso é o quinto colocado com 28 pontos e pretende ganhar para encostar no líder Corinthians, que tem nove pontos a mais. Já o Galo, que sofreu uma virada para o próprio Timão por 3 a 2, junta os cacos e tenta sair da zona de rebaixamento, onde se encontra com apenas 15 pontos.

    A diferença entre os dois times na tabela de classificação e o fato de o Botafogo jogar em casa são fatores que realmente tornem o anfitrião favorito absoluto. Mas não na visão do técnico Caio Junior, que preferiu minimizar o mau momento do rival.

    “Não podemos levar em consideração o momento do Atlético, pois cada jogo tem a sua história. Se vem em um pior momento, talvez o Atlético também chegue com menos responsabilidade de vitória, o que aumenta a pressão sobre o Botafogo. Pode parecer frase feita, mas no Campeonato Brasileiro não existe jogo fácil. Muitas vezes se ganha de quem está melhor colocado e se perde de quem vem na parte de baixo da tabela de classificação. Portanto, temos que ignorar a situação do nosso rival e concentrarmos forças no nosso jeito de jogar”, disse Caio Junior.

    Os jogadores do Botafogo entenderam o recado e garantem que não vai existir nenhum tipo de menosprezo ao Atlético. Existe uma preocupação com o ímpeto inicial do Galo, que no meio de semana chegou a abrir 2 a 0 sobre o Corinthians no primeiro tempo.

    “Por conta de sua situação no Campeonato Brasileiro, o Atlético começa os jogos com muita disposição e não podemos deixar que eles tomem o controle da partida no início, ainda mais porque vamos jogar em casa e com a torcida esperando uma postura bem diferente da gente. Será um jogo complicado, pois o adversário precisa do resultado tanto quanto a gente”, disse o volante Renato.

    Se o Botafogo vai tomar cuidados por conta do início do Galo diante do Corinthians, no Atlético existe a preocupação em não se repetir os erros cometidos no meio de semana. Portanto, o técnico Cuca vem cobrando para que a postura da equipe se modifique.

    “Logicamente que sentimos muito o que aconteceu contra o Corinthians e que ficou um sentimento de frustração. Mas não podemos jogar fora o nosso grande primeiro tempo e nem esquecer os erros da segunda etapa. Tudo tem que servir de lição para este confronto diante do Botafogo. Sei como é difícil bater esse adversário no Engenhão, mas precisamos ir em busca do resultado positivo”, disse Cuca, com a experiência de quem dirigiu o Botafogo por mais de dois anos entre 2006 e 2008

    Em relação ao time titular, para este compromisso Caio Junior vai enfrentar sérios problemas para compor o ataque. O treinador continuará sem poder escalar o artilheiro uruguaio Loco Abreu, que se recupera de um estiramento no ligamento colateral medial do joelho direito.

    Para piorar ainda mais o quadro, o argentino Herrera, o outro titular do setor, foi advertido com o terceiro cartão amarelo diante do Colorado e terá que cumprir suspensão. Além disso, Caio, que seria uma opção, também está entregue ao departamento médico se recuperando de uma entorse no tornozelo direito.

    Assim, ele tem apenas Alexandre Oliveira, que ainda não conseguiu render o esperado com a camisa do clube, e Alex como opções. Uma alternativa é escalar apenas Alex no setor, uma vez que o meia Elkeson volta após cumprir suspensão. Neste cenário, Felipe Menezes, que naturalmente seria barrado, ganharia nova oportunidade, formando trio de meias com Maicosuel e com o próprio Elkeson.

    Uma mudança certa no time para torná-lo mais ofensivo será a entrada do lateral direito Lucas na vaga de Alessandro. Nos jogos no Engenhão, o primeiro atua, enquanto que o segundo, que joga mais preso na marcação, acaba sendo o favorito longe do Rio de Janeiro.

    Já no Galo, Cuca ganha reforço para o ataque, já que André está recuperado de uma entorse no tornozelo esquerdo. Ele será titular, na vaga de Guilherme. O treinador também contará com a volta do zagueiro Leonardo Silva e do volante Serginho, que cumpriram suspensão no jogo com o Corinthians. Em compensação não terá o zagueiro Réver, que foi expulso diante do Timão e será substituído justamente por Leonardo Silva. O lateral Patric, afastado por poblemas com a comissão técnica, dará a vaga a Mancini.

    Após essa partida as duas equipes voltarão a se encontrar, mais uma vez no Engenhão, só que na próxima terça-feira. O jogo será válido pelo confronto de volta da primeira fase da Copa Sul-Americana.

     

    FICHA TÉCNICA
    BOTAFOGO X ATLÉTICO

    Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
    Data: 20 de agosto de 2011 (Sábado)
    Horário: 18h (de Brasília)
    Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF)
    Assistentes: Marrubson Freitas (DF) e Carlos Manzolillo (DF)

    BOTAFOGO: Jéfferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Elkeson e Maicosuel; Alexandre Oliveira (Felipe Menezes) e Alex
    Técnico: Caio Junior

    ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Werley, Lima e Leonardo Silva; Mancini, Serginho, Fellipe Soutto, Daniel Carvalho e Richarlyson; Magno Alves e André
    Técnico: Cuca

     

     

    Hoje em dia, a coisa mais difícil no futebol é divulgar escalação de um time com antecedência. Em situações como a vivida atualmente pelo GALO, fica ainda mais difícil saber o que se passa na cabeça do treinador.

    A versão acima do provável time do GALO para enfrentar o Botafogo é da Gazeta Press/Placar, mas existem outras. 


    Do GloboEsporte.com: Renan Ribeiro; Werley, Lima e Leonardo Silva; Serginho, Fillipe Soutto, Dudu Cearense, Daniel Carvalho e Richarlyson; André (Magno Alves) e Guilherme.

    Do Lancenet: Renan Ribeiro, Leonardo Silva, Lima e Werley; Serginho, Fillipe Soutto, Dudu Cearense, Bernard e Richarlyson; Guilherme e André.

    Do Superesportes: Renan Ribeiro, Werley, Lima e Leonardo Silva; Serginho, Dudu Cearense, Fillipe Soutto, Bernard e Richarlyson; Magno Alves e André (Guilherme).

     

    Alguém se arrisca a montar outro time?



     



    Escrito por PLINS às 11h09
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    SEMPRE CABE MAIS UM QUANDO SE USA KALIL E MALUF

     

    Regularizados, Pierre e Triguinho podem estrear pelo Atlético neste sábado

     

    Do UOL Esporte 
    Em Belo Horizonte


    Regularizados junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o volante Pierre e o lateral-esquerdo Triguinho, recém-contratados, podem estrear pelo Atlético neste sábado, diante do Botafogo, às 18h, no Rio de Janeiro, em jogo válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro.

    Os dois jogadores integram a delegação atleticana que seguiu para o Rio de Janeiro nesta sexta-feira. O técnico Cuca não antecipou a equipe que iniciará a partida no Engenhão, mas avisou que haverá novidades no time que enfrenta o Botafogo.

    Contratado na terça-feira passada, Pierre, que não estava no planos do técnico Luiz Felipe Scolari, foi cedido pelo Palmeiras ao Atlético até o final desta temporada. O volante sequer chegou a ser apresentado oficialmente à imprensa, mas já treinou com os companheiros.

    Triguinho chegou a Belo Horizonte nesta sexta-feira e realizou exames médicos antes de se reunir com a diretoria para acertar detalhes finais do contrato. Embora não tenha treinado, o lateral foi incluído na delegação que viajou para o Rio de Janeiro.

    Indicados por Cuca, os dois recém-chegados podem ser novidades na partida deste sábado. O treinador relacionou outros 18 atletas para o jogo com o Botafogo. Entre eles os meias Mancini e Daniel Carvalho, que chegaram a ser afastados para se recondicionarem.

    Em situação complicada no Brasileirão, o Atlético precisa vencer o Botafogo para tentar deixar a zona de rebaixamento para a Série B. O time alvinegro ocupa o 18º lugar (antepenúltimo) com 15 pontos somados em 51 disputados.

     

    Meu Deus! Agora o sujeito não precisa nem treinar para ser relacionado para um jogo do GALO: é chegar no clube, embarcar com a delegação e entrar no jogo!

    Vi algo parecido no ano passado. Às 18h30, soube que um tal de Joedson chegara ao GALO para um período de testes. Horas depois, ele entrava em campo contra o Atlético/PR, durante o segundo tempo de um jogo em que o GALO foi derrotado.

    Os filmes se repetem, e são filmes de péssima qualidade. E a atual diretoria está ficando cada vez melhor em fazer negócios arriscados (pra não dizer outra coisa).

    Triguinho é outro que JÁ FOI ótimo jogador. Lembro-me que ele apareceu bem quando jogava no Figueirense em 2003, ao mesmo tempo em que outro lateral-esquerdo, Luciano Almeida, do Criciúma, despertava a atenção de todos. Eu até achava o Luciano Almeida melhor. Em vez dos cinco anos de atraso no caso do Pierre, o GALO busca o jogador com OITO ANOS DE ATRASO, e ainda por cima ele vem de lesão e longo período de inatividade.

    Parece até brincadeira do Kalil e do Maluf. Os dois adoram arriscar dinheiro em contratações que não têm um único indício de que podem dar certo.

    Se der certo, é milagre! E se não der?

     



    Escrito por PLINS às 10h41
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO, RUIM NO FUTEBOL, PÉSSIMO NAS FINANÇAS

    Liquidez corrente do Atlético é a 2º pior e empréstimos não param de crescer

    Por Daniel Lansky e Igor Viveiros

    No ano de 2010 o Atlético foi o segundo time com o pior índice de liquidez corrente dos 11 clubes escolhidos para serem objetos de análise da pesquisa. O índice de liquidez corrente é a razão entre o ativo circulante e o passivo circulante. É desejável que esse Índice seja próximo ou maior que um, indicando que para cada R$1,00 de dívida, exista o mesmo valor ou superior para honrar o compromisso assumido. Atrás apenas do Fluminense, que apresentou índice de 0,03, o Galo fechou o ano de 2010 com o índice de 0,11, número maior que o de 2009 (0,10).

    Comparados com as administrações anteriores os atuais números do índice de liquidez corrente estão muito abaixo dos apresentados nas administrações de Ricardo Guimarães e Ziza Valadades. Em 2006, ano em que o Galo era administrado por RG, o índice foi de 0,30. Em 2007, com Ziza, o Galo fechou o ano com 0,23. Em 2008, ano da renúncia da Ziza e de grande confusão política o índice foi de 0,12, próximo aos da administração de Kalil
    O ano de 2006 aparece nesta análise do índice de liquidez corrente pelo simples fato de que o índice apenas mostra a saúde financeira do clube sem se fazer necessário levar em conta em qual divisão o time figurava na ocasião.

    Os clubes de futebol apresentam, historicamente, um alto endividamento. Sendo assim, não podemos analisar esses números e compará-los aos de uma empresa qualquer. Desta forma, os números do Atlético foram comparados com os de outros clubes de futebol. A tabela a seguir apresenta os índices de liquidez corrente para outros doze clubes que disputam a Série A nos anos 2009 e 2010.
    Os números de cada clube refletem as ações de sua administração atual bem como sua trajetória histórica e não é objeto dessa análise se preocupar com o que o ocorre com outros clubes.



    Para o economista Igor Viveiros, o que chama a atenção é o fato de um indicador contábil básico do Atlético, que tem vendido na mídia a sua melhora na qualidade de gestão, apresentar valores tão ruins quando comparados com seus pares. O que vemos é uma piora em relação à gestão anterior. “Com estes dados fica claro que o modelo de financiamento adotado por essa gestão é de empréstimos o que não é saudável para uma administração. Os números indicam que a dívida a curto prazo do Galo está crescendo muito”, diz o professor.

    E isto fica bem claro quando são analisados os dados referentes ao montante de empréstimos dos últimos anos. Em 2009 o Galo tinha acumulado R$ 23,3 milhões de empréstimos. Em 2010, ano que o Galo escapou milagrosamente da série B, este número subiu para R$ 37, 9 milhões, aumento de R$ 14,6 milhões em apenas um ano. Nos anos anteriores esse montante variou pouco (confira tabela).




    O fato é que, além de contrair muitos empréstimos o Galo gasta mal o seu dinheiro. Prova disso são os investimentos no departamento de futebol atleticano que não param de crescer sem apresentar resultados satisfatórios dentro de campo. Em 2007 o Galo investiu R$39,7 milhões, em 2008 foram R$ 31,8 milhões e em 2009 foram investidos R$ 40,6 milhões. Em 2010 os gastos com o departamento de futebol são impressionantes: foram investidos R$ 67 milhões em um ano que o Galo escapou por pouco de uma nova queda para a série B.

    Igor Viveiros diz que os números da pesquisa mostram que a saúde financeira do Atlético passa longe de estar boa como vem sendo divulgado pela diretoria e que empréstimos estão sendo contraídos para dar conta das contas do clube e da folha de pagamentos de um elenco inchado. “Seria de esperar que com o já verificado aumento de receitas, uma boa gestão reduziria o volume de empréstimos e conteria os gastos de forma reduzir o déficit acumulado do clube. No entanto, não vemos isso acontecer. Hoje, o Galo não teria como pagar as suas contas caso fosse cobrado. O índice de liquidez corrente mostra isso”, disse o professor.




    Pobre massa atleticana! A maioria absoluta dos torcedores está sendo enganada! Além de não verem um time digno de vestir a camisa do GALO, esses torcedores estão crentes que, ao menos administrativamente, o clube está sendo saneado e que o futuro será bem melhor. Esses números mostram exatamente o contrário. Quanto mais tempo a atual diretoria permanecer no GALO, maiores serão os problemas financeiros no futuro. 
    Eu sempre soube que por trás de muito autoritarismo e de uma máquina publicitária favorável, há sempre algo de muito ruim sendo construído.
    Defender a gestão Alexandre Kalil, se já era difícil em termos de futebol, tornou-se IMPOSSÍVEL em termos administrativos!

    ACORDE, TORCIDA DO GALO!




    Escrito por PLINS às 11h18
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    CHAPA DO KALIL CADA VEZ MAIS QUENTE

    Torcedores fazem 3ª manifestação em 5 dias contra campanha do Atlético no Brasileiro

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda 
    Em Belo Horizonte

     

    Menos de 24 horas depois de o Atlético sofrer sua 10ª derrota no Brasileiro, para o Corinthians, de virada, por 3 a 2, no Ipatingão, torcedores do alvinegro mineiro, liderados pela organizada Esquadrão, realizaram manifestação em frente à sede do clube, no bairro de Lourdes, na Região Centro-Sul da capital. Foi um protesto pacífico, o terceiro em cinco dias.

    Com instrumentos de percussão, faixas e bandeiras, 35 torcedores iniciaram pouco antes das 19h a manifestação, que, ao contrário de outras vezes, teve também como alvos o presidente Alexandre Kalil e, principalmente, o diretor de futebol Eduardo Maluf, além de jogadores, inclusive o lateral-direito Patric, afastado na manhã desta quinta-feira, por decisão do técnico Cuca.

    “Ô Kalil otário, o Maluf é mercenário” e “Kalil falastrão, cadê o time que ia ser campeão?” foram alguns dos gritos entoados pelos torcedores, que dirigiram suas críticas ainda ao Conselho Deliberativo do Atlético, chamado, aos gritos, de “omisso”.

    Oito policiais militares fizeram a segurança e não houve registro de nenhuma ocorrência. Por precaução, a PM isolou a entrada da sede administrativa do Atlético com um cordão de isolamento. Dessa forma, os manifestantes ficaram restritos à calçada, sem acesso à portaria. Entre os jogadores, além de Patric, o mais visado foi o lateral-esquerdo Guilherme Santos, que teve sua saída pedida.

    “A torcida está insatisfeita com todo mundo, não tem jogador específico. Ninguém quer ver um time assim em campo. Está na hora de tomarem uma atitude”, afirmou Rafael Tadeu, mais conhecido como Nariz, um dos diretores da facção Torcida Esquadrão Atleticano.

    “Já passou da hora de trocar a diretoria. O Kalil prometeu um time que brigaria por títulos e o time que ele montou está longe disso. O Atlético só tem jogadores mercenários. Se continuar assim, vamos parar na Segunda Divisão. A gente quer conversar com o Kalil, porque do jeito que está não pode ficar”, acrescentou.

    Ao contrário de uma outra manifestação feita pela mesma facção de torcida organizada, há algumas semanas, ainda quando Dorival Júnior era o treinador, quando Alexandre Kalil desceu para conversar com os manifestantes, nesta quinta-feira, nenhum dirigente atleticano se manifestou. Por meio de sua assessoria de comunicação, a diretoria informou que não iria se pronunciar a respeito do protesto.

    Na noite de domingo, alguns torcedores receberam a delegação atleticana no Aeroporto Tancredo Neves, em Confins, no retorno de Curitiba, onde horas antes o time havia perdido para o Coritiba, por 3 a 0. Os jogadores deixaram o aeroporto escoltados pela PM. Na tarde de segunda-feira, 12 torcedores protestaram na entrada da Cidade do Galo, em Vespasiano, e chegaram a conversar com alguns atletas, como Guilherme Santos, um dos alvos do protesto desta quinta.

    Agora sim, os verdadeiros alvos foram atingidos: Alexandre Kalil, Eduardo Maluf e o Conselho Deliberativo, todos incompetentes e omissos!

    Só descarto essa bobagem de chamar jogador de "mercenário" e de querer "conversar com o Kalil". A essa altura do campeonato, conversar não irá resolver nada. Mas se eu tivesse a oportunidade de dirigir algumas palavras ao Alexandre Kalil, diria: cara, se você gosta mesmo do GALO, faça um favor a ele, saia do clube enquanto é tempo, você não nasceu para ser dirigente de futebol e ainda por cima é um tremendo pé frio!



    Escrito por PLINS às 10h38
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A BARCA DO KALIL - PARTE 2

    "Era Alexandre Kalil" é marcada por rotatividade no grupo de jogadores (Continuação)

    Se todos os outros 17 jogadores que chegaram em 2011 completarem um ano de clube ou mais no futuro, o aproveitamento subirá de 26% para 51%.

    No ano passado, chegaram 24 jogadores na Cidade do Galo e apenas oito continuam no atual grupo, sendo que dois estão afastados há um bom tempo, Fábio Costa e Ricardo Bueno.

    Foram 26 contratações em 2009 e nenhuma delas segue no clube.


     

    O volante Pierre deve ser o 69º jogador a assinar sob o comando de Alexandre Kalil. Ele fez exames médicos na quarta-feira mas ainda não foi confirmado pela diretoria.

     



    Escrito por PLINS às 22h07
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A BARCA DO KALIL - PARTE 1

    "ERA ALEXANDRE KALIL" É MARCADA POR ROTATIVIDADE NO GRUPO DE JOGADORES

    Apenas 18 de 68 contratados, desde a temporada 2009, conseguiram alcançar a marca de um ano ou mais no Atlético, por enquanto

    Rodrigo Fonseca e Thiago de Castro - Superesportes

    O Atlético tem uma ótima estrutura, os salários são pagos em dia e não falta dinheiro para investir em jogadores e comissão técnica. Por que, então, a gestão Alexandre Kalil não dá resultados dentro de campo? Um dos fatores mais importantes para ser analisado é a alta rotatividade de jogadores no grupo profissional.

    O Superesportes fez um levantamento com todos os contratados da era Alexandre Kalil. Apenas 18 de 68, por enquanto, conseguiram completar um ano ou mais de clube, o que representa 26% do total.

    Nesta temporada, foram 19 contratações e uma delas já foi embora, Jobson. Agora, Patric, afastado por Cuca nesta quinta-feira, é outro que provavelmente engrossará a lista de jogadores que não conseguiram ficar por pelo menos um ano no clube.

    Se todos os outros 17 jogadores que chegaram em 2011 completarem um ano de clube ou mais no futuro, o aproveitamento subirá de 26% para 51%.

     



    Escrito por PLINS às 21h40
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ATLÉTICO 2x3 CORINTHIANS

    Tite e Sheik brilham, Corinthians acorda no 2º tempo, vira para 3 a 2 e afunda o Atlético

    Do UOL Esporte
    Em São Paulo

    Enfim Emerson Sheik, reforço badalado do Corinthians, mostrou a que veio. O atacante entrou no segundo tempo, quando o Atlético vencia por 2 a 0, e teve papel decisivo na virada por 3 a 2, em Ipatinga, na noite desta quarta-feira, pela 17ª rodada do Brasileiro.

     

    Com a vitória fora de casa, o time de Parque São Jorge supera as cobranças pelos recentes maus resultados e permanece na liderança, agora com 37 pontos. Já o Atlético vive um drama. Acumula cinco rodadas sem ganhar e segue com 15 pontos, na zona de rebaixamento.

    A ousadia de Tite foi recompensada. Depois de um péssimo primeiro tempo de sua equipe, o treinador sacou o lateral Alessandro para a entrada do atacante Sheik. Jorge Henrique foi improvisado na lateral esquerda.

    O confronto teve dois tempos completamente distintos. Dudu Cearense e Guilherme, em cobrança de pênalti polêmico, colocaram o Atlético em vantagem. Sheik, Alex (de pênalti) e Liedson viraram depois do intervalo. Alex ainda desperdiçou outra penalidade, sofrida por Sheik.

    Os dois times entraram em campo pressionados, um no topo da tabela e o outro entre os últimos colocados. Os donos da casa souberam lidar melhor com a situação no primeiro tempo, enquanto os visitantes aparentaram nervosismo e erraram demais.

    Logo aos 14min, depois de uma cobrança de escanteio, Réver cabeceou e Dudu Cearense apareceu sozinho na pequena área para desviar do goleiro Julio Cesar.

    Alguns corintianos levantaram a mão para pedir impedimento, porém o lance foi legal, porque o lateral Welder demorou para sair e, na pequena área, dava condição de jogo ao adversário.

    O conjunto mineiro quase ampliou aos 26min, quando Richarlyson cruzou na área, Magno Alves cabeceou e Julio Cesar espalmou para escanteio. Na sequência, o lance mais polêmico da partida. O árbitro viu Jorge Henrique segurar Réver na área e assinalou pênalti.

    Os corintianos se revoltaram. Julio Cesar levou amarelo por reclamação. Na cobrança, Guilherme deu uma paradinha antes de chegar à bola e bateu de forma precisa, no canto direito do goleiro rival.

    Só depois de levar o segundo gol que o time paulista passou a buscar mais o ataque, entretanto não conseguiu penetrar na área mineira.

    “Começamos o jogo muito mal, por isso estamos perdendo por 2 a 0”, lamentou o lateral Alessandro na saída para o intervalo.

    Bernard, jovem de apenas 18 anos e aposta de Cuca, recebeu elogios por sua velocidade, principalmente no lado esquerdo do ataque.

    “Ele [Cuca] pediu bastante movimentação, tanto por um lado quanto do outro. Agora no segundo tempo vamos procurar administrar a vantagem e tentar fazer mais”, declarou Bernard. Só que não foi o que ocorreu.

    Na volta para a etapa final, Tite mudou e o efeito foi imediato. Aos 4min, Sheik mostrou oportunismo na pequena área, quando de cabeça completou um desvio de Danilo e mandou para rede.

    Três minutos depois, Sheik avançou para sair na cara do goleiro Renan Rocha e foi derrubado por Réver. Pênalti, e o zagueiro do Atlético foi expulso por ser o último homem.

    Na cobrança, aos 9min, Alex bateu com categoria e igualou o placar.

    Emerson quase virou o placar aos 17min, quando recebeu de Liedson e chutou forte, porém por cima do gol.

    Aos 29min, mais uma vez Sheik teve participação decisiva, ao desviar um cruzamento da esquerda e ver Liedson dominar sozinho e bater na saída do goleiro.

     

     

    PROMOÇÃO DO SACOLÃO DO KALIL:

    Compre Réver e Richarlyson e leve inteiramente grátis o Patric!


    Esses três jogadores, bem pagos e que custaram caro ao clube, continuam afundando o GALO!

    Richarlyson até que estava se entendendo bem com o Bernard no primeiro tempo, mas no segundo voltou a errar praticamente tudo e foi um jogador nulo.

    Réver pode até ter salvação, com o novo preparador físico, pois novamente não teve pernas para acompanhar o Emerson e ainda teve a péssima ideia de fazer pênalti no atacante do Corinthians. Dois erros grosseiros fundamentais para a derrota de ontem.

    Já Patric...... é o Patric! Melhor seria ter trazido o Bob Esponja!

     

     

    FICHA TÉCNICA (Superesportes):

    ATLÉTICO 2 X 3 CORINTHIANS

    ATLÉTICO
    Renan Ribeiro; Werley, Lima e Réver (expulso, 7min 2ºT); Patric (Caio, 30min 2ºT) Fillipe Soutto (Jonatas Obina, 24min 2ºT), Dudu Cearense, Bernard e Richarlyson; Magno Alves (Gilberto, 13min 2ºT) e Guilherme
    Técnico: Cuca

    CORINTHIANS
    Julio Cesar; Alessandro (Emerson, intervalo), Wallace, Leandro Castán e Welder; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Jorge Henrique e Liedson (Edenilson, 37min 2ºT)
    Técnico: Tite

    Motivo: 17ª rodada do Campeonato Brasileiro
    Estádio: Ipatingão, em Ipatinga (MG)
    Data: 16 de agosto de 2011

    Gols: Dudu Cearense, 13min 1ºT; Guilherme, 26min 1ºT; Emerson (4min 2ºT); Alex (7min 2ºT); Liedson (29min 2ºT)

    Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
    Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Edney Guerreiro Mascarenhas (RJ)
     
    Cartão amarelo: Julio César, Emerson (COR); Dudu Cearense, Renan Ribeiro, Richarlyson (ATL)
    Cartão vermelho: Réver, 7min 2ºT (ATL)

    Pagantes: 11.167
    Renda: R$ 144.532,00



    Escrito por PLINS às 11h16
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011

    Melhores apostadores da 16.ª rodada

    1.º Paulo Santos: 2.464 pontos (45% do total)

    2.º Jorge Luiz: 2.178 (40%)

    3.º Albino Júnior: 1.958 (36%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 23.485 pontos

    2) Jorge Luiz: 21.789

    3) Albino Júnior: 20.178

    4) Mário Barros: 19.654

    5) Marcos Lins: 19.098

    6) Renato Alexandre: 19.089

    7) Vavá "Bica eles Galo": 18.992

    8) Carlos Magno: 18.849

    9) Paulo Santos: 18.821

    10) Paulo Lins: 18.760

    11) Nelson Roberto: 18.455

    12) Gilberto Couto: 15.937

    13) Fábio Luiz: 14.099

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

    Zebras da rodada

    São Paulo 2x2 Atlético/PR e Corinthians 2x2 Ceará – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da rodada

    Bahia 1x1 Internacional – 3.850 pontos concedidos

     

    Placar mais fácil

    Bahia 1x1 Internacional – 7 palpites exatos

           

    Placares difíceis

    Os demais, com exceção de Figueirense 2x2 Flamengo (1 palpite exato) e Grêmio 2x1 Fluminense (4 palpites exatos).





    Escrito por PLINS às 20h09
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO x MOSQUETEIRO

    Corinthians pega Atlético para tentar se livrar de má fase e segurar a ponta

    A fase atual do Corinthians, mesmo na primeira colocação, não é boa. Nos últimos seis jogos, a equipe conquistou só uma vitória. Para tentar se recuperar no Campeonato Brasileiro, o time vai a Ipatinga para pegar o terceiro rival alvinegro seguido, o Atlético, às 21h50 (de Brasília).

    Depois de três empates seguidos (com os alvinegros Santos e Ceará e o rubro-negro Atlético-PR), a equipe do técnico Tite busca uma nova vitória para não deixar a liderança. O goleiro Julio Cesar espera que esses pontos perdidos nos últimos jogos sejam recuperados.

    “Que essa nuvem que veio seja uma nuvem cinza. Que ela se dissipe e as coisas comecem a melhorar daqui para frente. A gente tem que espantar de vez essa fase”, disse o camisa 1.

    Com os mesmos 34 pontos do vice-líder Flamengo, mas em vantagem pelo maior número de vitórias, o Corinthians tem como meta somar, no mínimo, quatro pontos nos próximos dois compromissos – depois de visitar o Atlético, o time tem pela frente o Figueirense, no Pacaembu.

    Para esta partida, o técnico Tite tem desfalques. Além do zagueiro Chicão, suspenso pelo terceiro cartão amarelo e que dará lugar a Wallace, ele não terá nenhum lateral esquerdo: Fábio Santos fraturou a clavícula esquerda e só volta em dois meses, enquanto Ramon, seu substituto imediato, lesionou a coxa direita. Welder, lateral direito de ofício, será improvisado novamente.

    No Atlético, a fase é bem pior do que a do Corinthians. O time soma 15 pontos e está na zona de rebaixamento. Além disso, o histórico de duelos com o rival paulista é desfavorável. Das 46 vezes em que mediram forças, a equipe do Parque São Jorge venceu 20 e perdeu 14 – houve ainda 12 empates. Para o volante Toró, será necessário ralar muito em campo para mudar o cenário.

    “A expectativa é de um jogo diferente, um clássico. Temos que levantar a cabeça. Nesta quarta-feira faremos um outro jogo. Se não colocar a bunda no chão, se não ralar e suar, se não mostrar porque veio para o Atlético, vai ficar difícil”, afirmou.

    No duelo contra o Coritiba, na rodada passada, o zagueiro Werley chegou a reclamar da ‘meiguice’ dos companheiros de equipe na marcação. Com a cabeça fria, o jogador manteve a opinião, e frisou que o Atlético precisa da vitória a qualquer custo contra o Corinthians. Segundo o defensor, chegou a hora de a equipe mostrar atitude dentro de campo para voltar a vencer.

    “Na hora de dividir, tem que ser como se fosse um prato de comida. A gente precisa ganhar, a nossa situação está complicada e tem de ter atitude. E é todo mundo. Se perder, é o grupo do Atlético-MG, não um ou outro. Está todo mundo no mesmo barco”, afirmou.

    O técnico Cuca não terá o volante Serginho, que vinha sendo utilizado na lateral direita, foi expulso contra o Coritiba e cumprirá suspensão. Outro desfalque é o zagueiro Leonardo Silva, que também está suspenso. Na vaga do defensor, Werley será mantido na equipe, na ala direita, Patric deve ganhar nova chance, o jogador vem sendo criticado pela torcida atleticana.

    FICHA TÉCNICA
    ATLÉTICO X CORINTHIANS

    Local: Estádio Lamegão, em Ipatinga (MG)
    Data: 17 de agosto de 2011 (quarta-feira)
    Horário: 21h50 (horário de Brasília)
    Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
    Assistentes: Rodrigo Pereira e Ediney Guerreiro Mascarenhas (ambos do RJ)

    ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Patric, Werley, Réver e Guilherme Santos; Toró, Fellipe Soutto, Richarlyson e Caio; Magno Alves e André
    Técnico: Cuca

    CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Wallace, Leandro Castán e Welder; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Jorge Henrique e Liedson
    Técnico: Tite

     

    "Após acumular dois tropeços no Pacaembu, o Corinthians vai à Arena do Jacaré em busca da vitória diante do ameaçado Atlético, para seguir na perseguição ao líder Fluminense. A partida desta quarta-feira marca o confronto entre alvinegros que ocupam posições contrárias na tabela. O Timão é segundo colocado enquanto o Galo está na 18ª posição."

    O parágrafo acima é o texto de abertura da matéria do jogo GALO x Corinthians pelo Brasileirão do ano passado. Incrível como, com pequenas diferenças, a situação dos dois clubes se repete no confronto de hoje. Por essas e outras é que se diz que, entra ano, sai ano, o GALO continua o mesmo!

    Se a situação é semelhante à do último confronto, temos que torcer para que o resultado seja o mesmo. Depois de um primeiro ruim, o GALO voltou mais aguerrido e virou o jogo no segundo tempo, vitória que foi fundamental para que o time desse aquela arrancada que o livrou do rebaixamento.



    Escrito por PLINS às 10h45
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    OS RELACIONADOS

    Dudu Cearense e Magno Alves voltam a ser relacionados no Atlético

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda 
    Em Belo Horizonte

    O técnico Cuca relacionou 19 jogadores para a viagem a Ipatinga, local da partida contra o Corinthians, nesta quarta-feira, às 21h50, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. As novidades ficam por conta da aparição do volante Dudu Cearense e do atacante Magno Alves.

    Magno Alves ficou de fora da partida contra o Coritiba, no domingo, quando reclamou de dores musculares. Recuperado, o experiente atacante voltou a ser relacionado pelo treinador e deverá ser novamente titular diante do Corinthians.

    Dudu Cearense, que também desfalcou o time mineiro no final de semana, recuperou de pancada sofrida na derrota para o Figueirense, por 2 a 1, quando se chocou com a trave. O atacante André, que era dúvida por causa de entorse no tornozelo esquerdo, está curado e não é problema para o jogo desta quarta-feira.

    Por outro lado, o atacante Neto Berola, com dores na coxa direita, está fora da lista e ficará em tratamento na Cidade do Galo. Além dele, o meia-atacante Daniel Carvalho, que se recupera de amigdalite, também não entrou na relação de convocados mais uma vez.

    Pressionado pela torcida, que protestou na última segunda-feira, na Cidade do Galo, em Vespasiano, pela campanha ruim do time mineiro no Campeonato Brasileiro, o Atlético mudou a programação de treinamentos visando a partida contra o líder Corinthians.

    O time mineiro embarcará no começo da tarde desta terça-feira para Ipatinga, treinando no Ipatingão, local do jogo de quarta-feira, a pedido do técnico Cuca. A previsão inicial era que o Atlético trabalhasse na parte da manhã na Cidade do Galo.

     

     

    CONFIRA A LISTA DE 19 RELACIONADOS

    GoleirosGiovanni, Renan Ribeiro
    LateraisGuilherme Santos, Patric
    ZagueirosLima, Werley, Réver
    VolantesDudu Cearense, Toró, Gilberto e Fillipe Soutto, Richarlyson
    MeiasBernard, Caio
    AtacantesWesley, André, Magno Alves, Guilherme, Jonatas Obina

     

    Corrigindo a informação do UOL ESPORTE, André chegou a ser relacionado, mas após nova avaliação foi vetado e não viajou para Ipatinga.

    Apesar dos boatos (as redes sociais estão piores que os piores jornalistas), Mancini não está afastado por Cuca. Seria mesmo precipitado da parte do treinador tomar essa atitude.



    Escrito por PLINS às 21h56
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ÓTIMO RETORNO

    ATLÉTICO TRAZ DE VOLTA AO CLUBE O PREPARADOR FÍSICO CARLINHOS NEVES

    Atualmente na Seleção Brasileira, Neves tem passagem pelo Galo

    Por GloboEsporte.com - Belo Horizonte


    O Atlético acertou a contratação do preparador físico Carlinhos Neves, que já trabalhou no clube integrando a comissão técnica de Levir Culpi em 2001 e 2002. O novo 'reforço' já começa a trabalhar no Galo nesta quarta-feira, quando o time comandado por Cuca enfrenta o líder Corinthians, em Ipatinga, a partir das 21h50m (de BrasílIa), pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.


    Em entrevista ao site oficial do Atlético, o preparador físico falou do retorno ao clube, uma década depois.

    - Fico feliz por voltar ao Atlético dez anos depois, com a certeza de que o clube tem uma estrutura muito mais forte, uma direção séria e, acima de tudo, a mesma torcida apaixonada.

    Carlinhos Neves teve passagens por grandes clubes brasileiros. Em junho de 2010 foi convocado para trabalhar na Seleção Brasileira, como preparador físico principal, ao lado do técnico Mano Menezes.

    Saiba mais a respeito do novo preparador físico do Atlético:

    Nome: Luiz Carlos de Souza das Neves
    Data de nascimento: 5/4/1956
    Naturalidade: Curitiba (PR)
    Graduação: Educação Física (Universidade Federal do Paraná)

    Clubes
    Coritiba-PR (1981), Atlético-PR (1982/1983), Pinheiros-PR (1984), Grêmio-RS (1987),Grêmio Maringá/PR (1987), Paraná Clube-PR (1989/1991), Palmeiras-SP (1992/1994), Paraná-PR (1995/1996),  Palmeiras-SP (1997), Coritiba (1997), Vitória-BA (1998), São Paulo-SP (1998/2001), Portuguesa-SP (2001), Atlético(2001/2002), Botafogo-RJ (2003), São Paulo-SP (2003/2010),  Atlético-PR (2011) e Seleção Brasileira Principal

     

     



    Escrito por PLINS às 12h00
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    IMAGEM ROTINEIRA NA GESTÃO ALEXANDRE KALIL - 2



    Escrito por PLINS às 11h39
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÃO É DE HOJE!

    NOS TEMPOS EM QUE OS JOGADORES DO GALO TREINAVAM NA VILA OLÍMPICA, MESMO AMBIENTE DO CLUBE FREQUENTADO POR TORCEDORES.....


     

    Em 1995, jogadores do Atlético se envolvem em confusão com a própria torcida

     

    http://globoesporte.globo.com/videos/bau-do-esporte/v/bau/1317374/

     

    E OLHA QUE O GALO HAVIA SIDO O QUARTO COLOCADO DO BRASILEIRÃO 1994 E CAMPEÃO MINEIRO 1995!

    Ô TORCIDA DIFÍCIL!

     

     

     



    Escrito por PLINS às 11h36
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    IMAGEM ROTINEIRA NA GESTÃO ALEXANDRE KALIL - 1

     



    Escrito por PLINS às 11h21
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    OUTRO REFUGO?

    Pierre fica perto de deixar o Palmeiras e briga judicial dificulta chegada de R. Bueno

    UOL ESPORTE - Luiza Oliveira e Bernardo Lacerda
    Em São Paulo e Belo Horizonte

    Pierre é ídolo da torcida e se tornou um símbolo na história recente do Palmeiras, mas está mesmo perto de deixar o clube e faltam apenas detalhes para o acerto do volante com o Atlético. Em troca, o técnico Luiz Felipe Scolari gostaria de contar com Ricardo Bueno e o indicou, como espécie de compensação, mas uma briga judicial do atacante com o clube mineiro pode impedir a negociação.

    A diretoria alvinegra tem interesse em negociar o atacante, afastado do elenco desde o início do Campeonato Brasileiro. No entanto, a questão judicial virou um empecilho. O jogador acionou o clube mineiro na Justiça do Trabalho desde que começou a treinar separadamente do restante do grupo.

    O atleta alega ter sofrido danos morais, reivindica a rescisão indireta do seu contrato, que se encerra no final de 2012, e diz ter sido alvo de perseguição por se recusar a se transferir para o Atlético-PR. Na ação feita pelos advogados do jogador, Bueno alega que vem sendo excluído dos treinamentos com o grupo profissional.

    A favor do Palmeiras, está o fato de Ricardo Bueno já ter demonstrado interesse em atuar sob comando de Luiz Felipe Scolari. O time paulista fez uma proposta de empréstimo ao Atlético, antes do Campeonato Brasileiro, mas que foi recusado pelo alvinegro de Belo Horizonte. Agora, o clube se interessa em abrir mão de Bueno.

    Por indicação do técnico Cuca, a diretoria atleticana já vem trabalhando a contratação de Pierre desde o final de semana. O jogador já inclusive acertou salários com o time mineiro e teve a sua liberação do Palmeiras confirmada. Com isso, a expectatíva é de que o jogador desembarque em Belo Horizonte nas próximas horas para realizar exames médicos.

    Pierre não vinha tendo chances com Felipão e já cogitava deixar o clube caso recebesse uma proposta. O volante sofreu com lesões nos últimos meses, mas se recuperou e vem sendo preterido pelo seu treinador mesmo quando os titulares da posição não têm condições de jogar.

    No último domingo, após a derrota para o Coritiba por 3 a 0, Cuca disse a torcedores que Pierre estava 'pronto' para defender o Atlético. O jogador será a primeira contratação do novo treinador atleticano, que já indicou que pretende contar com novos jogadores no elenco.

     

    Maio de 2005: o GALO sofre mas elimina o Ituano da Copa do Brasil, com uma vitória por 3 a 1, no Mineirão. Um jogador do Ituano se destaca na partida: o volante Pierre. Ele voltaria a enfrentar o GALO no Mineirão no ano seguinte, pela Série "B", quando o Ituano venceu por 2 a 1. Nessa época, eu queria o Pierre no GALO. Era daqueles volantes marcadores implacáveis, mas sem ser violento.

    Cinco anos se passaram, e agora, quando ele não interessa nem ao Palmeiras, seu destino após o Ituano, Pierre pode estar vindo para o GALO. É o velho hábito do clube de contratar jogadores que já não estão no melhor de sua forma técnica e física, porque nem jogando estão! É mais um para sofrer com o ritmo do Brasileirão, com o momento ruim do clube mas que vem referendado pelo atual treinador. Como foram os casos de Guilherme e André, pra falar dos mais recentes.

    Gilberto Silva, que estava disponível até algum tempo atrás, traria muito mais qualidade ao meio-campo do GALO, mas o paralítico presidente do clube o ignorou. Assim como ignorou a proposta do Palmeiras pelo fraquíssimo Ricardo Bueno, e eu fiz questão de colocar aquela frase da matéria em vermelho, porque essa deveria ser a cor da cara do Alexandre Kalil pela vergonha de ter que ser lembrado que cometeu mais essa burrada incomparável.



    Escrito por PLINS às 22h40
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    PROTESTOS

    Torcida organizada do Atlético faz protesto na porta da Cidade do Galo

    UOL ESPORTE - Bernardo Lacerda
    Em Vespasiano (MG)

    Depois de uma manifestação no desembarque do Atlético no Aeroporto Tancredo Neves, em Confins, na noite de domingo, a torcida atleticana voltou a protestar na tarde desta segunda-feira. Desta vez, o ato aconteceu em frente à entrada da Cidade do Galo, em Vespasiano, antes do início da reapresentação do elenco atleticano, após a derrota para o Coritiba, por 3 a 0, na capital paranaense.

    Doze membros da torcida organizada Esquadrão estiveram na frente da Cidade do Galo, em Vespasiano, com a intenção de protestar contra a situação vivida pelo time no Campeonato Brasileiro e para conversar com os jogadores. O time atleticano ocupa a 17ª colocação, com apenas 15 pontos em 48 possíveis, estando na zona de rebaixamento.

    Os torcedores atleticanos chegaram a Vespasiano por volta das 15h e conseguiram conversar apenas com o lateral-esquerdo Guilherme Santos, o volante Gilberto e o atacante Ricardo Bueno, que chegavam ao CT e pararam seus carros e atenderam aos torcedores.

    “Viemos para protestar e para falar com os jogadores, queremos saber o que está acontecendo. Falamos com eles e eles falaram que não está acontecendo nada, que o time está treinando, mas que os resultados não estão acontecendo, mas isso não convence mais a torcida”, disse Moises Muzzi, presidente da torcida organizada.

    O Esquadrão promete novo protesto, para a tarde de terça-feira, na sede do clube mineiro, no Bairro de Lourdes, assim como já fizeram, há cerca de um mês. “A torcida não vai parar não, a Esquadrão vai continuar e espero que o restante da torcida compareça também.para tentar tirar o time desta situação, é hora de todos acordarem”, destacou Moises.

    “O Esquadrão tem adotado esta postura enquanto o time está nesta situação ruim. É o terceiro protesto que a gente faz, mês passado estivemos no CT e não conseguimos pegar os jogadores que já estavam lá dentro, fizemos na sede, quando o Kalil (presidente Alexandre Kalil) desceu lá para conversar, mas não adiantou nada, não convenceu ninguém. Estamos agora aqui, é apenas o começo”, acrescentou o presidente da torcida organizada.

    Apesar do protesto nenhum incidente foi registrado. Nem mesmo houve a presença da Polícia Militar, como havia acontecido nas últimas manifestações da torcida atleticana, tanto no Aeroporto de Confins, quanto no CT do Atlético.

    Alguém já comentou (não sei se em jornal ou na internet) que o povo é muito mais determinado para protestar contra insucessos de seu clube de futebol do que contra problemas mais importantes, como as condições precárias de saúde, educação, transporte, trânsito, violência, dentre outras do nosso interminável pacote de problemas sociais.

    Será que o povo acha que só pode mudar os rumos de um clube de futebol?

    Protestar em aeroporto, em porta de centro de treinamento ou em frente à sede do clube (onde todos afinaram diante do ditador do GALO) já fez algum perna-de-pau virar craque?

    Os próprios protestantes de hoje admitiram que já realizaram protestos que não deram em nada. Por que será que continuam a agir do mesmo modo? A esperança sempre vence a inteligência? Se mais de 10 mil pessoas gritam por raça nos estádios e isso não muda a atitude dos jogadores, será que doze ou quarenta torcedores, na porta do CT ou na área de desembarque do aeroporto, irão conseguir tal mudança?

    Protesto interessante seria não ir ao estádio, porque ir ao estádio levando faixas idiotas (pra aparecer na TV) e/ou para pegar no pé dos jogadores escolhidos de sempre não ajuda necas! Talvez, diante do abandono da torcida, algum jogador se sinta mais à vontade para jogar com mais "raça", como muitos (ou todos) pedem.

    Protesto interessante pode acontecer durante o processo eleitoral do clube, quando todos deveriam acompanhar de perto, para saber quem irá disputar a presidência, para impedir que os mesmos incompetentes de sempre sejam candidatos, para impedir que os oportunistas também se apresentem.

    Também há protestos mais inteligentes e eficazes - contra governos incapazes de dar um salário digno aos nossos professores - do que estragar ainda mais o nosso já tumultuado trânsito. O dia das eleições, por exemplo, era uma ótima oportunidade. O povo ainda vai aprender isso. Eu acredito!

     



    Escrito por PLINS às 21h48
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    A HISTÓRIA DO PRIMEIRO CAMPEÃO BRASILEIRO

    HÁ 40 ANOS - CAPÍTULO 2

    Em sua edição número 73, de 6 de agosto de 1971, a revista Placar publicou uma pequena matéria sobre os preparativos dos “vinte melhores clubes do Brasil”, que estavam “na reta final de seus preparativos” para a disputa do PRIMEIRO CAMPEONATO NACIONAL.

    Sobre o América Mineiro, adversário do GALO na primeira rodada (capítulo 1 – publicado na segunda-feira passada, dia 8), a notícia era de que os salários estavam atrasados havia dois meses, mas que a diretoria prometia “pôr em dia antes do Nacional”. O Coelho não havia participado das edições do Robertão e, coincidentemente, estreava no campeonato nacional no mesmo ano em que conquistara o campeonato mineiro. Os destaques do América eram Pedro Omar, Dirceu Alves, Amauri, Jair Bala e Hilton Oliveira.

    Quanto ao GALO, a revista publicou:

    O time do Atlético Mineiro para o Campeonato Nacional já está definido. Quem garante é Telê: Renato; Zé Maria, Grapete, Vantuir e Cincunegui (Oldair); Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Lola, Dario e Romeu.

    - Só mudo em caso de contusão. Essa é a melhor escalação do Atlético.

    É um time um tanto diferente daquele que todos esperavam, sem Laci, sem Tião. Contudo, mais forte e homogêneo que o anterior. Humberto Ramos deu outro poder ao meio-campo, o que também foi conseguido com a escalação de Romeu no lugar de Tião.

    Só que está faltando alguma coisa ao time: melhor precisão nos chutes, principalmente nos de distância longa. Mas Telê tem feito seus jogadores treinarem duro para acabar com essa deficiência. Falta também  ao Atlético um lateral-esquerdo para a reserva de Cincunegui.

    O Atlético entra no Nacional nas pontas dos cascos: seus jogadores acabaram de fazer uma estação de águas durante quinze dias. É também o único clube mineiro que entra na briga com as contas em dia: a venda de Vaguinho permitiu ao clube pagar até o último tostão cada jogador.

    O Atlético tem mais uma arma: Dario voltou a marcar gols e mais gols. Por tudo isso, Telê anda tão otimista:

    - Temos time para disputar o título.”

    (Repórter: Arthur Ferreira)

     

    15 de agosto de 1971, domingo: pela terceira rodada, o GALO estava em Porto Alegre para enfrentar o Grêmio, até então o líder do Grupo B do Campeonato Brasileiro, após duas vitórias fora de casa (o GALO não jogou na segunda, porque a tabela tinha rodadas desmembradas). Como destaques, o Grêmio tinha o treinador Oto Glória; o lateral-esquerdo Everaldo, assim como Dario, um dos jogadores tricampeões do mundo com a Seleção Brasileira no México, no ano anterior; no ataque, Flecha e Alcindo; e na lateral-direita, Valdir Espinosa, futuro treinador do GALO e do próprio Grêmio.

    A partida terminou empatada em 1 a 1. Torino abriu o placar para o Grêmio aos 24 minutos, e Lola empatou logo em seguida, aos 29.

     

    Placar final: GRÊMIO 1x1 ATLÉTICO.

     

    O jogo foi realizado no Estádio Olímpico, com público de 28.745 torcedores pagantes, que proporcionaram uma renda de Cr$138.280,00 (cento e trinta e oito mil duzentos e oitenta cruzeiros). Algumas fontes indicam que o jogo foi realizado no dia 14/08, outras no dia 15/08.

     

    Escalação do GALO: Renato, Zé Maria (Humberto Monteiro), Normandes, Vantuir e Cincunegui; Vanderlei Paiva e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Lola e Romeu (Tião).

     

    Demais resultados do Grupo B, o grupo do GALO: na segunda rodada - Bahia 1x1 Flamengo, América Carioca 0x2 Grêmio, Sport Recife 0x2 Santos; na terceira rodada – Santos 3x1 São Paulo, Botafogo 1x1 Flamengo, América Mineiro 1x1 América Carioca, Bahia 3x0 Sport Recife.

    O Grêmio manteve a liderança do grupo, o GALO dividia o quinto lugar com o América Mineiro, e o lanterna era o futuro vice-campeão São Paulo.

     

    fontes:

    BOLA NA ÁREA

    http://www.bolanaarea.com/brasileirao_1971.htm

    O CANTO DO GALO

    http://100anosgalo.blogspot.com/

    ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL

    http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Campeonato_Brasileiro_1971

    FUTPÉDIA

    http://futpedia.globo.com/

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 73, 06/08/1971.

    REVISTA PLACAR, São Paulo/SP, Editora Abril, edição n.º 1118B, Agosto de 1996.




    Escrito por PLINS às 21h04
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    O PROBLEMA DO GALO É O GALO!

    As palavras abaixo não são minhas, mas do jornalista paulista Rica Perrone, mas vocês perceberão que já falei quase a mesma coisa, só que de outro modo. Só mesmo uma solução radical, mudando todas as pessoas do clube, na esperança de que a mentalidade mude, pode alterar os rumos do CLUBE ATLÉTICO MINEIRO. Chega de dirigentes "apaixonados", já passou da hora de os profissionais assumirem o clube!

    O Cuca vem aí. E dai?

    Submitted by  on 08/08/2011 – 16:12

    O Galo contrata um time cheio de peças importantes. Chama um técnico conhecido, passa 6 meses, demite o técnico, troca meio time e acha que resolveu o problema.  O time se arrasta até o fim do ano, faz um novo “pacotão” de reforços e perspectivas para seguir o mesmo roteiro do ano anterior.

    As vezes escapa, chega perto. As vezes escapa, chega a cair.  A receita não funciona, ninguém aprova, mas o cozinheiro não cansa de repeti-la.

    Burro ele não é. Talvez conheça pouco futebol. Talvez não consiga olhar pro espelho antes de apontar o dedo por ai. O Galo não demite e contrata problemas.

    Ele é o problema.

    Passou da hora do torcedor do Galo notar que entra ano, sai ano, as desculpas são as mesmas as atitudes idem. Os resultados, infelizmente, também.

    Não é o Luxemburgo, o Dorival e nem será o Cuca. Não foi o Diego Souza, o Mancini ou a saida do Eder Luis.

    É o Galo.

    O problema do Atlético é o Atlético.

    Enquanto mexerem em volta e não atingirem o que de fato permite o gigante Atlético de se postar como pequeno, assim será.

    Não, o Galo não deixará de ser grande.  Isso é papo de cruzeirense ou de jovens jogadores de playstation que não sabem muito bem o que é ser o time que mais vezes chegou entre os 4 primeiros do Brasileirão, por exemplo.

    O Galo é enorme. Não é um título que vai mudar isso.  Enquanto houver uma torcida daquele tamanho atrás dele, nada poderá diminuí-lo.

    Mas está na hora de agir como gigante.

    É cansativo o noticiario do Atlético. Todo ano é a mesma coisa, mudam os nomes, os “craques”, o “técnico”, mas… não muda nada.

    Eu não conheço a diretoria do Galo, nem farei julgamento algum sobre o que os atuais pretendem, onde erram ou onde acertam.

    Mas é lá dentro que está o problema, não no time, no técnico ou na torcida.

    Quando eu era moleque meu pai dizia que eu podia ter problemas com um professor, um coleguinha, talvez dois. Quando eu chegasse em casa com problemas com 5 professores, 5 colegas… o problema era eu.

    O que fazer, então?

    Não sei. Não estou lá pra saber e nem pra determinar qual dirigente é bom ou ruim. Daqui, vejo o óbvio.  De lá, ao que parece, a paixão cega e todo ano eles se convencem que o problema foi outro.

    Até que acabe o estoque de justificativas e entendam que a busca desesperada por um título grande, que não vem há 40 anos, talvez o afaste mais ainda.

    Trocar de time e técnico todo ano não costuma funcionar. Note que os ultimos campeões foram construidos antes do ano da conquista.

    O SPFC viveu um 2003 e 2004 montando time até ganhar tudo em 2005. O Flamengo foi buscar o Brasileirão com a base sendo montada nos anos anteriores. E o time campeão de 2010 foi “formado” lutando pra não cair em 2009.

    Desmontar e montar o tempo todo não tem dado certo. Mas se duvidam, temos ai mais uns 100 anos de grandeza garantida pra ir tentando até encontrar a solução.

    A receita é clara, aberta, colocada em prática todos os dias por muitos. Mas como ela inclui o fato de muita gente “largar o osso” e pensar mais no clube do que em si mesmo, costuma complicar em alguns clubes.

    O Galo contratou Cuca. Eu adoro o Cuca.

    Mas o que eu acho disso?

    Nada.  A tendência é ser apenas mais um a levar uma culpa que não é dele.

    Apesar de fazer mil votos para que os dois, juntos, conquistem o que tanto desejam.

    abs,
    RicaPerrone 


     



    Escrito por PLINS às 18h39
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO, O PIOR DA RODADA

    O fantasy game CARTOLA FC do SPORTV, para quem não conhece, é baseado nas estatísticas dos jogos do Brasileirão. A pontuação de cada jogador é atribuída conforme sua participação no jogo. Evidentemente que a lógica não prevalece, porque a atribuição de pontos é subjetiva. Por exemplo: uma roubada de bola na defesa vale 1,7 pontos, uma falta cometida, -0,5 ponto. A situação do goleiro é ainda pior, pois há o quesito "defesa difícil", e quem se julga capaz de definir se uma defesa é ou não é "difícil"?

    Deixando de lado a discussão sobre a validade dos critérios do Cartola FC, apenas para ilustrar o que foi a partida do GALO ontem diante do Coritiba, vejam a pontuação dos 14 jogadores que atuaram naquela derrota:

    1) Bernard: 3,00

    2) Neto Berola: 1,10

    3) Fillippe Soutto e Renan Ribeiro: 1,00

    5) André: 0,70

    6) Guilherme: 0,20

    7) Richarlyson: 0,10

    8) Caio: -0,40

    9) Guilherme Santos e Réver: -0,60

    11) Werley: -0,80

    12) Wesley: -1,80

    13) Toró: -2,20

    14) Serginho: -4,90


    A pontuação do treinador é baseada na média de todos os jogadores do time que atuaram na rodada. Deste modo, na rodada deste final de semana Cuca foi o pior treinador, com nota -0,38, a única negativa dentre os 20 treinadores, porque, estatisticamente, o GALO foi o pior time da 16ª rodada do Brasileirão!

    Deixando a pontuação desta rodada de lado e reparando apenas na média do campeonato, percebe-se que alguns ex-jogadores do GALO estão à frente dos atuais jogadores do clube em duas posições:

    ATACANTES: Alessandro (América): 5,18 / Jael (Flamengo): 5,10 / Magno Alves: 4,63.

    LATERAIS: Marcos Rocha (América): 5,30 / Mariano (Fluminense): 3,91 / Edílson (Atlético/PR): 3,90 / Alessandro (Botafogo): 3,88 / Roger: 3,75

    Nas laterais, antes de surgirem os nomes de Patric e Guilherme Santos, surgem os de Diego Macedo, Rafael Cruz e Thiago Feltri. Ou seja, os execrados do passado são melhores que os execrados do presente. E os nossos melhores jogadores no setor são Roger e Eron, ambos da base, que jogaram pouco e não são titulares.

    Isso me faz lembrar novamente aquela música dos Titãs:

    "NÃO É QUE VOU FAZER IGUAL, EU VOU FAZER PIOR!"

     



    Escrito por PLINS às 17h51
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    CORITIBA 3x0 ATLÉTICO

    GALO MANTÉM O JEJUM COM CUCA E VOLTA A FICAR EM SITUAÇÃO DELICADA NO BRASILEIRO


     

    Time alvinegro mostrou os velhos defeitos e acabou goleado pelo Coritiba

     

     

     

    Vicente Ribeiro - SUPERESPORTES

     


    O Atlético apostou em um novo esquema armado pelo técnico Cuca. Mas as velhas deficiências voltaram a prevalecer e atrapalharam a missão da equipe de buscar a primeira vitória sob o comando do treinador. O Galo foi goleado pelo Coritiba, por 3 a 0, neste domingo, no Estádio Couto Pereira, e novamente se vê em situação delicada no Campeonato Brasileiro, bem próximo de retornar à zona de rebaixamento.

    Foi a segunda derrota consecutiva do Atlético sob o comando de Cuca. Na última quarta-feira, na estreia do técnico, o time alvinegro fora superado pelo Botafogo (2 a 1), em Ipatinga, pela Copa Sul-Americana. A expectativa era de um resultado diferente em Curitiba. Para isso, o treinador modificou a equipe em todos os setores. Mas de nada adiantou. A limitação de alguns jogadores ficou exposta mais uma vez e impediu com que o Galo tivesse êxito.

    O Coritiba, bem armado pelo técnico Marcelo Oliveira, ex-jogador, treinador das categorias de base e do profissional do Galo, levou a melhor com gols de Bill, no primeiro tempo, e Rafinha e Leonardo, ambos na etapa final. Foi a nona derrota do Atlético na lamentável campanha neste Brasileiro. Com 15 pontos, o Alvinegro está muito próximo da zona da degola. Já o Coxa chegou a 21 pontos e subiu na classificação.


    Para piorar a situação de Cuca, o Galo terá que buscar a recuperação diante do Corinthians, líder do Brasileiro. O jogo será na próxima quarta-feira, no Ipatingão, em um confronto de risco pelo péssimo momento dos mineiros e a insatisfação da torcida, que deverá cobrar dos jogadores. O Coritiba enfrentará o Santos, na mesma data, na Vila Belmiro.

    O jogo

    A baixa temperatura em Curitiba parece ter afetado os dois times. Coritiba e Atlético começaram o jogo em ritmo lento. As equipes sofreram muitas mudanças em relação aos compromissos anteriores e pareciam se estudar e se adaptar ao posicionamento nos primeiros minutos. Só depois dos 10min é que a partida ganhou mais movimentação.

    Antes, aos 8, o Coritiba chegou pela primeira vez. Anderson Aquino recebeu passe de Rafinha na área e tocou na saída de Renan Ribeiro. Werley tirou quase em cima da linha e Guilherme Santos aliviou em seguida. Depois, Werley não subiu, Bill cabeceou e o goleiro catou firme. 

    Com Bernard aberto na esquerda, o Atlético apostava nos contragolpes. Mas, a exemplo dos jogos anteriores, os erros de passes – principalmente no meio-campo – impediam a conexão entre defesa e ataque. A melhor chance do Galo começou em jogada de Bernard, que passou a Serginho. Improvisado na lateral-direita, ele cruzou para Richarlyson, que tocou à direita de Edson Bastos.

    Depois desse lance, o Coritiba tomou conta do jogo e mereceu a vitória parcial. Cuca ainda alertou para a necessidade de melhorar o posicionamento, mas a verdade é que, mesmo com três volantes, o Atlético deu espaço para o adversário no meio-campo. E o contragolpe, arma preparada pelo treinador alvinegro, funcionou a favor do Coxa. Aos 32min, Tcheco arrancou pela esquerda, driblou Réver e cruzou rasteiro. A bola desviou em Rafinha e encontrou Bill - em posição irregular -, que tocou para as redes: 1 a 0.

    Mais decepção


    O Galo voltou a campo com duas alterações e um esquema mudado. Cuca apostou em dois atacantes, Neto Berola e Guilherme. Saíram Caio e André, respectivamente. O time alvinegro levou perigo pelo lado direito, mas o Coritiba estava pronto para puxar os contra-ataques. Era o risco que os mineiros teriam que correr, já que precisavam buscar a reação.

    Neto Berola começou bem, incomodando a defesa com a jogada característica, em velocidade. Mas faltava sequência e aproximação dos homens de meio-campo. E os erros de passe persistiam e facilitavam a vida do Coritiba. Isolado na frente, Guilherme recuava para buscar a bola, só que não conseguia produzir muita coisa sem ajuda. Bernard continuou aberto pela esquerda, sem muita efetividade. O time ficou sem um armador, outro problema que se repetiu em Curitiba.

    Cuca tentou mudar o panorama mais uma vez. Sentindo a necessidade de mais força ofensiva e aproximação de um meia-campista, ele sacou Fillippe Soutto para a entrada de Wesley. Novamente, a mudança não funcionou. O time continuou inoperante no setor de criação e ainda ficou mais exposto na defesa. 

    O técnico do Coxa, Marcelo Oliveira, escalou o angolano Geraldo, justamente para explorar as subidas de Serginho. E, aos 31min, saiu o lance que definiu a partida para a equipe da casa. Rafinha fez boa jogada pela direita e foi derrubado por Toró. Na cobrança, aos 31, o mesmo Rafinha chutou e Renan deu rebote, aproveitado pelo próprio jogador do Coritiba: 2 a 0. E ainda teve tempo para o terceiro. Leonardo foi derrubado por Serginho na área, em mais uma penalidade marcada – o atleticano foi expulso. Aos 44, Leonardo deslocou o goleiro e fechou o placar: 3 a 0

    CORITIBA 3 X 0 ATLÉTICO


    Coritiba: 
    Edson Bastos; Jonas, Jéci, Emerson e Lucas Mendes; Leandro Donizete, Tcheco, Rafinha e Everton Costa (Marcos Aurélio); Anderson Aquino (Geraldo) e Bill (Leonardo)
    Técnico: Marcelo Oliveira

    Atlético:
     Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Werley e Guilherme Santos; Fillippe Soutto (Wesley), Richarlyson, Toró, Caio (Neto Berola) e Bernard; André (Guilherme)
    Técnico: Cuca

    Motivo: 
    16ª rodada do Brasileiro
    Data: domingo, 14 de agosto
    Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba
    Gols: Bill, 32min do 1ºT; Rafinha, 31min, Leonardo, 44 do 2ºT
    Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
    Auxiliares: Altemir Haussman (RS) e Erich Bandeira (RS)
    Cartões amarelos: Caio, Werley, Guilherme Santos, Serginho, Toró (ATL); 
    Cartão vermelho: Serginho

     

     

    Até que pelo começo de jogo, o GALO deu uma enganada, parecia que seria mais competitivo. Mas aos poucos, os velhos defeitos foram aparecendo: marcação frouxa na defesa, a bola não parava no nosso ataque, pouca criação de jogadas, passes erradas, quase nenhuma finalização... 

    E então, diante de tantos erros, o Coritiba conseguiu seu primeiro gol, e seu autor estava em nítido impedimento (mas como foi driblado facilmente o Réver!). E a arbitragem já havia errado antes, num lance que Caio sofreu falta, o VIADEN não marcou e ainda por cima deu cartão amarelo para o Caio. Tudo isso faz parte do pacote URUCA que o GALO adquiriu quando empossou Alexandre Kalil presidente. Tudo que pode dar errado dá errado!

    No segundo tempo, as mexidas do Cuca não fizeram efeito algum, e ele ainda tirou o Fillippe Soutto, que ainda não voltou a jogar seu bom futebol mas é bem melhor, ainda que cansado, que outros que ficaram em campo.

    O GALO mudou seu treinador, mas Serginho continua sendo Serginho, Toró continua sendo Toró, e Guilherme Santos continua sendo Guilherme Santos. E eu tenho que repetir que o melhor zagueiro do GALO foi sacado assim que o Cuca assumiu o time e Richarlyson é o cara mais bem pago para não fazer nada que eu conheço no futebol brasileiro.

    Pra terminar, parabéns a todos os C*UZEIRENSES que continuam apoiando Alexandre Kalil. É desse apoio que o GALO precisa para cair de novo para a segunda divisão.

    E nossa dívida financeira continua lá em cima!



    Escrito por PLINS às 18h04
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    VEXAME POUCO É BOBAGEM!

    ALEXANDRE KALIL PRESIDENTE,

    HUMILHAÇÃO FREQUENTE!



    Escrito por PLINS às 17h52
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    VOVÔ x GALO

    Em má fase, Galo encara o Coritiba, que busca a primeira vitória em casa

     

    Sem vencer em casa nos últimos dois confrontos, o Coritiba tenta quebrar o jejum no Estádio Couto Pereira aproveitando-se da fase instável do Galo, neste domingo, às 16 horas (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro 2011. As duas equipes estão em posições intermediárias na tabela e uma vitória pode ser o início da recuperação. Em caso de tropeço, a proximidade da zona da degola volta a preocupar.

    O técnico Marcelo Oliveira, que reencontra o time que o revelou para o futebol como jogador e treinador, garante estar focado agora no clube do Alto da Glória. Para escalar o time, alguns problemas. O meia Davi se juntou ao zagueiro Pereira e o volante William, todos vetados pelo departamento médico alviverde. Já Marcos Aurélio, em baixa, tem sua posição ameaçada. Éverton Costa, que se recuperou de lesão pode ser uma aposta do comandante coxa-branca.

    Vivendo uma fase oposta a do começo do ano, o Coxa está sendo bastante cobrando pelo torcedor. O meia Tcheco entende e garante que a solução passa pelos próprios jogadores. “A gente conversa entre nós, jogadores, sempre nos cobrando, para ter mais atenção e buscar crescer. Tem que partir dos atletas também. Fizemos uma cobrança entre nós jogadores. Realmente temos mais condições de estar acima da tabela e se não estamos justamente por responsabilidade de nós jogadores”, avaliou.

    Para enfrentar o Coritiba, o técnico Cuca terá o desfalque do zagueiro Leonardo Silva, que vai cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Com isso, Werley deve ganhar uma chance entre os titulares, e o defensor garante que ser for acionado vai fazer de tudo para ajudar o Atlético a conquistar um resultado positivo.

    “Sou muito grato ao clube e às pessoas aqui dentro. Sempre trabalhei para ter uma oportunidade e se precisar de mim, vou entrar e ajudar o time. O Cuca chegou e alterou o time. Eu acho que agora temos de nos adaptar ao esquema que o treinador gosta de adotar e fico tranquilo quanto a isso”, declarou.

    Embora a campanha do Galo seja irregular no Campeonato Brasileiro, o clube tem demonstrado ser especialista em fazer gols de cabeça. A jogada aérea atleticana foi responsável por 50% dos gols marcados pelo time na competição nacional. “Se eu estiver em campo e tiver oportunidade, vou tentar marcar e aumentar estes números, mas o importante mesmo é o time vencer e trazer os três pontos”, disse Werley.

    O técnico Cuca projeta um duelo complicado diante do Coritiba, mas destaca que o momento é ideal para que a equipe atleticana consiga dar uma resposta positiva para a torcida, e assim, conseguir a reabilitação no Campeonato Brasileiro.

    “Vai ser um jogo de altíssimo risco, mas vai ser um jogo que você pode ter superação e buscar a vitória. E a partir dela ter a sequência que buscamos, porque você não vai em pouco tempo mudar uma situação. Tem que ter paciência e perseverança. Mas o sentimento deles me deixa feliz, porque eles têm brio, têm vergonha na cara”, frisou.

    FICHA TÉCNICA
    CORITIBA x ATLÉTICO

    Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, em Curitiba (PR)
    Data: 14 de agosto de 2011, domingo
    Horário: 16 horas (de Brasília)
    Árbitro: Leandro Pedro Vuaden.
    Auxiliares: Altemir Hausmann e Erich Bandeira

    CORITIBA: Edson Bastos; Jonas, Emerson, Jéci e Eltinho; Leandro Donizete, Léo Gago, Tcheco e Rafinha; Marcos Aurélio (Everton Costa) e Bill. T: Marcelo Oliveira

    ATLÉTICO: Renan Ribeiro; Serginho, Réver, Werley e Guilherme Santos; Toró, Fillipe Soutto, Richarlyson e Caio; Bernard (Guilherme) e André. T: Cuca


    O jogo de hoje é o mais "fácil" dos últimos quatro que o GALO fará pelo primeiro turno do Brasileirão, assim como o confronto contra o Figueirense era o mais "fácil" deste mês de agosto. Quer dizer, se para o GALO o aparentemente fácil torna-se difícil, o que imaginar, além do jogo de hoje, dos próximos confrontos, três pelo turno - Corinthians, como mandante; Botafogo, como visitante; e C*uzeiro, como mandante - e um já pelo returno - Atlético Paranaense, como visitante?

    E hoje, dependendo o resultado no Couto Pereira, o GALO pode voltar para a zona do rebaixamento: basta perder, e o Grêmio ao menos empatar o Fluminense em Porto Alegre. Grêmio que ainda tem um jogo a menos que o GALO, pois não enfrentou o Santos, jogo também em Porto Alegre.

    É muita pressão, e por isso mesmo o empate, normalmente considerado bom resultado fora de casa, pode ser péssimo negócio para o GALO.




    Escrito por PLINS às 11h15
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011

     

    Melhores apostadores da 5.ª rodada (números definitivos)

    1.º Mário Barros: 1.758 pontos (48% do total)

    2.º Vavá “Bica eles, Galo”: 1.624 (42%)

    3.º Paulo Lins: 1.520 (42%)

     

    Zebra da rodada

    Atlético 2x2 Atlético/GO – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da rodada

    Ceará 0x2 São Paulo – 2.450 pontos concedidos

     

    Placar mais fácil

    América 1x1 C*uzeiro – 4 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Fluminense 0x1 Bahia, Palmeiras 5x0 Avaí, Atlético 2x2 Atlético/GO e Santos 0x0 Corinthians – nenhum palpite exato

     

     

    Melhores apostadores da 15.ª rodada

    1.º Jorge Luiz: 2.541 pontos (48% do total)

    2.º Albino Júnior: 2.142 (41%)

    3.º Mário Barros: 1.932 (37%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 21.571 pontos

    2) Jorge Luiz: 19.611

    3) Mário Barros: 18.268

    4) Carlos Magno: 18.255

    5) Albino Júnior: 18.220

    6) Paulo Lins: 17.902

    7) Vavá "Bica eles Galo": 17.452

    8) Renato Alexandre: 17.329

    9) Marcos Lins: 17.184

    10) Nelson Roberto: 16.849

    11) Paulo Santos: 16.357

    12) Gilberto Couto: 15.189

    13) Fábio Luiz: 12.955

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

     

    Zebra da rodada

    Atlético 1x2 Figueirense – 84 pontos concedidos

     

    Barbada da rodada

    Santos 1x0 Ceará – 3.633 pontos concedidos

     

    Placares mais fáceis

    Atlético/PR 1x1 Corinthians e Avaí 1x2 São Paulo – 4 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Palmeiras 0x0 Grêmio, Atlético 1x2 Figueirense, América 3x0 Fluminense, Internacional 3x2 C*uzeiro e Botafogo 4x0 Vasco – nenhum palpite exato

     



    Escrito por PLINS às 18h15
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    MUDANÇAS JÁ COMEÇARAM

    CUCA ALTERA TODOS OS SETORES E ESCALA ATLÉTICO NO 4-5-1

    Serginho na lateral, Renan Ribeiro, Werley, Soutto e Bernard são novidades do time

    Gustavo Andrade - SUPERESPORTES


    No segundo jogo no comando do Atlético, Cuca optou por alterar todos os setores da equipe que foi derrotada em sua estreia contra o Botafogo, por 2 a 1, pela Copa Sul-Americana. Para enfrentar o Coritiba, neste domingo, às 16h, no Couto Pereira, a equipe alvinegra terá quatro novos jogadores, além de uma improvisação na lateral direita.

    Depois de perder a condição de titular na 8ª rodada, Renan Ribeiro volta ao gol atleticano no lugar de Giovanni. Patric também perdeu a condição de titular e Serginho foi improvisado na lateral direita. Na zaga, Werley herdou a vaga de Leonardo Silva, que cumprirá suspensão automática. Já no meio-campo, entraram o volante Fillipe Soutto e o meia Bernard, enquanto o atacante Magno Alves foi poupado do treinamento coletivo.

    Na atividade realizada na manhã desta sexta-feira, na Cidade do Galo, a equipe titular foi formada por Renan Ribeiro, Serginho, Réver, Werley e Guilherme Santos; Toró, Fillipe Soutto, Richarlyson, Caio e Bernard; André.

    Os reservas tiveram Giovanni, Patric, Lima, Luiz Eduardo e Eron; Gilberto, Dudu Cearense, Wesley e Giovanni Augusto; Neto Berola e Guilherme. Assim como Magno Alves, Mancini foi poupado por causa de dores musculares.

    Contra o Coxa, o treinador alvinegro tentará iniciar a reação do Galo no Campeonato Brasileiro. Após quinze rodadas, a equipe ocupa a 15ª colocação, com 15 pontos somados, apenas dois acima da zona de rebaixamento.

     

     

    Bom começo: já percebeu alguns pontos fracos, mas ainda manteve o Toró  titular (foi jogador dele em 2009) e o Lima na reserva. No time júnior, o Bernard caía sempre pela esquerda, e por lá fazia boas jogadas. No profissional, sob o comando de Dorival Júnior, ele jogava diferente. Se ele for mesmo titular no domingo, veremos se o Cuca o manterá por ali.

     

     



    Escrito por PLINS às 11h36
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ATLÉTICO 1x2 BOTAFOGO

    Na estreia de Cuca, Atlético pressiona, erra muito e perde para o Botafogo

    Do UOL Esporte
    Em Belo Horizonte

     

    Na estreia de Cuca, na noite desta quarta-feira, no Ipatingão, o Atlético voltou a apresentar os mesmos erros cometidos sob o comando do antecessor Dorival Júnior, e foi derrotado pelo Botafogo, por 2 a 1, pela Copa Sul-Americana. Dessa forma, o alvinegro carioca, tradicional algoz atleticano, garantirá vaga à próxima fase da competição internacional, com um empate, no jogo da volta, no Engenhão, no próximo dia 23.

    O Botafogo, sexto colocado no Brasileirão, vindo de goleada sobre o rival Vasco, por 4 a 0, veio a Minas sem três titulares, que foram poupados por Caio Júnior: Cortês, Renato e Elkeson. Mas, o treinador escalou um time forte, com Maicosuel no meio-campo e os ‘gringos’ Loco Abreu e Herrera no ataque.

    No Atlético, Cuca, a esperança de encerrar a crise do clube, que está perigosamente perto da zona de rebaixamento no Brasileiro, fez o time voltar ao 4-4-2, reabilitando o zagueiro Réver e o lateral-esquerdo Guilherme Santos. Além disso, o novo treinador manteve o goleiro Giovanni, depois de admitir dúvida entre ele e Renan Ribeiro.

    Com a vitória, o alvinegro carioca se mantém invicto diante do Atlético há cinco jogos, sendo que venceu os últimos quatro confrontos, os dois primeiros como mandante e os outros dois como visitante. Além disso, o time atleticano segue sem conseguir vencer o Botafogo em jogos válidos pela Copa Sul-Americana.

    No primeiro tempo, o time visitante chegou a abrir 2 a 0, parecendo que poderia definir sua classificação à fase seguinte da Copa Sul-Americana já no jogo de ida. Mais na base da vontade do que na técnica, no entanto, o Atlético conseguiu um gol aos 44 min da etapa inicial, marcado por Richarlyson, que alterou o panorama da partida. No segundo tempo, a equipe mineira pressionou, criou e desperdiçou chances, mas acabou derrotada novamente.

    A torcida atleticana, esperançosa de ver uma história diferente, na estreia de Cuca, teve uma decepção logo aos 6 min, quando o Botafogo abriu o placar, repetindo o que fez o Figueirense, no mesmo Ipatingão, sábado passado, quando a equipe catarinense fez um gol também no começo do jogo, que acabou vencendo por 2 a 1, gerando a demissão de Dorival Júnior.

    O drama atleticano teve cenas repetidas. O gol adversário saiu em consequência de falha individual. Neste caso, Patric perdeu uma bola, o lateral-esquerdo Márcio Azevedo avançou pela esquerda, cruzou na medida para Loco Abreu, que ajeitou de cabeça, para chute forte de Herrera. Imediatamente, a torcida atleticana passou a vaiar o lateral-direito do time, hostilizado toda vez que tocava na bola.

    Aos 26 min, Cuca tirou Patric e colocou o meia Wesley, deslocando Serginho para a direita. Os torcedores atleticanos aplaudiram a modificação. O Atlético chegou a dar a impressão que chegaria ao empate, depois que criou jogadas de perigo ao gol defendido por Jefferson. Mas não foi isso que aconteceu.

    Em rápido contra-ataque, aos 38 min, Maicosuel arrancou com a bola dominada e colocou nas redes, aumentando a vantagem dos visitantes. O alvinegro mineiro mandou uma bola na trave, aos 42 min, com Richarlyson, de cabeça, e quando parecia que terminaria o primeiro tempo perdendo por 2 a 0 conseguiu balançar as redes. O mesmo Richarlyson diminuiu, aos 44 min da etapa inicial.

    “Não podíamos levar os dois gols. Foram as duas chegadas que eles tiveram e acabaram concluindo em gol, temos que ter mais atenção, marcar mais forte para tentar empatar e até virar o jogo”, comentou o zagueiro Leonardo Silva. Para o atacante Herrera, autor do primeiro gol, o Botafogo fez boa partida, mas vacilou ao final da etapa. “Tomamos um gol que não podíamos levar, a gente tinha a vantagem de dois gols”, lamentou.

    O gol de Richarlyson no fim do primeiro tempo motivou o Atlético, que iniciou a etapa final pressionando o adversário. Apesar de ser expor ao contra-ataque botafoguense, o time da casa teve chances de empatar. O atacante André desperdiçou duas ótimas chances. Aos 7 min, ele chutou para fora, e aos 10 min, obrigou Jefferson a difícil defesa. A pressão durou todo o segundo tempo, que se transformou numa espécie de ‘ataque contra a defesa”, mas o Botafogo resistiu. Nos minutos finais, o Atlético ficou com um jogador a menos, por causa da expulsão de Toró.

     

    Se é possível aprender muito com os erros, melhor aprender com os erros dos outros. Dorival Júnior já havia descoberto que o GALO não podia jogar com dois zagueiros, que Réver estava muito lento e que não dava pra confiar em Guilherme Santos e Mancini. Faltava ainda ter certeza de que Serginho e Richarlyson não podem ser volantes, Patric não é jogador para o GALO, e Toró e Magno Alves não podem ser titulares. O ditador falastrão do GALO mandou Dorival embora (a culpa é sempre do treinador), e o Cuca chegou, um treinador "que conhece o GALO". Conhece, mas conhece aquele GALO que não conseguiu conquistar sequer o campeonato mineiro em cima de um destroçado (pelo Once Caldas) C*uzeiro. Então, o que faz Cuca? Faz o GALO voltar no tempo, reeditando seu pior time, com os retornos de Réver e Guilherme Santos, e a insistência em Mancini! Isso sem falar que permanecem aqueles que, quem sabe, muito em breve o Dorival sacaria do time. Resultado: a zaga voltou a jogar em ritmo de tartaruga, com mais buracos que as rodovias mineiras, e o Botafogo, sem forçar muito, conseguiu dois gols rapidamente, em falhas grotescas de todo o sistema defensivo.

    Eu disse ontem que o Cuca teria que contar com a sorte, mas com o peso do anti-cristo que preside o GALO querer sorte é um pouco demais. Até de quem poderíamos esperar algo melhor ontem não obtivemos nada. André, que esteve bem nos três primeiros jogos, voltou a repetir a má atuação diante do Figueirense e perdeu gols imperdíveis. A pontaria continua sendo o maior problema do GALO, pontaria para mandar a bola no gol, pontaria para dar um passe para o companheiro. Até o goleiro Giovanni começa a mostrar que suas boas atuações nos tempos de Grêmio Barueri foram uma enganação. Ele não consegue chutar uma única bola na direção de um jogador do GALO. Disseram que ele havia falhado contra o Palmeiras, no primeiro gol, mas acho que ele anda falhando em chutes menos venenosos, como no segundo gol do Figueirense e no segundo gol do Botafogo ontem, quando ele nem esboça a intenção de defender o chute, com os braços recolhidos, parado como se fosse jogador de futebol de botão (hoje, futebol de mesa).

    Dorival Júnior demorou muito a perceber os engodos que o GALO tem, mas começava a corrigir isso. Agora, o clube deu vários passos para trás, e o Cuca vai precisar de muito tempo para continuar o processo de limpeza do Dorival.

    FICHA TÉCNICA (Superesportes):

    ATLÉTICO 1 X 2 BOTAFOGO

    ATLÉTICO

    Giovanni; Patric (Wesley, 26min 1ºT), Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos (Mancini, 23min 2ºT); Richarlyson, Serginho, Toró e Caio; Magno Alves (Neto Berola, 12min 2ºT) e André
    Técnico: Cuca

    BOTAFOGO
    Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo (Léo, 13min 2ºT); Marcelo Mattos, Lucas Zen, Felipe Menezes e Maicosuel (Alexandre Oliveira, 17min 2ºT); Herrera (Alexssander, 24min 2ºT) e Loco Abreu
    Técnico: Caio Júnior

    Motivo: Jogo de ida da 2ª fase da Copa Sul-Americana
    Estádio: Ipatingão, em Ipatinga (MG)
    Data: 10 de agosto de 2011

    Gols: Herrera, 6min 1ºT; Maicosuel, 38min 1ºT; Richarlyson, 44min 1ºT

    Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
    Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)

    Cartão amarelo: Lucas Zen (BOT)
    Cartão vermelho: Toró (ATL)

     



    Escrito por PLINS às 10h42
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ATLÉTICO x BOTAFOGO

    Pensando no título, Atlético e Botafogo estreiam na Sul-americana

    Gazeta Press


    Motivado pela estreia do técnico Cuca, o Atlético começa sua participação na edição de 2011 da Copa Sul-Americana nesta quarta-feira, medindo forças com o Botafogo, às 21h50, no Estádio Ipatingão. Apesar da campanha ruim no Campeonato Brasileiro, a equipe mineira não pensa em poupar jogadores e encara o torneio com muita seriedade.

    O técnico Cuca já declarou que não vê problemas em atuar quarta e domingo, e garante que o Atlético tem condições de jogar o Brasileiro e a Sul-americana sem a necessidade de priorizar uma das duas competições. Segundo o novo comandante atleticano, o elenco é grande e oferece possibilidade de utilização do potencial de todos os atletas.

    “Eu gosto particularmente de jogos quarta e domingo. Quando você tem um grupo grande, é bom porque você consegue usar todo o seu potencial. E a Sul-Americana, na minha ótica, você tem que entrar para vencer. Com um grupo grande como a gente tem, temos que tentar as duas frentes”, declarou.

    Pensamento semelhante ao do novo treinador tem o zagueiro Réver, que destaca que o jogo contra o Botafogo deve ser tratado pelos jogadores como uma decisão. Segundo ele, chegou a hora de a equipe dar uma resposta para a torcida e para o técnico Cuca.

    “A gente tem que encarar esse jogo como se fosse o último, independente de ser Copa Sul-Americana ou Campeonato Brasileiro, de ser contra o Botafogo ou contra o Coritiba: precisamos dar uma resposta e ter resultados”, afirmou.

    Já o Glorioso está empolgado pela goleada por 4 a 0 sobre o rival Vasco, no fim de semana, que o fez encostar novamente na zona de classificação para a próxima Libertadores. Agora, o foco vira para o torneio continental, embora o técnico Caio Junior tenha antecipado que pretende preservar alguns atletas, desgastados pela maratona de jogos.

    Mesmo assim, Caio Junior garante um Botafogo disposto a fazer uma boa Copa Sul-americana e lutando pela conquista do título. Isso porque o treinador quer ver a equipe com regularidade.

    “Tivemos uma grande atuação no clássico contra o Vasco e isso não pode cair no esquecimento. Não quero dizer que aquele é o nosso time ideal, mas é o nosso modelo de boa atuação. A regularidade agora pode ser a nossa diferença nesta temporada. Se conseguirmos ser um time regular vamos sempre brigar pelos títulos nas competições que disputarmos”, afirmou Caio Junior.

    Para os jogadores do Alvinegro carioca, é fundamental a equipe fazer também uma boa campanha na Sul-americana, já que não há garantias no Campeonato Brasileiro, marcado pelo alto grau de dificuldade.

    “O Campeonato Brasileiro é uma maratona, uma competição longa e queremos muito lutar pelo título. Mas não podemos garantir que isso vai acontecer quando entrarmos na reta final. Temos condições para isso, mas não podemos simplesmente abrir mão de lutar pelo título da Sul-americana, pois ganhando esta competição vamos alcançar uma das grandes metas para a temporada que é a vaga na próxima Libertadores”, disse o goleiro Jéfferson.

    Caio Junior decidiu não antecipar a escalação que vai a campo contra o Galo, mas vai preservar alguns jogadores que estão desgastados ou voltando de lesão. Sendo assim, ficam fora o zagueiro Antônio Carlos, o lateral esquerdo Cortês, o volante Renato e o atacante Herrera. Já o meia Maicosuel, que cumpriu suspensão contra o Vasco, tem retorno assegurado, pois ‘descansou’ no fim de semana.

    FICHA TÉCNICA
    ATLÉTICO X BOTAFOGO

    Local: Estádio Ipatingão, em Ipatinga (MG)
    Data: 10 de agosto de 2011 (quarta-feira)
    Horário: 21h50 (horário de Brasília)
    Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
    Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Carlos Berkenbrock (Fifa-SC)

    ATLÉTICO: Giovanni (Renan Ribeiro); Patric, Réver, Leonardo Silva e Guilherme Santos; Richarlyson, Serginho, Toró e Caio; Magno Alves e André
    Técnico: Cuca

    BOTAFOGO: Jéfferson; Lucas, Gustavo, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Lucas Zen, Marcelo Mattos, Léo e Maicosuel; Alexandre Oliveira e Loco Abreu
    Técnico: Caio Júnior


    Primeiro reflexo negativo da troca de treinador: Lima, o zagueiro que vinha atuando melhor, sequer foi relacionado para esta partida.

    O Cuca, para não começar a chorar desde cedo, terá que contar com muita sorte. Até mesmo porque não deveria lançar os "velhinhos" e os jogadores "de porcelana" nessa maratona de quarta e domingo.

     



    Escrito por PLINS às 11h18
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    INÍCIO DE UM NOVO BOLÃO

    BOLÃO DA COPA SUL-AMERICANA 2011

    Até o momento, são nove os inscritos. Tem jogo hoje às 22h. Quem ainda quiser apostar nesta partida e ainda não se inscreveu clique imediatamente no link abaixo para que haja tempo suficiente para autorização da participação.

    http://www.bolaovip.com.br/Bolao.aspx?bid=52649



    Escrito por PLINS às 19h39
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ESCUDOS DE CLUBES DE FUTEBOL

     

    Livro traz curiosidades de escudos com Pato Donald, Timão argelino e anarquia de estrelas

     

    UOL ESPORTE - Bruno Freitas 
    Em São Paulo

    O escudo pode expor para o observador mais atento muito a respeito da identidade de um clube de futebol. É inspirado na riqueza de informação escondida em traços e cores deles que a editora Panda Books manda ao mercado no fim de agosto o livro "Os distintivos de futebol mais curiosos do mundo", trabalho assinado pelos jornalistas Luiz Fernando Bindi e José Renato Santiago Jr.

    Santiago Jr. assumiu na metade o minucioso trabalho de "garimpo" do amigo Bindi, morto precocemente aos 35 anos em 2008. A missão era se debruçar na análise de escudos de todo o mundo para levantar histórias sobre história, política e cultura cravadas em detalhes visuais destes distintivos. O pesquisador então se apaixonou pela heráldica (a arte de estudo dos brasões) e encontrou um mundo rico de significados fora do Brasil e um festival de repetições nas criações nacionais.

    "Os escudos dos times estrangeiros apresentam mais simbolismo. Cada cor, cada símbolo, cada traço tem um significado. Aqui o Brasil é muito pobre com relação a isso. Os escudos se repetem muito, formato, cores. Aqui mais se copiam distintivos de outros. Existem muitos iguais entre si. O São Paulo, por exemplo, tem três ou quatro variações do escudo", diz Santiago Jr, fã dos escudos do Benfica (internacional) e Juventus da Mooca (nacional).

    Veja abaixo uma modesta seleção de curiosidades do livro, que reúne a vastidão de mais de 400 histórias envolvendo escudos de futebol de todo o planeta:

    CONHEÇA O TIMÃO ARGELINO

    Hussein-Dey (Argélia): A equipe que homenageia em seu nome o último governador otomano e que revelou o atacante Madjer usou durante alguns anos um escudo inspirado no Corinthians, com uma bola no lugar da bandeira do Estado de São Paulo.

     

    CLUBE PARAIBANO USA PATO DONALD

    Esporte Patos (Paraíba): No século 18, a família Oliveira Ledo criou algumas lagoas para tornar a terra que compraram na Paraíba agricultável. Nessas lagoas proliferavam patos, que deram origem ao nome da cidade. Bem mais tarde, na década de 50, os dissidentes do Botafogo de Patos fundaram o Esporte e adotaram o famoso personagem de Walt Disney como mascote presente no escudo.

    QUEM É O ÍNDIO DO COLO-COLO?

    Colo-Colo (Chile): Para quem já perguntou que raios faz aquele índio no escudo do clube chileno, a resposta do livro é que os fundadores procuraram um representante dos mapuches para inspirar o time. Escolheu-se Colo-Colo, cacique que lutou contra a invasão dos espanhóis, morto em 1559 na batalha de Lomaco.

    DE MÁQUINA DE COSTURA AO PÃO DE AÇÚCAR

    Ypiranga (Pernambuco): O desenho de uma máquina de costura na parte central do escudo denota a presença marcante da indústria têxtil na região de Santa Cruz do Capibaribe.

    Pan de Azúcar (Panamá): Fundado em 74 na cidade de San Miguelito, o clube adotou o consagrado visual do Rio para se inspirar, com imagens do Cristo Redentor e Pão de Açúcar.

    CONCEITO PARA USAR ESTRELAS: CADA CLUBE TEM UM

    Cada clube tem uma política diferente para acrescentar estrelas em seu escudo. O famoso Boca Juniors, por exemplo, costuma mudar o número de estrelas dentro do distintivo quase de ano a ano, motivado por conquistas esportivas de várias modalidades. Ainda pela Argentina, o Estudiantes nos últimos anos entupiu o símbolo com estrelas referentes a conquistas recentes.

    No Brasil, o São Paulo adotou estrelas para homenagear o bi olímpico de Adhemar Ferreira da Silva no salto triplo. Já o Grêmio criou uma das suas estrelas em referência à presença de um de seus jogadores (Everaldo) no título mundial da seleção em 1970. O ASA de Arapiraca tem uma em menção a um título de um torneio interestadual entre Alagoas e Sergipe.

    OS GENÉRICOS: GALO PERUANO

    Atlético Minero (Peru): No futebol brasileiro são conhecidos os casos de clubes homônimos de times famosos, não apenas no nome como no símbolo. Mas as equipes nacionais também inspiraram genéricos fora do país, como o Atlético do Peru. O símbolo lembra o do Galo, com uma gravura central que representa um mineiro, categoria que bancou o time da cidade de Casapalca. Mas ao invés do preto, usa o vermelho do cobre.

    HISTÓRIA: AVIADOR ARGENTINO E GÊMEOS ROMANOS HOMENAGEADOS

    Huracán (ARG): O time de Buenos Aires homenageia Jorge Alejandro Newbery, pioneiro da aviação argentina, que em 1909 pilotou o primeiro balão aerostático do país, chamado exatamente de Huracán (furacão).

    Roma (ITA): Em seu escudo tem a imagem que representa a lenda da fundação da cidade - loba alimentando os irmãos gêmeos Rômulo e Remo.

     

    POR FALTA DE ESPAÇO, NÃO PUDE PUBLICAR OS ESCUDOS QUE ILUSTRAM AS CURIOSIDADES ACIMA (SE BEM QUE ALGUNS DELES ESTÃO NA IMAGEM INICIAL DA MATÉRIA, QUE EU PUDE PUBLICAR). POR ISSO, QUEM QUISER VER A MATÉRIA TOTALMENTE ILUSTRADA PODE CLICAR NO LINK ABAIXO.

    SOBRE O "GALO PERUANO", JÁ HAVÍAMOS MOSTRADO AQUI NO BLOG EM 2008, MAIS EXATAMENTE NO DIA 3 DE JANEIRO (http://plins.blog.uol.com.br/arch2008-01-01_2008-01-31.html), GRAÇAS À DESCOBERTA DO VICENTE, DE UBERLÂNDIA.


    LINK DA MATÉRIA:

    http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2011/08/09/livro-traz-curiosidades-de-escudos-com-pato-donald-timao-argelino-e-anarquia-de-estrelas.htm




    Escrito por PLINS às 11h13
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    DUKE, COMO SEMPRE, IMPAGÁVEL!



    Escrito por PLINS às 23h32
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    HÁ 40 ANOS - CAPÍTULO 1

    No dia 8 de agosto de 1971, domingo, há exatos 40 anos, começava, para o CLUBE ATLÉTICO MINEIRO, o primeiro Campeonato Brasileiro de Futebol! A competição começou oficialmente no dia anterior.

     

    Na primeira fase, os 20 clubes convidados foram divididos em 2 grupos de 10: no turno, as equipes se enfrentaram dentro de seus respectivos grupos; no returno, as equipes do grupo A enfrentaram as do grupo B. Classificavam-se para a segunda fase os seis melhores de cada grupo.

     

    O GALO, treinado por Telê Santana, entrou em campo pela primeira vez no Brasileirão para enfrentar o América Mineiro, no Mineirão, diante de um público de 33.268 torcedores pagantes, que proporcionaram uma renda de Cr$181.957,00 (cento e oitenta e um mil novecentos e cinqüenta e sete cruzeiros).

     

    Escalação do GALO: Renato, Zé Maria, Normandes, Vantuir e Oldair; Vanderlei Paiva e Humberto Ramos; Ronaldo, Dario, Lola e Tião.

    Dario abriu o placar para o GALO aos 48’, e Dirceu Alves empatou para o América aos 57’.

     

    Placar final: ATLÉTICO 1x1 AMÉRICA MINEIRO.

     

    Demais resultados do Grupo B, o grupo do GALO: São Paulo 0x3 Grêmio, Sport Recife 1x0 Flamengo, Bahia 0x0 Santos e Botafogo 0x0 América Carioca.

     

     

     

    fontes:

    BOLA NA ÁREA

    http://www.bolanaarea.com/brasileirao_1971.htm

    O CANTO DO GALO

    http://100anosgalo.blogspot.com/

    ENCICLOPÉDIA GALO DIGITAL

    http://www.galodigital.com.br/enciclopedia/Campeonato_Brasileiro_1971

    FUTPÉDIA

    http://futpedia.globo.com/

     

     



    Escrito por PLINS às 23h23
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    IMAGEM EXCLUSIVA

    FLAGRANTE DO MOMENTO EM QUE ALEXANDRE KALIL PROCURA UM NOVO TREINADOR PARA O GALO NO LIXÃO DO C*UZEIRO:

     



    Escrito por PLINS às 11h34
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    SLOGAN DO TRIÊNIO 2009-2011

    ALEXANDRE KALIL PRESIDENTE,

    GALO DECADENTE!



    Escrito por PLINS às 18h25
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    COLETIVA DE DORIVAL JÚNIOR É MARCADA POR LAMENTAÇÕES E DESABAFO APÓS DERROTA

    Técnico tentou explicar o 2 a 1 e também se mostrou frustrado com os resultados

    Thiago de Castro - Superesportes

    Três fatores foram eleitos por Dorival Júnior para explicar um novo revés no Campeonato Brasileiro: o primeiro tempo ruim diante do Figueirense, a postura da equipe e a saída de Dudu Cearense na etapa final. A coletiva, depois da derrota por 2 a 1 neste sábado, no Ipatingão, foi marcada pela lamentação do treinador.

    “Não tem o que falar, não tem como explicar. Tivemos uma atuação como foi contra o Grêmio e três dias depois, estamos em campo e parece um time que se encontrou no vestiário e foi para o jogo tentar fazer alguma coisa. Infelizmente nosso primeiro tempo comprometeu a partida. Por incrível que pareça, quando esboçamos uma reação com uma mudança de comportamento, fizemos o gol e o Dudu se machuca”, disse.

    A saída do volante, que se machucou no lance do gol, ao se chocar contra a trave adversária, atrapalhou os planos alvinegros de tentar o empate e a virada. Dudu Cearense ainda tentou continuar na partida mas as dores impediram.

    “A partir daí é natural que as coisas fiquem mais difíceis e complicadas, correndo atrás com um homem a menos contra um time que muito toque de bola. É natural que não conseguíssemos criar da forma que precisávamos para tentar o empate. Ainda assim tivemos as três oportunidades da partida, mas não conseguimos concretizar”, complementou Dorival, que fez as três substituições no intervalo e teve que ver o seu time com apenas dez jogadores em campo a partir da metade do segundo tempo.

    Desabafo

    Apesar de deixar o seu futuro no Atlético nas mãos da diretoria, Dorival Júnior não escondeu a frustração com a falta de bons resultados do time sob o seu comando.

    “São os fatos inexplicáveis do futebol. Tivemos uma atuação como foi contra o Grêmio e três dias depois parece que desaprendemos completamente e entramos em campo apenas para que cumpríssemos um compromisso. Essa foi a impressão que foi dada. É uma situação que nos leva a pensar, repensar e chegar a uma conclusão de que é difícil”, desabafou.

     

     

     

    CERTÍSSIMAS AS PALAVRAS DO DORIVAL!

    MAS A ATUAÇÃO RUIM DE HOJE, DEPOIS DE DOIS JOGOS RAZOÁVEIS QUE NOS DERAM ESPERANÇA DE MELHORA, SÓ REFORÇA A IDEIA DE QUE ESSE GRUPO FOI MAL MONTADO. ALIÁS, O GRUPO DE JOGADORES DO GALO JÁ FOI DESMONTADO E REMONTADO TRÊS VEZES EM POUCO MAIS DE UM ANO, É DIFÍCIL MESMO QUE ESSE TIPO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO DÊ RESULTADO POSITIVO.

    E O PIOR DA NOITE DE HOJE NÃO FOI O JOGO EM SI, FOI OUVIR OS GUIOTTIS E OS LÉLIOS DA VIDA CHIANDO POR DORIVAL NÃO TER LANÇADO O GUILHERME NO SEGUNDO TEMPO! MEU DEUS, O QUE O GUILHERME FEZ PELO GALO DESDE QUE CHEGOU? SERIA ELE, VINDO DE CONTUSÃO, O SALVADOR DA PÁTRIA HOJE? CLARO QUE NÃO! MAS OS SUJEITOS QUE FALAM BESTEIRA UMA ATRÁS DA OUTRA E AINDA RECEBEM POR ISSO SE ACHAM MAIS INTELIGENTES QUE TODOS.

    EU JÁ NÃO ESCUTO RÁDIO ITATIAIA (FUI ABRIR UMA EXCEÇÃO DURANTE O INTERVALO DO JOGO E DESLIGUEI IMEDIATAMENTE), NEM GLOBO, POR ISSO. VOLTEI A VER O JOGO COM O SOM DO PFC ESTA NOITE, MAS ESTOU ARREPENDIDO. ALÉM DE BURRO METIDO A INTELIGENTE, O GUIOTTI É C*UZEIRENSE E QUER MAIS É VER O CIRCO PEGAR FOGO NO GALO.

    OUTRA BOBAGEM QUE TENHO ESCUTADO: "DORIVAL PERDEU O COMANDO DO TIME"! NÃO É POR AÍ! ELE SEMPRE CONQUISTOU ALGUMA COISA IMPORTANTE NOS ÚLTIMOS CLUBES QUE TREINOU. CONCORDO QUE PARECE NÃO HAVER CLIMA PARA ELE NO CLUBE, DIANTE DE TANTOS PROBLEMAS E POUCAS RESPOSTAS. DURANTE O JOGO COMECEI A ADMITIR ATÉ O EX DO AMÉRICA TREINANDO O GALO, O MAURO FERNANDES, MAS PENSANDO BEM, APÓS ESSA DERROTA, ACHO QUE, DIANTE DA FALTA DE SUBSTITUTOS À ALTURA, DORIVAL TEM QUE FICAR. E SE O PÉ-FRIO DO ALEXANDRE KALIL VAI CONTINUAR, O TREINADOR TEM QUE FAZER MUDANÇAS MAIS RADICAIS NO TIME, SACANDO ESSES JOGADORES IRREGULARES, TIPO SERGINHO, PATRIC, RICHARLYSON E MAGNO ALVES.

    WESLEY TEM DEMONSTRADO MUITO MAIS APETITE PARA JOGAR QUE ESSES CARAS.

    E QUE O RENAN OLIVEIRA SE RECUPERE LOGO.....

    E NÃO ME VENHAM CHORAR A AUSÊNCIA DE DANIEL CARVALHO, QUE É OUTRO QUE PARECE TER ABANDONADO A CARREIRA FAZ TEMPO!

    SALVEM O GALO DO ALEXANDRE KALIL!



    Escrito por PLINS às 00h45
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ATLÉTICO 1x2 FIGUEIRENSE

    GALO VACILA EM CASA CONTRA O FIGUEIRENSE E CONTINUA SEM ENGRENAR NO BRASILEIRO

    Mal na tabela, time volta a temer a zona do rebaixamento com a derrota por 2 a 1

    Thiago de Castro - Superesportes

     

    O Atlético voltou a demonstrar fraqueza no Campeonato Brasileiro e proporcionou a primeira vitória fora de casa do Figueirense, na noite deste sábado, no Ipatingão. Elias, duas vezes, e Dudu Cearense, foram os autores dos gols da partida, que terminou em 2 a 1 para os catarinenses.

    A zona de rebaixamento volta a ameaçar o Alvinegro, que fica provisoriamente na 13ª colocação, mas pode cair na tabela neste domingo. O Coritiba dorme como 10º lugar.

    Na próxima rodada, no próximo domingo, o Atlético vai pegar o Coritiba fora de casa. O Figueirense receberá o Flamengo. Antes, contudo, tem duelo contra o Botafogo para o Galo na Copa Sul-Americana.

    Elias “come a bola” e marca dois na primeira etapa

    O primeiro tempo foi marcado por um melhor futebol do Figueirense no começo e no fim, quando saíram os gols de Elias. Entre o primeiro e o segundo, o Atlético teve alguns bons momentos mas não obteve sucesso nas finalizações.

    Aos 8 minutos, Héber aproveitou a falha do capitão Werley para chegar à linha de fundo e cruzar. A bola sobrou limpa para o camisa 10 Elias, que, sem marcação, deu um belo chute de primeira, sem chance de defesa para Giovanni.

    O armador do Figueirense demonstrava que estava em noite inspirada ao levar perigo novamente aos 20 minutos. Com um chute longo, ele obrigou Giovanni e se esticar todo para fazer a defesa no seu canto direito.

    A partir daí, o Galo protagonizou três bons momentos. Primeiro, Magno Alves arriscou de longe e levantou os torcedores das arquibancadas. Mas a bola passou ao lado do gol de Wilson. Depois, Giovanni Augusto, em novo chute de fora da área, levou perigo. Por fim, Serginho deu bom cruzamento e André quase alcançou para marcar. Contudo, a defesa catarinense levou a melhor.

    Elias, aos 45 minutos, tratou de abafar a tentativa de reação alvinegra com um novo belo gol de primeira. O meia recebeu bom cruzamento de Júlio César para ampliar o marcador.

    Reação é apenas esboçada no segundo tempo

    Dorival Júnior fez três alterações para o segundo tempo logo no intervalo. Saíram Werley, Serginho e Giovanni Augusto e entraram Neto Berola, Dudu Cearense e Wesley, respectivamente. Desta forma, o esquema 3-5-2 deu lugar para o 4-3-3.

    Logo aos dois minutos, o Atlético colocou pimenta no jogo com o gol de Dudu Cearense. Ele marcou de cabeça após falta cruzada na área cobrada por Richarlyson. No lance, Dudu chocou o corpo na trave catarinense e ficou deitado com muitas dores. Posteriormente, ele foi ficou em campo na base do sacrifício, após tomar um remédio para dor.

    O empate quase saiu em lance semelhante, mas do lado oposto do gramado. Richarlyson cobrou falta e Dudu finalizou de cabeça. Mas, desta vez, Wilson conseguiu defender, aos nove minutos. O Figueirense respondeu em seguida com o cabeceio de Roger Carvalho, mas a bola foi para fora.

    Em outro lance de perigo pelo alto, Wesley cabeceou na rede pelo lado de fora. Aos 21 minutos, ele concluiu sem sucesso após bom cruzamento de Neto Berola.

    A dupla voltou a dar um susto no Figueirense aos 27. Berola fez ótima jogada na ponta esquerda e cruzou rasteiro para Wesley, que girou bem mas bateu sem força, facilitando a defesa de Wilson.

    Aos 35 minutos, Dudu Cearense preferiu deixar o campo, já que sentia muitas dores por conta do choque sofrido no lance do gol.


    ATLÉTICO 1 X 2 FIGUEIRENSE

    ATLÉTICO
    Giovanni; Werley (Neto Berola, intervalo), Lima e Leonardo Silva; Patric, Serginho (Dudu Cearense, intervalo), Richarlyson, Giovanni Augusto (Wesley, intervalo) e Eron; Magno Alves e André
    Técnico: Dorival Júnior.

    FIGUEIRENSE
    Wilson; Coutinho, João Paulo, Roger Carvalho e Juninho; Ygor, Túlio, Maicon (Jackson, 22min, 2ºT) e Elias; Héber (Wellington, 23min, 2ºT) e Júlio César (Pittoni, 36min,2ºT)
    Técnico: Jorginho

    Motivo: 15ª rodada do Campeonato Brasileiro
    Estádio: Ipatingão, em Ipatinga (MG)
    Data e hora: Sábado, dia 6 de agosto, às 21h

    Gols: Elias (FIG, 8 e aos 45min, 1ºT) e Dudu Cearense (ATL, 2min, 2ºT)
    Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
    Assistentes: Evandro Gomes Ferreira (GO) e João Patricio de Araújo (GO)

    Cartões amarelos: Coutinho, Ygor e Júlio César (FIG); Patric, André e Leonardo Silva (ATL)
    Cartão vermelho: Não houve

    Renda: R$ 73.117,50

    Pagantes: 15.689

    Vou usar o texto do meu comentário à matéria sobre o jogo publicada pel UOL ESPORTE/FUTEBOL:

    Quem está do lado de fora sempre acha que tem a solução pra tudo. Eu jamais faria o que o Dorival Júnior fez hoje - três substituições no intervalo - porque é dar muita sopa para o azar, e foi o que aconteceu. Dudu Cearense entra, faz gol, mas em vez de o lance se tornar decisivo para uma possível virada do GALO acaba sendo fatal para as pretensões do time, pois Dudu se machucou no lance, e o GALO passou a jogar só com 10 jogadores. Mas não culpo o Dorival; ele está no mato sem cachorro com esse time! Aliás, nunca vi tanta coisa ruim acontecer com o mesmo time. Pode até vir outro treinador, como quase todos querem, mas a grande asa negra do GALO (sem trocadilho) é o presidente do clube, que não sabe contratar, não sabe se relacionar com as pessoas e se não entregar o cargo vai levar o GALO de volta para o buraco! FORA ALEXANDRE KALIL!

    Só acrescento o seguinte: Lamentável a atitude dos torcedores que vaiaram a saída do Dudu Cearense. O cara se sacrificando em campo, sem condições de jogo, e quando não resiste mais ainda é vaiado? Esse é o retrato do GALO do século XXI: sem diretoria, sem time e sem torcida, como eu já disse antes.



    Escrito por PLINS às 00h23
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011


    Melhores apostadores da 14.ª rodada

    1.º Gilberto Couto: 2.205 pontos (42% do total)

    2.º Marcos Lins e Vavá “Bica eles, Galo”: 2.121 (40%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 19.723 pontos (está no 90.º lugar do Top 100, mas com pontuação de outro bolão; pelo nosso, seria 96.º)

    2) Jorge Luiz: 16.740

    3) Marcos Lins: 16.680

    4) Paulo Lins: 16.039

    5) Carlos Magno: 16.014

    6) Mário Barros: 16.006

    7) Vavá "Bica eles, Galo": 15.940

    8) Albino Júnior: 15.748

    9) Renato Alexandre: 15.691

    10) Nelson Roberto: 15.547

    11) Paulo Santos: 14.761

    12) Gilberto Couto: 14.187

    13) Fábio Luiz: 12.955

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

     

    Zebra da rodada

    Coritiba 1x1 Palmeiras – nenhum ponto concedido

     

    Barbada da rodada

    Corinthians 2x1 América – 3.822 pontos concedidos

     

    Placar fácil

    Corinthians 2x1 América – 2 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Ceará 0x3 Atlético/PR, Figueirense 2x0 Botafogo, Grêmio 2x2 Atlético, Coritiba 1x1 Palmeiras, Vasco 2x0 Santos, Atlético/GO 0x3 Atlético/PR, São Paulo 3x0 Bahia – nenhum palpite exato

     



    Escrito por PLINS às 19h24
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    BOLÃO DA SUL-AMERICANA

    ATENÇÃO, APOSTADORES, ESTÁ CRIADO O BOLÃO DA COPA SUL-AMERICANA 2011!

    A competição já começou nesta semana, mas para nosso bolão valerão os jogos que acontecerem a partir de terça-feira que vem.

    Lembrando que os pontos deste bolão valerão para a conquista do prêmio de Supercampeão dos bolões 2011.

    Estou devendo o ranking parcial, com os dois bolões já encerrados (Mineiro e Copa do Brasil) e o do Brasileirão, em virtude de problemas técnicos (perdi um arquivo do meu pendrive com dados do bolão do Brasileirão), mas prometo essa parcial, no máximo, até o próximo fim de semana.

     

    LINK DIRETO: 

    http://www.bolaovip.com.br/Bolao.aspx?bid=52649







    Escrito por PLINS às 15h57
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GALO x FIGUEIRINHA

    Atlético quer vitória contra o Figueirense para iniciar reação

     

    Dando sinais que tem condições de reagir no Campeonato Brasileiro, o Atlético não pensa em outra coisa se não na vitória diante do Figueirense, neste sábado, às 21 horas (de Brasília), no Estádio Ipatingão, no Vale do Aço Mineiro. Na história da competição, o Galo já enfrentou os catarinenses em 13 oportunidades, com seis vitórias, quatro empates e três derrotas.

    Apesar dos números serem favoráveis, o atacante André, que vem sendo destaque nas últimas partidas do Atlético, sabe que o clube vai encontrar dificuldades. O avante conta com o apoio da torcida em Ipatinga e considera o jogo como fundamental para as pretensões do Galo de subir na tabela e recuperar a confiança.

    “Acho que é um dos jogos-chave, para embalar, ganhar confiança e voltar a jogar com a torcida. Ela está carente de um jogo bom nosso. Temos que fazer uma grande partida e ganhar para embalar e subir na tabela”, disse André, que vem marcando os gols que têm ajudado o time alvinegro. “Fico feliz de ter feito os dois gols, mas sei que a situação não está como a gente quer. É continuar trabalhando para melhorar a situação”, completou.

    O armador Caio será o único desfalque por suspensão no time do Atlético. O jogador levou o terceiro cartão amarelo na partida com o Grêmio, e por isso, não poderá enfrentar o Figueirense. Sem fazer mistério, o técnico Dorival Júnior já confirmou que Giovanni Augusto será o substituto. E as novidades da equipe serão os retornos do volante Fillipe Soutto e do atacante Guilherme, que estão recuperados de lesão e foram relacionados para a partida, mas devem ficar na reserva.

    Felippe Soutto tem um pouco mais de chances de participar do jogo, isso porque, o lateral esquerdo Eron fraturou o nariz na partida contra o Grêmio, na última quarta-feira, e ainda é dúvida. Se o jogador ficar de fora, Felippe pode entrar improvisado na lateral, ou mesmo no meio-campo, com Richarlyson atuando pelo lado esquerdo.

    Para enfrentar o Galo, o Figueirense não poderá contar com a mesma equipe que venceu o Botafogo por 2 a 0 na rodada passada. Isso porque, o volante Túlio saiu no intervalo sentindo uma pancada no tornozelo esquerdo e vai passar por uma avaliação médica para ver se tem condições de enfrentar a equipe mineira.

    O zagueiro Edson Silva, que abriu o placar contra a equipe carioca, levou cartão vermelho e fica de fora contra o Galo. O técnico Jorginho não adiantou, mas Roger Carvalho é o provável substituto na defesa do time catarinense.

    FICHA TÉCNICA
    ATLÉTICO X FIGUEIRENSE

    Local: Estádio Ipatingão, em Ipatinga (MG)
    Data: 06 de agosto de 2011, sábado
    Horário: 21 horas (de Brasília)
    Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
    Assistentes: Evandro Gomes Ferreira (GO) e João Patrício de Araújo (GO)

    ATLÉTICO: Giovanni; Lima, Werley e Leonardo Silva; Patric, Serginho, Richarlyson, Giovanni Augusto e Eron (Fellipe Soutto); Magno Alves e André
    Técnico: Dorival Júnior

    FIGUEIRENSE:
     Wilson; Coutinho, João Paulo Goiano, Roger Carvalho e Juninho; Ygor, Túlio (Jackson), Maicon e Elias; Fernandes e Júlio César
    Técnico: Jorginho

     

    Não devem ser poucos os atleticanos bipolares festejando a saída do Caio. São os mesmos que não queriam o Renan Oliveira no time titular, gostaram quando Dorival não escalou mais o Giovanni Augusto e desistiram do Daniel Carvalho. Afinal de contas, quem esses atleticanos querem com a camisa 10 do GALO?

    Bernard está arrebentando no time da Taça BH de futebol júnior (final amanhã, 13h, Arena do Jacaré, contra o Fluminense - a competição não teve um único jogo em BH, por razões óbvias), mas também não encantou a torcida, até mesmo porque jogou várias vezes fora de sua posição.

    Uma hora, Dorival encontrará o jogador ideal, mas se depender dos bipolares o GALO nunca terá um titular absoluto para a posição. Não há nenhum "raçudo", só tem jogador habilidoso. Para os bipolares, ou o jogador é "raçudo" ou é "dorminhoco", joga sem vontade. Dá até pena desses torcedores. Nunca souberam o que é futebol de verdade ou já esqueceram, têm memória fraca.

    Com as voltas de Fillipe Soutto e Guilherme, fica mais fácil para o Dorival, com a cabeça no lugar, sem as pressões idiotas de comentaristas de rádio e TV para sua demissão, enfim rearrumar o GALO 2011.

     



    Escrito por PLINS às 14h19
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    DETONANDO O C*UZEIRO

    SMURFETE

    Para quem ainda não viu as publicações do jornal MEIA HORA, do Rio de Janeiro, sobre o C*uzeiro, que deixaram as marias descontroladas, como o Bauxita, do programa 98 Futebol Clube no programa de ontem, aí vai o link com a edição de ontem do jornal, que trouxe a seguinte manchete:

    MENGÃO SACODE A 'SMURFETE'

    http://one.meiahora.com/public/uploads/printcovers/04082011.pdf


    Na edição de hoje, a manchete é a seguinte: SMURFETE SEDUZ FRED - Após noitada, atacante faz queixa na DP contra torcida, pede para não jogar pelo Flu e pode acabar no Cruzeiro

    Claro, tem outra imagem hilária:

    http://one.meiahora.com/public/uploads/printcovers/05082011.pdf


    Pra completar, um amigo atleticano, viajando esta semana pela Argentina, fez questão de conhecer o estádio LA BOMBONERA, do Boca, onde, conversando com um vendedor, declarou-se torcedor do Atlético Mineiro. O vendedor, então, respondeu: 

    "Entonces és hincha do GALO? No és Maria?"Rindo a toa




    Escrito por PLINS às 10h33
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    GRÊMIO 2x2 ATLÉTICO

    ATLÉTICO LUTA ATÉ O FIM E BUSCA EMPATE CONTRA O GRÊMIO NO OLÍMPICO

    Rodrigo Fonseca - SUPERESPORTES

    Em desvantagem no placar por duas vezes, o Atlético não desistiu, buscou o empate por 2 a 2 e teve chances para derrotar o Grêmio, nesta quarta-feira à noite, no Olímpico, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas deixou o estádio apenas com um ponto. André e Leonardo Silva marcaram os gols para o Galo. Leandro e Fábio Rochemback fizeram para o Tricolor gaúcho.

    Com empate, o Alvinegro chegou a 15 pontos. Na próxima rodada, o time enfrenta o Figueirense, sábado às 21h, no Ipatingão. O Grêmio, que soma 14 pontos, encara o Palmeiras, em São Paulo, também no sábado.

    Gols na etapa final

    Com o atacante André titular pela primeira vez, o Atlético mais uma vez apostou no esquema 3-5-2. Com a posse de bola, o Galo deixou a desejar na saída de jogo, com muitos passes errados. O contra-ataque e as descidas dos laterais foram as jogadas mais exploradas pelo Alvinegro. 

    Avançando pelos espaços deixados pelo Grêmio, o Atlético teve grande oportunidade para marcar no primeiro tempo. Aos 17 minutos, Eron fez excelente lançamento para Patric. Livre, o lateral cortou o goleiro e finalizou. O zagueiro Rafael Marques salvou em cima da linha.

    O Galo teve ainda mais duas chances. Aos 20, com Magno Alves, em outro contragolpe, que chutou rente à trave. E aos 22, com Lima, cobrando falta com perigo. Depois, o time atleticano caiu de produção e deixou o Grêmio ameaçar o gol defendido por Giovanni.

    Na etapa final, o Grêmio voltou pressionando e logo aos três minutos abriu o placar, com Leandro, que entrou na vaga de Adilson: 1 a 0. A resposta do Atlético foi imediata. André recebeu na entrada da área e mandou a bomba: 1 a 1.

    Aos 21 minutos, o Galo perdeu o lateral Eron, que levou uma pancada de Leandro no rosto e precisou deixar o gramado de ambulância.

    Em seu lugar, o técnico Dorival Júnior optou por Giovanni Augusto. O meia nada acrescentou no ataque e ainda cometeu pênalti em Mário Fernandes, aos 33 minutos. Fábio Rochemback cobrou e fez 2 a 1.

    O Atlético não desistiu, teve uma ótima oportunidade com Neto Berola, que driblou o goleiro, mas teve a conclusão cortada em cima da linha por Lúcio. O goleiro Vitor salvou o Grêmio em pelo menos três lances, mas não evitou o gol de empate marcado por Leonardo Silva, de cabeça, aos 43 minutos, completando a cobrança de escanteio.

    GRÊMIO X ATLÉTICO

    GRÊMIO
    Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rafael Marques e Lúcio; Gilberto Silva, Fábio Rochemback, Adilson (Leandro, intervalo) e Escudero (Marquinhos, 24min 2ºT); Miralles e André Lima (Diego Clementino, 24min 2ºT) 
    Técnico: Julio Camargo

    ATLÉTICO
    Giovanni; Werley, Lima e Leonardo Silva; Patric, Serginho (Toró, 15min 2ºT), Richarlyson, Caio e Eron (Giovanni Augusto, 25min 2ºT); André e Magno Alves (Neto Berola, 28min 2ºT)
    Técnico: Dorival Júnior.

    Motivo: 14ª rodada do Campeonato Brasileiro
    Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
    Data e hora: 3 de agosto de 2011

    Gols: Leandro, 4min 2ºT; André, 6min 2ºT; Rochemback, 34min 2ºT; Leonardo Silva, 43min 2ºT

    Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
    Auxiliares: Carlos Nogueira Júnior (SP) e Anderson Moraes Coelho (SP)

    Cartão amarelo: Serginho, Giovanni Augusto, Toró, Caio (ATL); Fábio Rochemback (GRE)

    O GALO não merecia a derrota hoje. Pela luta, pelas chances criadas, pelos erros da arbitragem, o empate já era injusto. Mas o time paga cara pelos erros imperdoáveis que comete, como as chances desperdiçadas por Patric (que deveria ter rolado a bola para André em vez de chutar a gol - mas o zagueiro do Grêmio fez milagre) e Neto Berola, e os incontáveis passes errados. O repórter do SPORTV dizia que Dorival Júnior estava quase entrando em campo quando dava suas broncas, e realmente dá vontade de invadir o campo diante de tantos erros infantis!

    Não me lembro de ver o GALO jogando no Olímpico com a disposição com que jogou hoje, claro, ajudado pelo time limitado do Grêmio. Mas o time gaúcho fez o que o GALO não conseguiu: quando teve boa chance de gol, abriu o placar. O empate rápido, assim como aconteceu diante do Palmeiras, caiu do céu. E antes que a arbitragem ignorasse a agressão em Eron mas enxergasse pênalti para o Grêmio, o GALO poderia ter virado o jogo.

    Em entrevista após o jogo, Dorival falou que falta um "algo mais" ao GALO. Na minha opinião, como não é possível trocar muitos jogadores, a solução é treinamento! Telê Santana, quando via defeitos graves em um de seus jogadores, não desistia dele, treinava-o exaustivamente, até que fosse atingida a perfeição ou quase isso. Dorival tem que ir pelo mesmo caminho, especialmente com os piores passadores de bola e chutadores do GALO, como Patric, Serginho e Richarlyson. Lima também precisa baixar mais a bola na hora das cobranças de falta; força ele tem, mas a pontaria está descalibrada.

    Dos males o menor, a derrota, além de injusta seria desastrosa para nossa posição na tabela. Atingimos 15 pontos com uma rodada de atraso. Após 1/3 do campeonato, a pontuação mínima seria 1/3 do mínimo calculado para a fuga do rebaixamento (normalmente, 45 pontos ao final do campeonato). Jogamos razoavelmente bem e não perdemos, agora é vencer ao menos 3 dos nossos 5 últimos compromissos no turno, de preferência Figueirense, Coritiba e C*uzeiro, rivais mais próximos na classificação.



    Escrito por PLINS às 21h53
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    MOSQUETEIRO x GALO

    EM CRISE, GRÊMIO E ATLÉTICO SE ENFRENTAM

     

    Na gelada capital gaúcha, o perdedor poderá entrar numa fria ainda maior: a zona de rebaixamento

     

    LANCEPRESS!
    Porto Alegre (RS)

     

    Dois gigantes em crise, Grêmio e Atlético, se enfrentam na gelada Porto Alegre. De acordo com os institutos de meteorologia, o jogo de hoje, às 19h30, no Olímpico será debaixo de chuva e com 5 graus de temperatura.

    E para aumentar a fria, quem perder poderá encerrar a rodada na zona de rebaixamento. Hoje, os mineiros ocupam o 14 lugar, com 14 pontos. Os gaúchos estão em 16, com 13. O Grêmio vive um vendaval político. Toda a diretoria de futebol caiu e o novo homem-forte, Paulo Pelaipe assumiu ontem prestigiando o treinador Julinho Camargo e garantindo novidades.

    – Contra o Atlético todos verão os jogadores do Grêmio com raça, colocando o bumbum no chão nas divididas e dando o sangue – comentou Pelaipe na apresentação.

    O técnico Julinho Camargo não poderá contar com Saimon, que  cumpre suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo. Com isso, Vilson assume a vaga. Após o treino desta terça-feira, o treinador confirmou a volta de Miralles ao ataque gremista.

    - Infelizmente Gabriel e Douglas não se recuperaram e estão fora. E não sei se contarei com o André Lima. Mas eu tenho a volta do Miralles está de volta e será titular. Caso André Lima se recupere, ele entrará na vaga do Leandro - disse ele.

    Quanto à questão política vivida pelo clube e à pressão por bons resultados, ele preferiu agir com cautela.
     
    – Toda mudança gera uma situação nova em qualquer lugar. Vamos nos adaptar ao estilo e trabalhar para o melhor do Grêmio – disse o treinador.

    O time alvinegro tentará em Porto Alegre a sua segunda vitória fora de casa na competição nacional. Até o momento, triunfo como visitante apenas diante do Avaí, em Florianópolis, por 3 a 1, na segunda rodada.

    Para a partida contra o Grêmio, o comandante atleticano conta com a volta dos volantes Toró e Dudu Cearense, que cumpriram suspensão diante do Palmeiras. A presença dos dois no time titular, no entanto, não está confirmada.

    O técnico Dorival Júnior fez mistério e não divulgou a escalação, nem mesmo comandando algum treino que viesse a dar pistas. Existe a possibilidade de manter o esquema 3-5-2, utilizado na rodada passada, ou voltar ao 4-4-2, postura padrão desde o início do campeonato.

    FICHA TÉCNICA
    GRÊMIO X ATLÉTICO

    Estádio: Olímpico, em Porto Alegre (RS)
    Data/hora: 3/8/2011, às 19h30
    Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
    Auxiliares: Carlos Nogueira Júnior (SP) e Anderson Moraes Coelho (SP)

    GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Vilson, Rafael Marques e Lúcio; Gilberto Silva, Fábio Rochemback, Adilson e Escudero; Miralles e Leandro (André Lima). Técnico: Júlio Camargo.

    ATLÉTICO: Giovanni, Werley, Lima e Leonardo Silva; Patric, Serginho, Richarlyson, Caio e Eron; Jonatas Obina (André) e Magno Alves. Técnico:  Dorival Júnior.

     

     



    Escrito por PLINS às 10h42
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    NÚMEROS DO BOLÃO DO BRASILEIRÃO

    BOLÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2011

     

    Melhores apostadores da 13.ª rodada

    1.º Fábio Luiz: 1.740 pontos (35% do total)

    2.º Gilberto Couto e Mário Barros: 1.560 (31%)

     

    Ranking

    1) Wallace Siqueira: 18.190 pontos (está no 64.º lugar do Top 100, mas com pontuação de outro bolão; pelo nosso, seria 78.º)

    2) Jorge Luiz: 15.312

    3) Paulo Lins: 15.115

    4) Renato Alexandre: 14.662

    5) Marcos Lins: 14.559

    6) Nelson Roberto: 14.539

    7) Mário Barros: 14.494

    8) Carlos Magno: 14.397

    9) Albino Júnior: 14.341

    10) Vavá "Bica eles, Galo": 13.819

    11) Paulo Santos: 13.711

    12) Fábio Luiz: 12.955

    13) Gilberto Couto: 11.982

    14) Fábio Fantini: 5.718

     

     

    Zebra da rodada

    São Paulo 0x2 Vasco – 160 pontos concedidos

     

    Barbada da rodada

    Flamengo 2x0 Grêmio – 3.800 pontos concedidos

     

    ÚNICO Placar fácil

    Flamengo 2x0 Grêmio – 2 palpites exatos

           

    Placares mais difíceis

    Nenhum outro placar foi apostado – esta rodada quebrou o recorde da dificuldade em faturar a pontuação máxima de uma partida do Brasileirão, do placar cheio.



    Escrito por PLINS às 21h55
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



    ESTATÍSTICAS DO GALO NO BRASILEIRÃO

    NÚMEROS DO DATAFOLHA

    MÉDIA POR JOGO

    Posições do GALO

    Assistências: 3,8 (3.º) – Líder: Corinthians, com 5,2

    Bolas perdidas: 31,2 (20.º) – Líder: Santos, com 43,3

    Cartões: 35, dos quais 32 amarelos e 3 vermelhos (5.º) – Líder: América, com 41

    Cruzamentos: 24,1 (3.º) – Líder: C*uzeiro, com 24,3

    Defesas do goleiro: 3,4 (11.º) – Líder: Bahia, com 4,8

    Desarmes: 106,7 (18.º) – Líder: Corinthians, com 141,4

    Dribles: 13,4 (6.º) – Líder: Botafogo, com 15,5

    Faltas cometidas: 16,8 (12.º) – Líder: Coritiba, com 21,6

    Faltas recebidas: 17,5 (12.º) – Líder: Atlético/PR, com 21,8

    Finalizações: 16,7 (1.º)

    Impedimentos: 2,1 (9.º) – Líder: Fluminense, com 2,8

    Passes certos: 84 (3.º) – Líder: São Paulo, com 86,1

     

    Em vermelho, as estatísticas negativas, ou seja, quanto mais longe do líder, melhor. Por exemplo, o GALO é o time que menos perde bola.

    O GALO continua sendo o time que mais finaliza, mas a pontaria não é das melhores, afinal de contas, das 217 finalizações do time, apenas 85 foram certas. Assim, se a média de finalizações é de 16,7 por jogo, a de finalizações certas é de 6,5. A diferença é tão grande que o GALO não está entre os cinco melhores ataques do campeonato.

     



    Escrito por PLINS às 23h02
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]